Comissão discute mobilização para Plano Estadual do Livro


A proposta é levar uma minuta do Plano a todos os 17 territórios de desenvolvimento do estado

A comissão de coordenação do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas de Minas Gerais (PELLLB/MG) reuniu-se nesta sexta-feira (17/3), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, para discutir diretrizes e estratégias para mobilizar as comunidades nos 17 territórios de desenvolvimento do estado. A ideia é que nos próximos dias já se tenha um cronograma de visitas, explica Luana de Araújo Carvalho, coordenadora do grupo técnico da SEE. “Buscamos envolver o maior número de pessoas e representantes de entidades públicas e da sociedade nessa discussão”.

Comissão se reuniu mais uma vez na Cidade Administrativa. Foto: Elian Oliveira/ACS

Comissão se reuniu mais uma vez na Cidade Administrativa. Foto: Elian Oliveira/ACS

Formada por servidores das secretarias de Estado de Educação (SEE) e de Cultura (SEC), além de representantes da sociedade civil, a comissão deverá encaminhar uma minuta do Plano a todos os segmentos de cultura e educação, além de setores de produção, criação e comercialização de livros, para que possam opinar e sugerir propostas.
Para construção do plano foi elaborado e apresentado em dezembro de 2016 na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, em Belo Horizonte, um dos mais completos diagnósticos sobre livro e leitura em Minas Gerais.

Plano

O Livro e a Leitura no Brasil vêm sendo, nas últimas décadas, temas de incontáveis debates, sendo também alvo de investimento do Estado em programas de compra e distribuição de livros didáticos, literários e técnicos em escolas, mostra o documento apresentado no dia 14 de dezembro.

O Plano Estadual estrutura-se em conformidade com o Plano Nacional, contendo quatro eixos norteadores: democratização do acesso ao livro; formação de mediadores para incentivo à leitura; valorização institucional da leitura e o incremento do seu valor simbólico e desenvolvimento da economia do livro como estímulo à produção intelectual e ao desenvolvimento nacional, incluindo diretrizes, metas e estratégias de modo que planos de leitura sejam desenvolvidos nos estados e municípios, com cooperação do poder público e da sociedade em geral.

Após ser discutido em todo o estado, a proposta do Plano será encaminhada à Assembleia Legislativa de Minas Gerais para ser discutido e votado pelos deputados.