Superintendência Regional de Ensino de Coronel Fabriciano realiza seminário com diretores e secretários do setor financeiro


Participaram profissionais da educação de 73 escolas estaduais

Nos dias 20 e 21 de março, diretores e secretários do setor financeiro das 73 escolas estaduais pertencentes à Superintendência Regional de Ensino (SREs) de Coronel Fabriciano participaram do “Seminário para gestores – O desafio da gestão em suas diferentes dimensões”. O encontro foi realizado na Escola Estadual João Walmick.

O primeiro dia foi voltado para temas pedagógicos e administrativos. Os profissionais da educação assistiram a palestras com os temas “Aspectos atuais e relevantes da Lei de Improbidade Administrativa” e “Os desafios da gestão em suas diferentes dimensões”. Logo depois discutiram sobre os programas e projetos da Secretaria de Estado de Educação. Já no segundo dia, foram discutidas a alimentação escolar e a aquisição de alimentos provenientes da Agricultura Familiar.

A nutricionista da SRE de Coronel Fabriciano, Joice Vieira Leal, destacou a importância de trabalhar o tema com as escolas e agricultores. “Esse seminário é resultado de uma parceria com a Emater. Queremos fazer uma aproximação maior entre agricultores e escola visando potencializar a aquisição dos alimentos provenientes da agricultura familiar”, destaca. Agricultores da região também participaram do seminário.

capacitacao
Participaram profissionais da educação de 73 escolas estaduais. Foto: Divulgação SRE

Ainda segundo Joice, o seminário pretendeu estreitar as relações entre escolas e agricultores. “Nossas escolas atingem os 30%, que é o mínimo constitucional. O que queremos é diminuir as dificuldades que em algumas vezes surgem. Estamos estreitando os laços e falando da importância de ofertar uma alimentação saudável para os estudantes”, conclui.

O diretor da Escola Estadual Professora Elza de Oliveira Lage, do município de Ipatinga, Denilson de Almeida Freitas, apresentou sua experiência com a Agricultura Familiar. “Apresentei os aspectos positivos e que precisam ser melhorados em relação a aquisição dos alimentos. Como ponto positivo, destaco que a aquisição proporciona uma alimentação mais saudável para o aluno e quando adquirimos alimentos da agricultura familiar estamos contribuindo para a fixação do homem no campo. Como pontos que precisamos melhorar, destaquei a questão da entressafra, que ocasiona a redução de alguns produtos, como as hortaliças e também a dificuldades de comunicação com alguns produtores que moram na zona rural”, conta Denilson.

Também participaram do Seminário, secretários municipais de educação e de agricultura dos 11 municípios da jurisdição da regional, produtores da agricultura familiar e representantes da vigilância sanitária, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da EMATER, e do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

Fonte: http://www.educaçao.mg.gov.br (editado)