PREFEITURA DE SANTANA DO PARAÍSO E SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE CORONEL FABRICIANO APOIAM CONTINUIDADE DO PROJETO UBUNTU/NUPEAAS “TERREIRO E ANCESTRALIDADE”


Programa de Iniciação Científica desenvolvido na Escola Estadual Joaquim Eliziário da Silva integra ações do Núcleo de Pesquisas e Estudos Africanos, Afrobrasileiros e da Diáspora (Ubuntu/Nupeaas) 

ubuntu 3

Em reunião na sede da prefeitura de Santana do Paraíso, dia 02/4, representantes da escola, da SRE de Coronel Fabriciano e da Secretaria Municipal de Educação e Cultura foram recebidos pela prefeita Luzia de Melo. Naquela oportunidade, foram discutidas as condições necessárias à continuidade do projeto “Terreiro e Ancestralidade”, sua importância para a escola e como os dados resultantes da pesquisa podem contribuir para a formulação de políticas públicas de inclusão da população de descendência africana do município.

No encontro, registrou-se a presença da diretora da SRE de Coronel Fabriciano, Edvania Andrade e da equipe de ensino médio da DIVEP. Participaram também Maria Lenice Sá, da seção de Educação do município e Thaysler Cruz, da Cultura. Ainda presentes, a diretora da EE Joaquim Eliziário da Silva, Maria das Neves e Willian Godoi, professor coordenador do projeto.

 “Terreiro e Ancestralidade” – Projeto UBUNTU/NUPEAAS 2019

Iniciativa da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE), o Programa de Iniciação Científica no Ensino Médio, no eixo Núcleos de Pesquisas e Estudos Africanos, Afro-Brasileiros e da Diáspora (UBUNTU/NUPEAAS), selecionou projetos de 94 escolas estaduais mineiras para desenvolvimento de ações pedagógicas e desenvolvimento de metodologia de pesquisa na área.

A Escola Estadual Joaquim Eliziário da Silva do município de Santana do Paraíso foi beneficiada com o financiamento do Projeto “Terreiro e Ancestralidade”, investimento importante para jovens e educadores do ensino médio cuja pesquisa foi desenvolvida no decorrer do ano de 2018. Na busca de uma educação de qualidade, o sentido tem sido o de dar visibilidade ao protagonismo dos estudantes e dos professores, bem como a de sua comunidade local e a do município.

Assim, o Projeto de Iniciação Científica no Ensino Médio UBUNTU/NUPEAAS permanece em 2019 com a finalidade de viabilizar e apoiar a atividade de pesquisa e investigação científica, valorizando a produção e compartilhamento de conhecimentos e saberes, oportunizando aos estudantes e educadores da escola e da comunidade, a identificação de problemas, bem como a construção coletiva de soluções para resolvê-los ou minimizá-los.

UBUNTU/NUPEAAS na EE Joaquim Eliziário da Silva e proposta para 2019

Em 2018, com a proposta de desenvolver pesquisa sobre o lugar do negro no município de Santana do Paraíso, especialmente na localidade da escola, bairro de Águas Claras, e da comunidade do Achado, tentou-se identificar os lugares que ele ocupa e as condições oferecidas, para se entender as oportunidades que a ele estão sendo dadas. Iniciou-se, então, uma investigação sobre dados estatísticos da composição étnica locais, que culminou em informações que darão possibilidades de continuidade das ações do projeto em 2019.

“O projeto UBUNTU permitiu o aprimoramento dos alunos da EE Joaquim Eliziário da Silva com a proposição de novas descobertas sobre a cultura afro-brasileira.  Contribuiu para o seu crescimento, possibilitando o seu desenvolvimento no âmbito cientifico por meio da problematização sobre a construção da identidade do corpo negro no município a partir da compreensão de sua ancestralidade”, afirma o professor Willian Godoi, coordenador do projeto na escola.

A diretora, Maria das Neves, ressaltou que “o resultado da pesquisa realizada levantou informações que podem ajudar na construção de políticas públicas de valorização da cultura negra, com formulações de suas demandas socioculturais e contribuindo para o desenvolvimento do município e da microrregião metropolitana do Vale do Aço”.

“Necessária a continuidade da pesquisa, onde ainda há pontos a serem estudados para que assim possa haver um trabalho de fortalecimento da identidade afro-brasileira na comunidade de Santana do Paraíso, visando o sentimento de pertencimento e resgate da cultura negra na região, voltados para a ancestralidade. O Projeto UBUNTU/NUPEAAS na EE Joaquim Eliziário da Silva preservará a metodologia de pesquisa preconizada pelo programa. Há de se recompor o grupo de estudantes e o de representantes do Grupo Guardião, cuidando-se das ações de desenvolvimento dos trabalhos, sobretudo os de monitoramento e avaliação”, afirma ainda o coordenador Godoi.

Até o final do ano de 2019, como legado, informações mais consistentes e precisas sobre a ancestralidade dos habitantes do município serão divulgadas e postas a seu serviço. Os resultados da segunda fase da pesquisa serão apresentados em artigo científico a ser elaborado pelos atores do projeto.

Em trabalho também ousado, a escola pretende contribuir com a Comunidade do Achado, localidade rural do município de Santana do Paraíso, na autodefinição e autodeclaração de seus habitantes como remanescentes de povo quilombo ou de população negra. A intenção é de instruir, junto às autoridades competentes e à Fundação Cultural Palmares, processo jurídico para sua certificação como comunidade quilombola, uma vez que já há o seu reconhecimento como localidade de remanescentes africanos.

O Projeto UBUNTU/NUPEAAS e a Lei nº 10.639 de 2003

UBUNTU/NUPEAAS é uma ação da campanha de afroconsciência. De forma geral, deve instituir a pesquisa que olhe para as comunidades, que pense os sujeitos e que dialogue com as diferentes identidades existentes no ambiente escolar. Aplica metodologia específica de pesquisa, utilizando indicadores de qualidade para educação das relações étnico-raciais e possibilitando o monitoramento e aplicabilidade da Lei nº 10.639 de 2003, que versa sobre o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana, destacando sua importância para a formação de nossa sociedade.

A Lei nº 10.639 de 2003 tornou obrigatório o ensino de história e cultura afro-brasileira nos estabelecimentos de educação básica. De acordo com o texto, os estudos devem ser ministrados permeando o currículo escolar, de forma a resgatar a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política brasileira. A implementação dessa lei significa uma ruptura profunda com um tipo de postura pedagógica que não reconhece as diferenças resultantes do processo de formação nacional brasileiro.

Dessa forma, o Projeto UBUNTU/NUPEAAS tem o objetivo de fomentar, por meio de diferentes iniciativas, ações nas escolas para a superação do preconceito racial, na busca pelo reconhecimento e valorização da história e da cultura dos africanos na formação da sociedade brasileira, além de iniciativas que enfrentem o racismo e promovam a igualdade racial no âmbito educacional no Estado.

Banner do seminário de 2018

Banner Seminário UBUNTU 2018

EE Joaquim Eliziário da Silva
EndereçoR. Samambaia, 2 – Águas Claras, Santana do Paraíso – MG, 35167-000 

………………………………………………………………………………………………..
Com informações: Educação MG e escola