Imagens

Final do Prêmio Professores do Brasil será na segunda-feira, 18


“Queremos dar destaque para experiências inovadoras e que sirvam de exemplo e inspiração para outros professores. Muitos vencedores, no início, não acreditavam que a experiência desenvolvida em sala de aula fosse importante e merecesse ser premiada. Esperamos que os professores, dentro das suas realidades, apliquem as experiências. Com isso, vão ganhando confiança e apoio também das escolas”, ressalta o secretário de Educação Básica do MEC, Rossieli Soares.

O valor do prêmio se somará aos R$ 7 mil pagos a cada um dos 30 vencedores da etapa regional, a uma viagem à Irlanda para participação em programa de capacitação apoiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), além de troféu e equipamentos de informática com conteúdo educativo para as escolas em que trabalham.

Os vencedores sairão da lista dos 30 ganhadores regionais nas categorias: educação infantil/creche, educação infantil/pré-escola, ensino fundamental/ciclo de alfabetização, ensino fundamental/quarto ao quinto ano, ensino fundamental/sexto ao nono ano e ensino médio.

Também há a categoria temáticas especiais, que tem entre as premiações uma viagem de uma semana a Londres para participação em atividades educativas, palestras e visitas a museus; R$ 5 mil em dinheiro; e visita ao Núcleo de Alto Rendimento Esportivo de São Paulo. Os vencedores também participam até a esta quarta-feira, 13, de oficinas e palestras na capital paulista.

 “É uma edição especial e a expectativa é grande em relação à participação desses professores. A intenção é valorizar esses profissionais que estão na linha de frente e buscam melhorar a qualidade da educação pública”, reforça o coordenador-geral de Apoio a Certames e Programas Especiais do MEC, Joselino Goulart Junior.

Esta é a décima edição do Prêmio Professores do Brasil, que tem o objetivo de reconhecer e divulgar o trabalho de docentes que contribuam para a melhoria da educação básica, valorizando e estimulando seu papel na formação das novas gerações. Participam do concurso educadores de escolas públicas de todo o Brasil. Durante a cerimônia, será lançado um livro em comemoração às dez edições do prêmio.

Confira os ganhadores da etapa regional e das temáticas especiais no hotsite do prêmio.

Assessoria de Comunicação Social

Anúncios

Candidatos à primeira edição do Sisu já podem consultar vagas


O Ministério da Educação liberou o acesso à consulta de vagas a serem oferecidas na primeira edição de 2018 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). No total, são 239.601 oportunidades em 130 instituições, entre universidades federais, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e instituições estaduais. As inscrições, feitas exclusivamente pela internet, começam em 29 de janeiro e vão até as 23h59 de 1º de fevereiro de 2018, observando o horário oficial de Brasília.

O Sisu é o sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de educação superior oferecem vagas a estudantes com base nas notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O processo ocorre duas vezes por ano e cada candidato pode fazer até duas opções de curso. Podem concorrer estudantes que tenham feito o Enem 2017 e obtido nota acima de zero na prova de redação.

Na página eletrônica do Sisu é possível acessar a lista de cursos, instituições participantes e municípios que oferecem as vagas. Para se candidatar, quando o sistema abrir para inscrições, o estudante precisa acessar o mesmo endereço eletrônico, informar o número de inscrição e a senha do Enem e selecionar, por ordem de preferência, até duas opções de cursos. Essas opções poderão ser modificadas durante todo o período de inscrições. O candidato que não tiver a senha de acesso poderá solicitá-la por meio do link “orientações para recuperação de senha”, disponível na página do Enem.

Durante o período de inscrições, o Sisu calcula a nota de corte para cada curso com base no número de vagas disponíveis e no total de candidatos inscritos em cada curso, por modalidade de concorrência. A nota de corte, no entanto, é somente uma referência para auxiliar o candidato no monitoramento da seleção, não garantindo, necessariamente, a vaga desejada. O resultado da chamada regular sai no dia 2 de fevereiro.

Mais informações podem ser vistas na página do Sisu.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Nota oficial do CNE


O Conselho Nacional de Educação informa que já estão disponíveis na página do CNE, na aba da Base Nacional Comum Curricular, os seguintes documentos: Minuta de Parecer e Projeto de Resolução e Anexo, em http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/base-nacional-comum-curricular-bncc. Na sexta-feira, 15 de dezembro, as discussões sobre a BNCC serão retomadas em Sessão do Conselho Pleno a partir das 9h.

Período de inscrição para o Programa Missão Pedagógica no Parlamento termina amanhã (13/12)


Conclusão com êxito de toda a formação garante uma certificação de 120 horas

O Centro de Formação, Aperfeiçoamento e Treinamento da Câmara dos Deputados está com inscrições abertas até amanhã (13/12) para a oitava edição do projeto Missão Pedagógica no Parlamento. A iniciativa tem o apoio do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

O Missão Pedagógica no Parlamento é uma formação de 120 horas para educadores e educadoras que desejam levar para suas escolas aprendizados sobre cidadania, política, democracia e Poder Legislativo.

O programa compreende duas fases. A fase presencial acontece na Câmara dos Deputados e aborda conteúdos e metodologias sobre educação para a democracia nas escolas e temas relativos ao Parlamento de forma contextualizada e reflexiva. A Câmara dos Deputados custeia passagem aérea, hospedagem, translado e alimentação para os participantes.

Na fase a distância os educadores desenvolvem e aplicam em sua escola um projeto de educação para a democracia, tendo o Poder Legislativo como foco de interesse.

A conclusão com êxito de toda a formação garante uma certificação de 120 horas.

A fase presencial, que acontece na Câmara dos Deputados, em Brasília, está prevista para ocorrer entre os dias 4 e 8 de julho de 2018.

Informações no www.camara.leg.br/evc ou pelo telefone 0800 619 619.

Fonte: Consed

Disponível em: http://www.educacao.mg.gov.br

Estão abertas as inscrições para a 2ª edição do Programa Meu Primeiro Negócio


650 escolas estaduais mineiras poderão participar do programa, que leva a educação empreendedora a jovens do ensino médio. Primeira edição contemplou 120 escolas este ano.

logo

O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) e a da Secretaria de Estado de Educação (SEE), lançou o edital de seleção para a 2ª edição do Programa Meu Primeiro Negócio. A chamada vai selecionar até 650 escolas públicas de Minas Gerais que tenham interesse em executar, como atividade extracurricular, no contraturno escolar, as ações de formação empreendedora para estudantes do ensino médio durante 2018.

O Programa é executado em parceria com a Junior Achievement a partir do programa Miniempresa. A metodologia utilizada é baseada no método “aprender fazendo”, na qual jovens vão poder experimentar práticas em negócios, economia, gestão e operacionalização de empresas durante 12 semanas.

