Arquivo da tag: PNAE

SRE DE CORONEL FABRICIANO ABRE MATRÍCULA PARA CURSOS DO PROGRAMA FORMAÇÃO PELA ESCOLA


O Programa Formação pela Escola oferecido pelo FNDE está com matrículas abertas para os cursos FUNDEB e Programa Nacional da Alimentação Escolar (PNAE) com turmas em novembro e dezembro de 2019.
Os cursos são totalmente à distância e todos os interessados podem se inscrever através do formulário disponibilizado pelo link abaixo até o dia 20/10/2019.
Leia mais:

FORMAÇÃO PELA ESCOLA

O que é?

O Formação pela Escola (FPE) é um programa de formação continuada, na modalidade a distância, que tem por objetivo contribuir para o fortalecimento da atuação dos agentes e parceiros envolvidos com a execução, o monitoramento, a avaliação, a prestação de contas e o controle social dos programas e ações educacionais financiados pelo FNDE.

A quem se destina?

Destina-se a cidadãos que exerçam funções de gestão, execução, monitoramento, prestação de contas e controle social de recursos orçamentários dos programas e ações financiados pelo FNDE, como profissionais de educação da rede pública de ensino, técnicos, gestores públicos estaduais, municipais e escolares, membros do comitê local do Plano de Ações Articuladas (PAR) e dos conselhos de controle social da educação (Conselho Municipal de Educação – CMM; Conselho Escolar – CE; Conselho de Alimentação Escolar – CAE; Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb – CACS/Fundeb) que atuem no segmento da educação básica e qualquer cidadão que tenha interesse em conhecer as ações e os programas do FNDE.

Fonte: FNDE

Alimentação Escolar na rede estadual de ensino vai ganhar reforços em 2018


Novidades abrangem qualificação de equipes e aprimoramento das refeições

Novos e melhores cardápios e capacitação dos profissionais que lidam com a alimentação são as prioridades da Secretaria de Estado de Educação (SEE), por meio da Superintendência de Infraestrutura Escolar, para fomentar as políticas de alimentação escolar na rede estadual de ensino em 2018.

Para isso, a Diretoria de Suprimento Escolar, responsável por orientar e exigir o cumprimento do Plano Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), estabelecido pela legislação federal, vai intensificar o trabalho realizado em 2017, que resultou em importantes conquistas para a rede estadual: a contratação de 54 nutricionistas, uma para cada Superintendência Regional de Ensino (SRE) e sete para o órgão central da SEE; e a capacitação de mais de três mil diretores, vice-diretores e equipes administrativas e de mais 12 mil cantineiras, que representam 30% dos Auxiliares de Serviço da Educação Básica (ASBs) em Minas Gerais.

De acordo com a nutricionista e coordenadora do PNAE na SEE, Tatiane Guimarães Perri Maciel, em 2017 foram realizadas 2.584 visitas a escolas estaduais para a qualificação das equipes que lidam direta ou indiretamente com a alimentação escolar.

“Em vista do trabalho que realizamos no ano passado, acreditamos que em 2018 tende a ser muito melhor. As novas capacitações começarão a partir de março, já que os ASBs começam a trabalhar neste mês, em função dos processos de designação. Queremos treinar todos desde o início, para que possam desempenhar suas atividades com eficiência e qualidade durante todo o ano”, explicou Tatiane.

O acompanhamento das escolas pelas nutricionistas em cada SRE, de acordo com Tatiane, tem sido fundamental para mapear as realidades, dificuldades e as especificidades de cada território no que diz respeito à alimentação escolar.

“O trabalho destas profissionais tem nos mostrado, por exemplo, as dúvidas das cantineiras em relação às orientações e exigências da legislação, entre vários outros processos que são importantes para fazer uma análise de como tem funcionado a alimentação escolar no Estado como um todo”, afirmou a nutricionista. Neste caso, as nutricionistas não só acompanham o trabalho de todas as escolas, como também ficam à disposição para tirar dúvidas e orientar o cumprimento dos cardápios estabelecidos pela SEE.

Além disso, o conhecimento adquirido por meio dessa assistência dada pelas nutricionistas tem sido primordial para elaboração e melhoria das novas cartilhas do cardápio escolar das escolas estaduais de Minas Gerais em 2018.

“Conseguimos esquematizar, por exemplo, os alimentos regionais que as escolas têm mais facilidade de adquirir, os ingredientes que eles realmente utilizam e os que têm vontade de utilizar, as preparações que os alunos mais gostam, enfim, todas as informações valiosas para se conseguir elaborar um cardápio nutritivo, de acordo com as normas exigidas por lei e que agradem os alunos e promova a saúde e o bem estar”, finalizou Tatiane.

Os novos cardápios serão lançados em breve e serão divididos em quatro cartilhas: Educação Regular, Educação Indígena e Quilombola, Creches e Educação Integral e Integrada. Assim que forem publicados, a Secretaria de Educação fará ampla divulgação dos novos planos alimentares para a rede estadual de ensino.

Agência Minas

MEC repassa R$ 394,4 milhões para a alimentação escolar


A sexta parcela de 2017 do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) será creditada até este sábado, 5, nas contas-correntes de estados e municípios. Os repasses totalizam R$ 394.454.478,00 e serão feitos pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao Ministério da Educação.

Somente este ano, o FNDE já repassou R$ 2,2 bilhões para alimentação escolar. Os recursos do Pnae são liberados em dez parcelas, de forma a cobrir os 200 dias do ano letivo da educação básica. As secretarias da educação, responsáveis pelas redes de ensino, recebem os valores e operam a alimentação escolar.

São atendidos pelo Pnae os alunos de toda a educação básica (educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e educação de jovens e adultos) matriculados em escolas públicas, filantrópicas e em entidades comunitárias (conveniadas com o poder público). Um mínimo de 30% dos recursos transferidos deve ser utilizado na compra de produtos da agricultura familiar.

“O Pnae é um programa extremamente importante, pois garante a alimentação de 40 milhões de estudantes por dia, o que representa 50 milhões de refeições diárias”, reforça o diretor de ações educacionais do FNDE, José Fernando Uchoa.

Assessoria de Comunicação Social do MEC