Arquivo da tag: SALÃO DO LIVRO VALE DO AÇO

SALÃO DO LIVRO DO VALE DO AÇO – PROGRAMAÇÃO ESPECIAL DE PALESTRAS


Superintendência Regional de Ensino de Coronel Fabriciano é parceira da 11ª  Edição do Salão do Livro que traz o tema “Sustentabilidade”

salao

Há mais de uma década o projeto Salão do Livro Vale do Aço desempenha um importante papel na região, promovendo o hábito da leitura, a literatura e a arte em geral por meio de sua variada programação cultural, uma geração inteira que cresceu participando do evento.

O Salão do Livro Vale do Aço aborda a literatura de forma lúdica em sua grade de programação cultural, composta por oficinas, apresentações teatrais e musicais, exposições, bate-papos com escritores, lançamentos literários, além da Feira de Livros com as principais editoras e distribuidoras nacionais.

O 11º Salão do Livro Vale do Aço será realizado na semana de 15 a 20 de maio de 2018, no Centro Cultural Usiminas, em Ipatinga/MG. 

Para saber mais, acesse o link: www.salaodolivrovaledoaco.com.br

Conheça a programação completa:

http://www.salaodolivrovaledoaco.com.br/programacao.php

Veja a Programação Especial de Palestras:

 

Data: 17/05/18 –  Projeto Kombosa Seletiva (Palestrante: Sérgio Bispo)

Local: EM Profª Petrina Ricardo – Município de Joanésia (19h)

Data: 18/05/18 –  Podem Nossos Hábitos Alimentares Contribuir para a Sustentabilidade? (Palestrante: Ana Paula Radishai Pacífico Homem)

Local: Faculdade Pitágoras – Bairro Cidade Nobre (19h)

Anúncios

NOTÍCIAS DO SALÃO DO LIVRO VALE DO AÇO (21/05)


SEMINÁRIO REÚNE 2 MIL EDUCADORES

Grande novidade no Salão do Livro Vale do Aço, o 1º Seminário de Literatura, que começou na quarta-feira (18/5), encerrou na sexta-feira (20/5) com a mesa redonda “O Fazer: Experiências para o desenvolvimento Humano. Para debater o assunto, o Teatro do Centro Cultural Usiminas recebeu Marilda Castanha e Eliane Gladyr, com mediação de Beatriz Myrrha.

Eliani Gladyr é coordenadora da Divisão de Coleções Especiais da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa. Durante a mesa-redonda, a convidada descreveu suas experiências à frente da biblioteca. “Dança, música, espetáculos, contação de histórias, sessões de cinema e exposições são mecanismos para fazer as pessoas visitarem e gostarem da biblioteca. O trabalho social e inclusivo na biblioteca transformam o espaço e as pessoas que o acessam cada vez mais”, revelou.

Também convidada da mesa-redonda “O Fazer”, a ilustradora Marilda Castanha falou sobre referências para ilustrações. “A história da humanidade é registrada por imagens. É preciso ler muito, ver muitos livros, de todos os tipos, para encontrar o seu traço, o a sua forma de ilustrar. É preciso, fazer, criar, usar e abusar da criatividade,” sugeriu a convidada. “O mais importante da ilustração é permitir que o leitor complete a imagem”, concluiu.

Nos dois primeiros dias passaram pelo seminário, Tião Rocha, Rosana Mont’Alverne, Elizete Lisboa, Maria Luíza Bretas, Leo Cunha e Heloísa Davino.

A professora Mariluce Mercês aprovou a iniciativa do Salão do Livro de realizar o Seminário de Literatura e participou das três mesas-redondas. “Foi muito prazeroso ouvir as palestras e conhecer as experiências dos convidados. Para nos educadores, eventos dessa magnitude, que nos permite atualizar os conhecimentos sobre literatura, enriquece não somente o currículo, pois também levamos para a vida”, destacou.

Sucesso de público, o evento reuniu mais de 2 mil educadores de várias cidades da região. Segundo a curadora do Seminário de Literatura do Salão do Livro, Heloisa Davino, a capacitação dos educadores é uma demanda importante quando se pensa em avanços na educação. “O Seminário tem sido um espaço específico para os educadores, onde eles estão trocando conhecimentos, práticas pedagógicas e têm contato direto com os convidados para discutir suas necessidades e realidades da sala de aula”, detalha a curadora.

POESIA E LITERATURA PARA EDUCADORES

O segundo dia do Seminário de Literatura do Salão do Livro Vale do Aço recebeu o jornalista e escritor Léo Cunha e a professora e presidente do Instituto Cultural Goiás Lê Mais, Maria Luiza Bretas, para discutir o tema: “O Ensinar: a formação do profissional da educação”. A mesa-redonda foi mediada pela curadora do Seminário Heloísa Davino.

Léo Cunha levou um sarau para a sua palestra. Declamou poesias e apresentou tipos de poesias para os educadores trabalharem em sala de aula. “Ao longo dos anos, principalmente no Ensino Fundamental, a literatura passa a ficar muito‘escolarizada’, com questões fechadas em provas. A poesia é um gênero literário que permite interpretações mais livres. Para trabalhar em sala de aula, os professores precisam conhecer a poesias para ensinar textos que além da literatura já trabalhada”, disse.

A importância da leitura literária foi a abordagem feita por Maria Luíza Bretas sobre o processo de ensino-aprendizagem na formação do educador. “O professor precisa incluir em sua rotina um tempo para se dedicar à leitura literária. Será que eu me ofereço a felicidade de ser leitor? É preciso nos permitir esse tempo, pois a nossa ferramenta de trabalho é o conhecimento. Não há como a gente ensinar o que não sabemos, dar o que não possui”, ressaltou.

A professora e pedagoga Meirilene Gomes saiu das mesas-redondas inspirada para os seus trabalhos como mediadora de leitura. “O seminário foi encantador. Chuva de poesias, troca de experiências e todas as atrações foram enriquecedoras para nós educadores. Vou levar tudo o que aprendi para as minhas crianças”, elogiou.

Fonte: http://www.salaodolivrovaledoaco.com.br/