Cada escola selecionada terá um projeto no Meu Primeiro Negócio. O grupo de até 40 alunos vai trabalhar de forma cooperativa, desenvolvendo um negócio. Na primeira edição do Programa, foram contempladas 120 escolas da rede estadual, sendo 57 Escolas Polo de Educação Múltipla (Polem), que participaram das atividades no segundo semestre deste ano.

As escolas interessadas em participar do Programa devem se cadastrar por meio de formulário eletrônico. O edital e o link de inscrições podem ser encontrados no endereço http://www.meuprimeironegocio.mg.gov.br. O prazo de inscrição vai até às 23h59 de 11 de fevereiro de 2018.

Venha ser uma escola participante! Consulte o edital e cadastre sua escola.

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

Hora do Enem inaugura série sobre cursos superiores e carreiras


A partir desta segunda-feira, 11, o programa Hora do Enem, da TV Escola, entra em uma nova fase, que busca auxiliar os estudantes na escolha do curso superior, com a estreia da série Universidades e Carreiras. Em cada episódio, um professor universitário será convidado a falar sobre os diferentes cursos de graduação, as novas tecnologias envolvidas no processo de ensino e as perspectivas das profissões.

Durante a série, também serão apresentadas informações, orientações e depoimentos de estudantes que viveram a experiência da mudança de cidade com a escolha do curso. Eles contarão como foi o processo de adaptação e como está a vida hoje na nova cidade.

Os primeiros cursos abordados no programa serão o de neurociência, com o professor Marcelo Caetano, da Universidade Federal do ABC (UFABC), e o de sistemas de informação, com os professores Macário e Eduardo Almentero, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). No segundo dia, terça-feira, 12, tem vez o curso de turismo, com a professora convidada Carla Borba, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e o de gastronomia, com a professora Ceci Santiago, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Quarta-feira, 13, é o dia de ficar por dentro das áreas de design, com a professora Mariana Monteiro, da Universidade Federal do Ceará (UFC), e de luteria, com o professor Juarez Bergmann, da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O Hora do Enem de quinta-feira, 14, dará informações sobre os cursos de direito, com o professor Ricardo Lodi, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), e de agroecologia, com a professora Adriana Cavalieri, da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar).

A primeira semana da série que ajuda o estudante a decidir sua carreira se encerra na sexta-feira, 15, com enfoque nos cursos de engenharia e de energia e geologia. O primeiro será apresentado pelo professor Martin Paz, da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) e o segundo, pelo professor Arnaldo Queiroz, da Universidade Federal do Pará (UFPA).

O programa Hora do Enem é exibido pela TV Escola de segunda a sexta-feira, às 7h, 13h e 18h.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Inscrições para o Sisu serão abertas em janeiro de 2018


O Ministério da Educação divulgou as regras e as datas para inscrições no processo seletivo da primeira edição de 2018 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), ferramenta pela qual universidades públicas oferecem vagas a candidatos do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). O edital foi publicado nesta sexta-feira, 8, no Diário Oficial da União (DOU).

As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, por meio da página eletrônica do Sisu, e os interessados podem se candidatar no período de 29 de janeiro até as 23h59 do dia 1º de fevereiro, observando o horário oficial de Brasília.

Podem concorrer às vagas estudantes que tenham feito o Enem 2017 e obtido nota acima de zero na prova de redação. No total, são 239.601 vagas de graduação.

Para 2018, 130 instituições de ensino superior ofertam vagas no Sisu. Dessas, 30 são instituições públicas estaduais, que envolvem centros universitários (1), faculdades (7) e universidades (22); e 100 são públicas federais, com centros de educação tecnológica (2), faculdades (1), institutos federais de educação, ciência e tecnologia (36) e universidades (61).

 “O Sisu é uma ferramenta de que as instituições públicas podem se utilizar para fazer o processo seletivo”, explica o coordenador-geral de Programas de Ensino Superior do MEC, Fernando Bueno. “Ele é por adesão e não é obrigatório. Das nossas 63 universidades federais, por exemplo, atualmente 61 já ofertam vagas”.

Assim como nos anos anteriores, serão abertos dois processos seletivos. O primeiro, com inscrições no fim de janeiro de 2018, distribuirá vagas para o primeiro semestre letivo das instituições. O segundo, com inscrições no fim de maio, será destinado ao preenchimento de vagas para o segundo semestre letivo das universidades e institutos federais participantes.

Deslocamento – Uma das grandes finalidades do Sisu é tentar minimizar a questão de deslocamento. “Cada instituição tinha o seu vestibular, em uma data diferente”, lembra Fernando Bueno. “Às vezes havia coincidência de datas e o candidato tinha que optar por um ou por outro. O Sisu veio para unificar.”

Mais informações podem ser vistas na página do Sisu.

Clique aqui para conferir o edital.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

INFORMATIVO 35


COLÓQUIOS CONQUISTAS E DESAFIOS DA PESQUISA SOBRE JOVENS NO BRASIL E AMÉRICA LATINA

  

Entre os dias 14 e 15 de dezembro a Faculdade de Educação da USP sedia o colóquio “CONQUISTAS E DESAFIOS DA PESQUISA SOBRE JOVENS NO BRASIL E AMÉRICA LATINA”. O primeiro colóquio se justifica por dois objetivos centrais: de um lado, é preciso considerar e discutir, de modo sistemático, o acúmulo das investigações realizadas nos últimos 20 anos. De outro lado, o avanço da produção acadêmica exige um esforço contínuo de reflexão, tendo em vista a abertura para novos problemas de pesquisa, categorias teóricas e abordagens metodológicas.

Os estudos da Sociologia da Educação desenvolvidos no Brasil, em particular na FEUSP, estiveram voltados para as múltiplas experiências que constituem os espaços de circulação juvenil, para além da instituição escolar. Por essas razões o alargamento do campo temático compreendendo os espaços extraescolares, tem se revelado uma profícua e legítima forma de realização da pesquisa na área da Educação, a partir de sua “porosidade” e mútua interação com o campo de estudo das Ciências Sociais (Sociologia, Política e Antropologia).

Assim, o Colóquio proposto apresentará como primeiro objetivo a realização de um balanço inicial de trilhas investigativas, sem a preocupação da exaustividade, para a constituição de um corpus de questões que demandam novos empreendimentos de pesquisa. O segundo objetivo recai sobre a formação de uma rede de pesquisadores brasileiros com a perspectiva de abertura para a América Latina e demais países. O Colóquio será o momento propício para estabelecer as primeiras diretrizes e coordenadas que deverão estruturar essa rede, perfilando um conjunto de ações de curto prazo de modo a se efetivar sua criação no Segundo Colóquio, previsto para 2018.

Tendo em vista o leque ampliado de eixos temáticos dos estudos sobre juventude, o Primeiro Colóquio será estruturado em torno de dois eixos: um primeiro – Juventude, Educação e trabalho – diz respeito a dois domínios institucionais da experiência juvenil contemporânea. O segundo eixo – Juventude, ação coletiva e engajamento político – ultrapassa a esfera das instituições e incide sobre as relações dos jovens com a esfera pública por meio das formas variadas das ações coletivas e de engajamento político.

Os professores, membros do Observatório da Juventude, Juarez Dayrell e Geraldo Leão, também farão parte do Colóquio.

As inscrições são gratuitas (até o dia 13 de dezembro) e podem ser realizadas clicando aqui.

Evento no Facebok: https://www.facebook.com/events/374902452954459/

Mais informações: (11) 30918289 e fajardim@usp.br

Secretaria de Educação de Minas Gerais divulga cronograma das designações para 2018


Designações presenciais para ASB acontecem no dia 16/12.
Em janeiro de 2018, será a vez do processo de escolha de vagas por sistema on-line e da designação presencial para professor regente de aulas

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) divulgou no Diário Oficial “Minas Gerais” desta sexta-feira (08/12) o cronograma do processo de designação para o exercício de função pública na Rede Estadual de Educação Básica em 2018, conforme disposições da Resolução SEE Nº 3660/2017, que estabelece normas para a organização do Quadro de Pessoal das Escolas Estaduais e a designação. O cronograma deve ser cumprido pelas Superintendências Regionais de Ensino (SRE), as unidades de ensino e as unidades administrativas do Órgão Central envolvidas direta e indiretamente no processo de designação.

Segundo o cronograma, a chamada inicial para designação presencial para o cargo de Auxiliar de Serviços da Educação (ASB), com vigência de exercício a partir de 01/02/2018, será realizada no dia 16 de dezembro, em polos e horários que serão definidos pelas Superintendências Regionais de Ensino (SREs).

Já a escolha de vagas na designação on-line, em sistema informatizado, deve ser feita no período de 18 a 21 de janeiro de 2018, para os cargos de Professor de Educação Básica (PEB) – Regente de Turma; Analista Educacional/Inspetor Escolar (ANE/IE); Assistente Técnico de Educação Básica (ATB); Especialista em Educação Básica (EEB) – Orientador Educacional ou Supervisor Pedagógico; e Analista de Educação Básica (AEB) – Assistente Social, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Psicólogo ou Terapeuta Ocupacional. O resultado da primeira rodada de atribuição de vagas na designação on-line será divulgado no dia 27/01/18. Os servidores designados via web devem se apresentar na escola de exercício no dia 29 do mesmo mês, de posse da documentação completa para fins de comprovação das informações prestadas e assinatura do contrato. A segunda rodada de atribuição está prevista para o dia 02/02.

De 22/01 a 30/01, será realizada a chamada inicial da designação para os cargos de PEB Regente de Aulas (Ensino Regular, Curso Normal em Nível Médio e Conservatórios de Música). Para esse cargo, a designação será presencial, em locais e horários definidos e divulgados por cada SRE.

Uma novidade para o próximo ano letivo é a antecipação da designação para atuar na Educação Integral do Ensino Fundamental e Educação Profissional Técnica de Nível Médio, para início de exercício a partir de 19/02/2018. O período de designação para essas modalidades será de 07/02 a 16/02/2018.

A vagas disponíveis para designação 2018 serão divulgadas posteriormente pela SEE.

Clique aqui para acessar o cronograma completo.

Candidatos Inscritos

Podem participar do processo de designação para o próximo ano letivo todos os candidatos que se inscreveram na chamada pública realizada pela Secretaria de Estado de Educação de 25/10 a 10/11. O sistema recebeu um total de 631.491 cadastros e 1.354.237 inscrições, uma média de duas por candidato, uma vez que cada pessoa poderia realizar até três inscrições para cargos e localidades distintos. As listagens classificatórias que serão utilizadas tanto para as designações presenciais quanto para as designações on-line estão disponíveis para consulta no site http://www.designaeducacao.mg.gov.br.

A designação é uma forma de preencher interinamente os cargos para garantir o funcionamento das escolas estaduais, conforme o artigo 10 da Lei 10254/1990. O processo é essencial na preparação da rede pública para o início do ano letivo.

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

 

Boletim semanal – Slam das Minas: mulheres na batalha poética


Confira as novidades do Programa
Escrevendo o Futuro
07 de dezembro de 2017
Slam das Minas: mulheres na batalha poética

Em entrevista exclusiva para o Portal Escrevendo o Futuro, integrantes do Slam das Minas – SP contam como trabalham para garantir um espaço seguro para as mulheres se expressarem livremente.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Crônica – paixão movida à leitura e escritaProfessora Maira Andréa Leite da Silva, de Santa Cruz do Sul (RS), nos revela como a fotografia, a música e outras artimanhas foram aliadas nesse verdadeiro jogo de conquista.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Nova formação acontece em João Pessoa, na ParaíbaPrograma Escrevendo o Futuro realiza, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação, formação presencial para professores e técnicos de secretaria.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo SD para todos: como fazer?Professora Olímpia fala sobre o desafio de envolver todos os alunos nas propostas de sala de aula.

Período de matrículas na rede pública de ensino de Minas Gerais começa na próxima segunda-feira (11/12)


A partir da próxima segunda-feira (11/12), pais e responsáveis de estudantes que desejam ingressar na rede pública de ensino em 2017 e fizeram o cadastramento em junho deste ano devem ficar atentos ao período de matrículas. A matrícula deve ser feita, até o dia 15 de dezembro, na escola para o qual o cadastrado foi encaminhado.

Os cadastrados de Belo Horizonte já receberam uma carta com a orientação da escola para qual o foi encaminhado. Já os estudantes no interior devem procurar os postos de cadastramento de seu município ou a Superintendência Regional de Ensino (SRE) da localidade para saber para qual escola foi encaminhado.

O candidato que fizer a matrícula dentro do prazo estabelecido terá sua vaga assegurada em uma escola pública próxima à sua residência para a qual ele foi encaminhado por meio do Cadastramento Escolar. Aquele que não se matricular no prazo previsto será encaminhado para uma escola onde houver vaga remanescente.
Para a efetivação da matrícula, além do preenchimento da ficha de matrícula, deverão ser entregues, obrigatoriamente, na secretaria escolar:
– cópia e original da conta de luz da residência do candidato, em conformidade com o endereço atestado na inscrição;
– CPF do responsável;
– cópia e original da certidão de nascimento ou carteira de identidade do aluno;
– comprovante de escolaridade, quando for o caso de transferência de outros municípios ou rede privada, retorno aos estudos ou cursos da EJA.

Os estudantes que porventura tenham perdido o período do cadastro ainda terão o direito à educação pública garantido. Nesse caso, o interessado deverá procurar, após o período de matrícula dos cadastrados, uma unidade do seu interesse para verificar a disponibilidade de vaga ou a secretaria municipal de educação ou ainda a Superintendência Regional de Ensino da sua localidade, que irá encaminhá-lo para uma escola em que haja vaga remanescente. Continuar lendo Período de matrículas na rede pública de ensino de Minas Gerais começa na próxima segunda-feira (11/12)

Inep divulga os microdados do Enem 2016


Os Microdados do Enem 2016 já estão disponíveis para consulta no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O objetivo da publicação é desenvolver e disseminar avaliações e informações educacionais, já que os microdados permitem acessar informações específicas, gerando análises mais aprofundadas por parte de pesquisadores, jornalistas e gestores públicos, por exemplo. Os microdados podem ser acessados por programas estatísticos.

Nos Microdados do Enem são disponibilizadas as provas, os gabaritos, as informações sobre os itens (questões), além das notas e o questionário respondido pelos inscritos em 2016. Para facilitar a utilização dos resultados, o arquivo principal, “Microdados _Enem_2016”, contém os questionários, congregando, em um único arquivo, as informações disponibilizadas sobre os participantes do Enem. As informações referentes aos itens estão em uma planilha específica. Já o Dicionário contém informações sobre as variáveis contidas em cada base.

Os dados são disponibilizados em formato “.csv” (formato de arquivo que contém valores separados por delimitador com ponto e vírgula) e os inputs para a leitura desses arquivos foram elaborados utilizando os softwares SAS e SPSS. Os inputs trazem a possibilidade de carregar os rótulos juntamente com os dados, o que facilita o manuseio pelo usuário, ao tornar sua utilização mais intuitiva e imediata. Isso não dispensa a consulta ao Dicionário de variáveis e às provas para obter uma compreensão mais completa da organização do banco de dados e da própria estrutura dos instrumentos utilizados.

Se o usuário desejar, poderá não usar os inputs para abrir as bases, pois o formato “.csv” também foi adotado por facilitar a leitura dos arquivos, independentemente do software estatístico utilizado. No Dicionário, os dados também foram disponibilizados em formato “.ods”, para atender à política de dados abertos. Foi criada também uma base contendo informações sobre as provas, chamada “Itens_Prova_2016”. Nela, para cada tipo de prova, foram carregadas as informações de posição do item na prova, habilidade, cor da prova, área de conhecimento e gabarito.

Clique aqui para acessar os microdados

Fonte: INEP

Gabarito oficial do Encceja 2017 e Cadernos de Questões já estão disponíveis


O gabarito oficial do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2017 já está disponível no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). No mesmo endereço é possível fazer o download dos Cadernos de Questões. No total, são 32 opções: quatro áreas de conhecimento; nos formatos regular, ledor, ampliada, superampliada, tanto para o Ensino Fundamental quanto para o Ensino Médio.

O Encceja Nacional 2017 foi aplicado em 19 novembro. Para o Ensino Fundamental as provas foram de Ciências Naturais; História e Geografia; Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física e Redação; e Matemática. Para o Ensino Médio, de Ciências da Natureza e suas Tecnologias (Química, Física e Biologia); Ciências Humanas e suas Tecnologias (História, Geografia, Filosofia e Sociologia); Linguagens e Códigos e suas Tecnologias e Redação (Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes e Educação Física); e Matemática e suas Tecnologias.

Clique aqui para acessar os gabaritos e Cadernos de Questões

Fonte: INEP

Comissão Articuladora do Fórum Mineiro transmitirá ao vivo reunião para construção da identidade profissional e aperfeiçoamento de práticas da educação infantil


IMG_7369.jpg
Conteúdo on-line, por meio de transmissão simultânea, estará disponível amanhã (07/11) no YOUTUBE. Para acessá-lo, o usuário deverá entrar no mecanismo de busca e escrever FAE/UFMG Reunião da Comissão Articuladora do FMEI.
Confira a pauta da REUNIÃO DA COMISSÃO ARTICULADORA DO FMEI – 2017:

Local: Faculdade de Educação /UFMG – Av. Antônio Carlos, 6627, Auditório Neidson Rodrigues.

PAUTA MANHÃ

8:30 – Abertura da reunião.

9:00 às 10:30 – Desafios atuais da Educação Infantil Pública em Minas Gerais: pautas prioritárias do FMEI. O FMEI fará uma breve apresentação, contextualizando a Educação Infantil Pública em MG e resgatando questões importantes do Encontro Nacional MIEIB. Após esta apresentação será aberto o debate para que os participantes contribuam e se posicionem.

10:30 às 10:45 – lanche

10:45 às 12:00 – Roda de Conversa:. Linhas de ação para o FMEI em 2018: parcerias e estratégias de luta. A partir do que for debatido na mesa anterior um grupo de representantes do FMEI coloca questões geradoras para avançar na definição de pautas, ações estratégicas e Grupos de trabalho – cronograma de encontros em BH e dos regionais. um(a) mediador(a) e 2 profissionais responsáveis pelo registro.

Almoço – !2:30 às 13:30

PAUTA TARDE

 14:00 – 15:30-  Política e Educação Infantil no Brasil/Minas Gerais hoje

Palestrantes  (Secretária de Estado da Educação de MG – profa Macaé Evaristo, Deputado Patrus Ananias e Maria da Glória Giudice.

  • 15:30 – 16:00 – Encerramento

 

 

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O 2º CONCURSO DE DESENHOS PARA ESCOLHA DA IDENTIDADE VISUAL DA SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA – EDIÇÃO 2018


Concurso tem como objetivo selecionar e premiar o desenho que representará a identidade visual da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2018 (SNCT), utilizada nos documentos, mídias, portais e materiais gráficos, visando o estímulo à criatividade, à difusão e à divulgação da ciência no Brasil

download

O tema de 2018, “Ciência para a Redução das Desigualdades”, deve servir de base para a criação do desenho deste concurso, destinado aos alunos do ensino fundamental, médio e do ensino profissionalizante de escolas públicas e privadas, devendo as escolas se responsabilizarem pela realização da etapa interna de pré-seleção dos trabalhos e envio das melhores propostas.

Link do edital: https://drive.google.com/file/d/14PSY-NpIYfyHoycG-rYZl-7uQZ0oal2t/view

 

Pesquisa do Cefet de Minas pretende promover uso positivo do telefone celular em sala de aula


O diferencial do projeto é o desenvolver uma forma de driblar a dispersão que o uso dos celulares costuma ocasionar  (Arte: ACS/MEC)
O uso do celular em sala de aula é tema de uma pesquisa do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) de Minas Gerais. O trabalho teve início em 2016 no campus de Varginha, e se propõe a desmitificar o uso dos aparelhos telefônicos, mostrando de que forma eles podem ser aliados do professor e criar uma consciência entre os alunos, evitando a dispersão.

Intitulada É pra copiar ou posso tirar foto?, a pesquisa partiu de um clássico exemplo que já rendeu vários debates entre professores e alunos: o fato de tirar foto do assunto escrito no quadro, ao invés de copiá-lo no caderno. “A princípio pesquisamos se os alunos que tiravam fotos retornavam àquelas imagens, isto é, se viam as fotos que eles tiravam do quadro”, explicou o orientador da pesquisa, o professor Lázaro Eduardo da Silva, de Ciências da Computação. “Com esses dados, verificamos alguns comportamentos e o próximo passo será ir até os professores e identificar programas e softwares que seriam interessantes para as disciplinas deles.”

A pesquisa sugere o uso de aplicativos livres ou gratuitos que possam ser baixados por todos os alunos de maneira a acompanhar a explanação do professor, como explica Silva. Ele cita um aplicativo de fotos de satélite para as aulas de geografia. “No momento em que o professor de geografia quiser mostrar uma região ele pede para o aluno entrar em um aplicativo a partir do celular e consegue que todos sigam o raciocínio dele olhando as localizações”, contou.

O professor Lázaro adverte, porém, que o celular deve ser visto com cuidado para que não substitua, por completo, a escrita dentro da sala de aula, tampouco interrompa o processo educacional. “No momento em que o aluno entender que pode usar o telefone, mas com o objetivo específico para o conteúdo que está sendo lecionado, aí acreditamos que vai obter resultados melhores do celular dentro da sala de aula”, explicou.

Assim como em boa parte das escolas em todo o país, no Cefet-MG o uso do celular por parte dos alunos em sala de aula é proibido, salvo poucos casos em que o aparelho é usado para funções específicas.  A pesquisa já foi apresentada durante a 26ª Mostra Específica de Trabalhos e Aplicações (Meta) 2016 do Cefet-MG e durante a Semana Ciência e Tecnologia (C&T) do campus Varginha. Ela é coorientada pela professora Edilaine Gonçalves Ferreira e mantém um aluno bolsista do segundo ano do curso de informática.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Com participação da comunidade, escola de Santa Catarina ganha Prêmio Gestão Escolar 2017


 

A entrega do Prêmio Gestão Escolar 2017, promovido pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ocorreu nesta segunda-feira, 4, em Bonito (MS). A vencedora foi a Escola de Ensino Fundamental Mont Alverne, de Ituporanga (SC), com um projeto de gestão pedagógica participativa, que envolve pais e comunidade no planejamento das ações da escola.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, que participou da cerimônia, destacou a importância de difundir bons exemplos para o surgimento de novas práticas positivas na educação pública brasileira. “Este é um momento importante, que celebra a gestão escolar de excelência, e é um dos caminhos para que a gente possa ter uma gestão pública de qualidade. Gera bons exemplos e essa referência positiva tem um efeito multiplicador positivo”, disse.

Outro exemplo de boa prática de gestão do trabalho vencedor foi a revitalização da biblioteca, que passou a ter um cantinho da leitura. Além disso, a escola passou a realizar uma avaliação institucional, para verificar como os pais e comunidade escolar estão percebendo a escola.

“Este é um prêmio que envolveu muitas pessoas. Tivemos toda a comunidade escolar trabalhando por ele, uma equipe realmente empenhada e dedicada para trazer uma educação de qualidade. Que a gente possa trazer mais a comunidade escolar para participar de uma gestão democrática, desde a elaboração e avaliação das ações”, comemorou a diretora da escola, Viviane Rosa Bennert.

Na opinião do ministro Mendonça Filho, é preciso difundir bons exemplos na educação pública brasileira (Foto: André Nery/MEC)

Prêmio – Criado em 1998, o Prêmio Gestão Escolar busca reconhecer projetos inovadores e gestões competentes na rede pública de educação básica de todo o país. “Uma boa gestão faz toda a diferença. Quem está aqui hoje, realmente, teve uma história diferenciada”, disse a secretária de Educação do Mato Grosso do Sul, Cecília Motta, durante o evento. Na edição deste ano, concorreram 4.119 escolas, das quais cinco chegaram à fase final.

Além da escola catarinense vencedora, participaram da última etapa as seguintes instituições: Escola Estadual Waldemir Barros da Silva, de Campo Grande (MS); Escola Dário Gomes de Lima, de Flores (PE); o Centro de Atenção à Criança Girassol de Tempo Integral (Caic), situado em Palmas; e a Escola Estadual de Ensino Fundamental Jones José do Nascimento, de Serra (ES).

O prêmio foi composto pelas etapas estadual, regional e nacional. Para participar, era necessário produzir uma avaliação dos processos de gestão junto à comunidade escolar e, a partir dela, elaborar um plano de ação que respondesse às necessidades apontadas como prioritárias. Na última etapa, os cinco diretores regionais vencedores foram entrevistados e passaram por uma audiência com coordenadores estaduais, especialistas em educação e representantes das instituições parceiras do prêmio.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Política de Educação Conectada levará internet de alta velocidade a escolas públicas até 2024


O presidente da República, Michel Temer, e o ministro da Educação, Mendonça Filho, lançaram no dia 23 de novembro, em cerimônia no Palácio do Planalto, a Política de Inovação Educação Conectada, programa que prevê a maior ação de conectividade na rede de ensino brasileira das últimas duas décadas. A nova política, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), tem o objetivo de universalizar o acesso à internet de alta velocidade nas escolas, a formação de professores para práticas pedagógicas mediadas pelas novas tecnologias e o uso de conteúdos educacionais digitais em sala.

educacao_conectada_interna

“Vamos trazer de vez o mundo digital para as nossas escolas. Não se trata apenas de entregar equipamentos e de promover acesso à educação. Mas, trata-se, mais do que tudo, de preparar nossos jovens para interagir com uma realidade que se renova a cada dia”, frisou o presidente Michel Temer.

Mendonça Filho destacou que esta é mais uma importante contribuição na direção da modernização da educação. “Para termos qualidade, precisamos ter uma base comum bem definida, professores bem formados, preparados e valorizados, e tecnologia que proporcione aquilo que o mundo desenvolvido já alcançou. É justamente o intento desse projeto: queremos que a infraestrutura avance, garantindo conectividade com a internet que vem de fora e com a distribuição dos sinais dentro da escola”, enfatizou.

Na fase de indução da ação, até o final de 2018, o MEC deve investir R$ 271 milhões. Desse montante, R$ 255,5 milhões serão para melhoria da infraestrutura e conexão das escolas, o que inclui a ampliação da rede terrestre de banda larga, serviços de conectividade, infraestrutura de wi-fi, compra de dispositivos e aquisição de um satélite que vai levar internet de no mínimo 10 Mb a escolas da zona rural, locais em que a estrutura terrestre não é viável ou é dispendiosa. O satélite de monitoramento, orçado em R$ 120 milhões, a serem pagos com recursos do MEC, será contratado em parceria com o MCTIC.

Continuar lendo Política de Educação Conectada levará internet de alta velocidade a escolas públicas até 2024

Educação Integral para o Ensino Médio


O Programa Jovens Urbanos, em parceria com a Secretaria do Estado de Educação de Minas Gerais, lançou uma série de vídeos inspirados nos conteúdos do livro “Itinerário para as juventudes e a educação integral”. As produções apresentam conceitos e práticas sobre educação integral e juventude, com o objetivo de apoiar professores e gestores escolares do Ensino Médio.

O primeiro vídeo parte da provocação “De qual educação integral estamos falando?”. Os demais apresentam práticas que podem ser incorporadas ao cotidiano da escola, como a exploração do território e os planos participativos.

Confira os vídeos:

Vídeo – Educação Integral

 

Vídeo – Exploração do Território

 

Vídeo – Escuta

Clique aqui para saber mais

 Fonte: https://www.escrevendoofuturo.org.br/conteudo/noticias/educacao-e-cultura/artigo/2449/educacao-integral-para-o-ensino-medio

Publicada resolução que estabelece normas para a organização do Quadro de Pessoal das escolas estaduais de Minas Gerais em 2018


Documento também define critérios para a designação de servidores para atuar no próximo ano letivo

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE) publicou, na edição deste sábado (02/12) do Diário Oficial Minas Gerais, a Resolução SEE nº 3.660, de 01 de dezembro de 2017, que normatiza todo o funcionamento das escolas estaduais de Minas Gerais para o ano letivo de 2018. O documento estabelece normas para a organização do quadro de pessoal das escolas estaduais e a designação para o exercício de função pública na rede estadual de educação básica.
A resolução traz as definições sobre distribuição de cargos, aulas e funções, quantitativo de servidores para formação do quadro de pessoal das escolas, além das regras para a realização do processo de designação, segundo parâmetros já definidos na resolução das inscrições. As regras evidenciam a priorização da contratação dos candidatos habilitados e qualificados para o exercício da função. A resolução define ainda que somente haverá designação de servidor para o exercício de função pública, em cargo vago ou substituição, quando não existir servidor efetivo que possa exercer a função.
Segundo o subsecretário de Gestão de Recursos Humanos, Antonio David Sousa Junior, neste ano, a publicação da resolução se deu de forma antecipada em relação aos outros anos, com o objetivo de garantir mais tempo para as escolas se organizarem, com mais tranquilidade, para o início do próximo ano letivo.
“A antecipação da publicização deste documento era uma demanda da comunidade escolar e simboliza o nosso respeito ao justo direito dos servidores de conhecerem essas informações para se organizarem e planejarem o próximo ano. Mas, além disso, é interessante destacar um amadurecimento na definição dessas regras, com poucas diferenças em relação ao ano anterior, já que trabalhamos para alcançar um equilíbrio, uma estabilidade, com o aperfeiçoamento dessas normas, de forma que elas tenham um caráter mais permanente, garantindo mais confiança e tranquilidade aos servidores”, aponta Antonio David. De acordo com o subsecretário, antes de sua publicação, o documento ficou disponível durante 30 dias para análises e considerações das Superintendências Regionais de Ensino, entidades sindicais e gestores, evidenciando uma construção de caráter coletivo.
Designação
As vagas de designação aprovadas pela Secretaria de Estado de Educação (SEE), definidas a partir do Plano de Atendimento para 2018 serão divulgadas por meio de editais em sitio eletrônico da SEE e afixados na própria escola, na Superintendência Regional de Ensino e em locais públicos previamente definidos. O cronograma para as designações e as vagas disponíveis serão divulgados posteriormente, em data a ser definida.

Continuar lendo Publicada resolução que estabelece normas para a organização do Quadro de Pessoal das escolas estaduais de Minas Gerais em 2018

Newsletter de 03/12/2017 – Grupo Entre Folhas


Confira as últimas publicações do Grupo Entre Folhas – Práticas Integrativas

Apoio da Universidade Federal de Viçosa

www.entrefolhaspi.eco.br
03/12/2017

Cartilha Cores da Terra

Resgate de conhecimentos tradicionais sobre técnicas de extração e produção de tintas com pigmentos, base e aglutinantes naturais para a pintura de edificações e peças de artesanato, aperfeiçoamento das técnicas, treinamento para a produção e aplicação das mesmas e capacitação de multiplicadores.

Leia Mais

A ARTE DA GUERRA | Sun Tzu

A Arte da Guerra é um dos maiores tratados de estratégia de todos os tempos. Uma resenha comentada de um livro que ultrapassou as barreiras do tempo e nos traz ensinamentos que levaremos conosco ao longo da vida na busca de nossas vitórias

Leia Mais

O QUE É FILOSOFIA? Por CyberSophia

A filosofia investiga como se pode viver melhor (ética), que tipos de coisas realmente existem e quais são suas verdadeiras naturezas (metafísica), o que pode ser considerado conhecimento legítimo (epistemologia), e quais são os princípios corretos do raciocínio (lógica). Derivada do grego, a palavra filosofia (φιλοσοφία) significa ‘amor à sabedoria’, associando phílos (φίλος) ‘amigo, ou amante’ a sophia (σοφία) ‘sabedoria’.

Leia Mais

Des-Pensando o racismo colonial

Nesse livro, o casal ataca o problema de como os meios de comunicação em massa – a indústria cultural, ou do espetáculo – afetam nossa vida, ou vice-versa. O livro questiona profundamente as estruturas de poder indo muito além da mera análise de discurso, mas também mostrando como se relacionam elementos discursivos e imagens que sustentam esse poder e também emanam dele. Com isso, conseguem mostrar como nosso imaginário foi genuinamente colonizado, quer dizer, como nossa maneira de ver e de entender o mundo é formatada por imagens chamadas de “eurocêntricas”. O principal agente dessa colonização (como se fosse preciso dizer) é o cinema

Leia Mais

Banco Mundial: ajuste regressivo e antidemocrático

O Banco Mundial, por meio de seus documentos oficiais, ou mesmo por seus consultores, é pródigo em fazer recomendações que, a despeito de pressupor escolhas, assumem a força coercitiva de condicionalidades. Se os governos não cumprirem as reformas recomendadas são sancionados negativamente pela banca internacional e podem perder o importante aval do próprio banco ou de sua instituição coirmã, o FMI, restando à margem do sistema econômico internacional. Por isso, sempre é importante analisar com cuidado as suas recomendações e lições.

Leia Mais

Água, o grande desafio

Quando lidamos com o meio ambiente não podemos tratar deste direito fundamental como se fosse um produto empresarial, uma mercadoria, quando contratos e regras são determinados a portas fechadas em reuniões entre pares. Pelo contrário, devem acontecer com o coletivo da sociedade

Leia Mais

Link para o Facebook do Grupo Entre Folhas

Fonte: www.entrefolhaspi.eco.br

10 DOCUMENTÁRIOS PARA ENTENDER E DEBATER A LUTA CONTRA RACISMO E A IGUALDADE RACIAL


A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE) realizou no mês de novembro diversas atividades em celebração ao Dia da Consciência Negra, como culminância de vários projetos desenvolvidos ao longo do ano nas escolas estaduais. Comemorado no dia 20 de novembro, a data foi escolhida para homenagear Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, no dia de sua morte.

A igualdade, direito básico dentro dos Direitos Humanos, é um tema intensamente debatido hoje, e não é para menos. Basta olhar os veículos de comunicação e até mesmo as redes sociais para se deparar com notícias, textos, relatos e comentários sobre casos de racismo. A SEE acredita que a luta contra o racismo deve ser constante e desenvolve, por meio da Superintendência de Modalidades e Temáticas Especiais de Ensino, o fortalecimento da Campanha Afroconsciência.

A fim de colaborar com a proliferação das discussões sobre racismo, o BLOG EDUCAÇÃO lista 10 filmes documentários, que têm a questão racial como tema central. Uma indicação também do BLOG é a plataforma AFROFLIX, que disponibiliza filmes, séries, web séries, programas e videoclipes que são produzidos, escritos, dirigidos e/ou protagonizados por pessoas negras.

Confira abaixo os documentários selecionados:

1.    A 13ª Emenda (2016)

A abolição da escravidão não impediu que a população negra dos Estados Unidos continuasse sofrendo discriminação, abusos e seguisse até hoje sendo continuamente encarcerada a fim de garantir interesses sociais e econômicos das classes ricas – não por coincidência formada por maioria branca. Essa é a tese levantada por 13ª Emenda, da aclamada diretora Ava DuVernay (Selma). Ao lançar mão de estatísticas, entrevistas com ativistas, especialistas, políticos e estudiosos, o filme prova que a desigualdade racial na América ainda está longe de ser vencida.

2.    Negrxs Dizeres (2015)

O que é o racismo? Essa instituição tem várias faces e muitas máscaras. O objetivo desse documentário é arrancar essas máscaras e mostrar as consequências do racismo, a longo prazo, na vida do negro. Direção, roteiro e produção de Hugo Lima.

3.    Os Panteras Negras: Vanguarda da Revolução (2015)

O Partido dos Panteras Negras para Autodefesa surgiu na década de 60, nos Estados Unidos, com o objetivo de combater as condições de extremo racismo que assolava os negros, resultante em boa parte do passado escravocrata do país. Adeptos do armamento da população negra para enfrentamento da violência do Estado, o grupo trouxe novas e controversas questões à tona sobre a problemática do racismo. Neste documentário, dirigido por Stanley Nelson, é possível acompanhar diferentes pontos de vista de figuras que participaram direta ou indiretamente do movimento, incluindo policiais, jornalistas, informantes do FBI e integrantes do partido.

Continuar lendo 10 DOCUMENTÁRIOS PARA ENTENDER E DEBATER A LUTA CONTRA RACISMO E A IGUALDADE RACIAL

Governador determina ações de governo para o Território Vale do Aço


Durante o 15º Fórum Regional, Pimentel confirmou licitação para as obras na MG-760, entre Vargem Alegre e Revés de Belém. Com a secretária de Educação, Macaé Evaristo, Governador descerra placa de inauguração da E.E. Menino Jesus de Praga, em Caratinga

Fóruns de Caratinga
Pimentel destacou a alegria em poder anunciar, mesmo em momento de dificuldade financeira, ações que ajudam a população. Foto: Manoel Marques/Imprensa MG

O governador Fernando Pimentel anunciou nesta quinta-feira (30/11), durante a realização do Fórum Regional de Governo – Por todo o Estado, com todos os mineiros, em Caratinga, no Território Vale do Aço, ações de seu governo na região, entre elas a implantação do programa Voe Minas, a doação de bens e equipamentos agrícolas da extinta Ruralminas para a população rural da região e a revitalização do mercado municipal de Caratinga, além do início da licitação para a obra no trecho da MG-760, entre Vargem Alegre e Revés de Belém, que já está com o projeto executivo de engenharia concluído.

Ao lado do presidente da Assembleia Legislativa de Minas, Adalclever Lopes, o governador destacou a alegria em poder anunciar, mesmo em momento de dificuldade financeira, ações que ajudam a melhorar a vida da população.

“Nós estamos na vida pública porque temos a esperança de que, com nosso trabalho, podemos melhorar a vida das pessoas que mais precisam. Esse empenho, às vezes, esbarra em dificuldades e, muitas vezes, essas dificuldades se transformam em angústias e frustações. Mas é preciso ter momentos como esse aqui hoje, de alegria, para incentivar a todos nós a continuar trabalhando por aqueles que precisam”, afirmou.

“Falar para vocês das obras, das entregas desse modelo de governo que o Fórum simboliza, é desnecessário. Mas queria acrescentar aqui uma notícia que vai agradar a todos. Vamos abrir a licitação da estrada de Vargem Alegre a Revés de Belém, que é uma reivindicação antiga da região. É essa forma de governar que temos praticado nesses três anos, superando a enorme dificuldade financeira e orçamentaria do Estado. Ontem, estávamos lá em Brasília, eu e alguns secretários, batalhando no Congresso para aprovarem uma Legislação que nos permita fazer uma operação financeira que traga dinheiro para a gente acertar a folha do 13° salário. Minas Gerais vai atravessando esse mar tempestuoso e vai se saindo muito melhor que estados vizinhos”, completou Fernando Pimentel.

IMG-20171130-WA0056 (2)
Ao centro, governador Fernando Pimentel, deputado Celinho do Sinttrocel e a diretora da Superintendência Regional de Ensino de Coronel Fabriciano, professora Edvania de Lana Morais Andrade

Continuar lendo Governador determina ações de governo para o Território Vale do Aço

Minas Gerais é o Estado com o maior número de medalhas entre as escolas públicas na Obmep 2017


Competição contou com a participação de 18,2 milhões de estudantes inscritos de todo o país. Minas Gerais conquistou 1.448 medalhas, sendo 119 de ouro, 381 de prata e 948 de bronze

Mais uma vez, os estudantes mineiros colocaram o estado no lugar mais alto do pódio da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Púbicas (Obmep) 2017. Minas Gerais é o estado com o maior número de medalhas na Obmep, entre as escolas públicas. Esta é a 11ª vez consecutiva que Minas Gerais fica em primeiro lugar em número de alunos medalhistas.Ao todo, foram 1.448 medalhas, sendo 119 de ouro, 381 de prata e 948 de bronze. O segundo estado com mais premiações é São Paulo, com 94 de ouro, 274 de prata, 914 de bronze.

No nível 1, para alunos do 6º e 7º anos do Ensino Fundamental, o melhor colocado em todo país é da rede estadual de ensino de Minas Gerais. Mateus Mundstock Mendes de Carvalho é aluno do 7º ano da Escola Estadual Dr. Adiron Gonçalves Boa Ventura, no município de Rio Paranaíba.  O estudante conquistou esse ano sua segunda medalha de ouro e atribui isso à sua facilidade em resolver questões que envolvem raciocínio lógico. “Eu sou bom em raciocínio lógico, o que me ajudou bastante nas provas. Para a Obmep, costumo estudar pouco, porque na minha opinião não é uma prova que precisa ficar horas estudando. As questões são mais de interpretação”, conta.

Quando faturou sua primeira medalha, em 2016, Mateus recebeu a premiação em uma cerimônia realizada no Rio de Janeiro, o que fez com que o estudante percebesse a abrangência da competição. Ontem (22/11), quando saiu a lista dos premiados, ver seu nome como o primeiro da lista dos medalhistas de ouro o deixou sem palavras. “Eu achei incrível. Depois que fiz a viagem para o Rio de Janeiro e vi aquele mundo de gente percebi ainda mais a grandiosidade da Obmep. Não consigo nem descrever o quanto estou feliz agora”, conclui.

mateus_obmep (2)
Mateus Mundstock Mendes de Carvalho, de Rio Paranaíba, é o aluno melhor colocado em todo país no nível 1 (6º e 7º anos do ensino fundamental). Foto: Divulgação

Este ano, a Obmep distribuiu 500 medalhas de ouro, 1.500 de prata e 4.506 de bronze – em decorrência de empate – e 38,6 mil menções honrosas. Os alunos de escolas particulares receberão 76 medalhas de ouro, 227 de prata, 682 de bronze e 5,7 mil menções honrosas.

A 13ª edição da Obmep contou com a participação de 53.231 escolas de todo o país, de 99,6% dos municípios brasileiros. Dos 18,2 milhões de estudantes inscritos, 941 mil foram classificados para a segunda fase da competição – 903 mil de escolas públicas e 38 mil de particulares.

Confira aqui a lista dos alunos medalhistas na Obmep 2017.

Continuar lendo Minas Gerais é o Estado com o maior número de medalhas entre as escolas públicas na Obmep 2017

Boletim semanal – Uma turma de opinião


Confira as novidades do Programa
Escrevendo o Futuro
30 de novembro de 2017
Uma turma de opinião

Vivências para aprender a dialogar e a ouvir diferentes pontos de vista não faltaram durante a produção de artigos de opinião, nas aulas do professor José Jilsemar, de Marcelino Vieira (RN).

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Programa Escrevendo o Futuro realiza formação no PiauíNovo encontro foi realizado na cidade de Teresina, para professores e técnicos pedagógicos, em parceria com a Undime e o Consed.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Ainda sobre ortografia: o olhar para o “diagnóstico final”O diagnóstico dos saberes ortográficos dos alunos é o tema da conversa com a professora Olímpia.

REFORMA DO ENSINO MÉDIO FOI TEMA DA RODA DE CONVERSA QUE REUNIU EDUCADORES E JOVENS ESTUDANTES EM CORONEL FABRICIANO


“Ensino Médio, diálogo e construção coletiva” – evento marca ações da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais voltadas ao ensino médio; o protagonismo juvenil frente à reforma do ensino médio foi alvo das discussões

Envolvendo cerca de 100 participantes, entre eles representantes de diretores, professores, especialistas e estudantes das 44 escolas estaduais de ensino médio localizadas nos 11 municípios que compõem a jurisdição da Superintendência Regional de Ensino de Coronel Fabriciano (SRE), as atividades foram realizadas na última terça-feira (28) nas instalações do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais – UNILESTE.
Os participantes discutiram sobre as questões que envolvem o ensino médio, especialmente sobre as principais alterações na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN), a partir da Lei 13415 de 16/02/2017, conhecida também como a lei de reforma do ensino médio.
Durante 8 horas de trabalho, as rodas de conversa tiveram como eixo as temáticas que permeiam a Base Nacional Comum Curricular, os processos de gestão democrática nas escolas, a oferta da educação profissional, a educação de jovens e adultos e ensino médio noturno, a pesquisa e a iniciação científica, os territórios educativos e comunidades, bem como outros assuntos relacionados ao protagonismo juvenil.
Ao final do encontro, as discussões e propostas apresentadas pelos representantes de professores e estudantes foram consolidadas pela equipe de analistas da SRE e subsidiarão a Conferência Estadual de Educação que será realizada em abril de 2018.
Veja as fotos do evento
a1
Abertura da Roda de Conversa no auditório Sr. “Zezinho” – campus Unileste em Coronel Fabriciano

a2

a3
Estudantes da EE Nilza Luzia de Souza Butta (Ipatinga) executando o Hino Nacional. Foto: Divulgação SRE Cel. Fabriciano
a6
Mesa de Abertura: (a partir da esquerda) Arthur Lana, estudante e líder das juventudes da SRE (EE Alberto Giovannini – Cel. Fabriciano); professor Cláudio Lopes, representante dos diretores (EE Herbert José de Souza – Santana do Paraíso); professora Edvania Andrade, diretora da SRE de Cel. Fabriciano; professor Anderson Menezes, representantes dos professores (EE João XXIII e EE Selim José de Salles – Ipatinga); professor Diogo Siqueira, vereador de Timóteo. Foto: Divulgação SRE Cel. Fabriciano
a14
“O ensino médio sob o olhar das juventudes” – professor Diogo entrevista os estudantes Kennedy e Arthur, líderes dos estudantes e representantes da SRE no II Encontro Estadual – Educação e Juventude. Foto: Divulgação SRE Cel. Fabriciano

 

a15
Estudante Ana Júlia (EE Alberto Giovannini) integra a roda de bate-papo. Foto: Divulgação SRE Cel. Fabriciano
a22
Roda com estudantes – Eixo Gestão Democrática. Foto: Divulgação SRE Cel. Fabriciano

 

Novos aplicativos para crianças e surdos estão disponíveis


O Ministério da Educação criou dois novos aplicativos para celulares que podem ser baixados gratuitamente. O TV Escola Criança tem conteúdo voltado para meninas e meninos entre seis e oito anos de idade. Já o Primeira Mão é um jornal bilíngue, na Língua Brasileira de Sinais (Libras) e português, com as principais notícias do país e do mundo. Ambos já estão disponíveis para download nas lojas virtuais dos sistemas iOS e Android. 

O aplicativo para as crianças contém toda a programação infantil da TV Escola, com produções educativas nacionais e estrangeiras, que instigam a curiosidade em diversas áreas do conhecimento. A navegabilidade é fácil e intuitiva.

Desenvolvida pela equipe de tecnologia da TV Escola, a plataforma oferece as animações Moko na Europa, Moko nas Américas, O que são as coisas?, Território do brincar, Kiwi, Mimi e Lisa, a segunda temporada de Punky, As Chaves de Mardum, Fabulosas Coleções do Seu Gonçalo, Fado pergunta?, Chico da Ilha dos Jurubebas I e II e Aventuras do Quati.

O aplicativo tem dinâmica de acesso simples, o que favorece o manuseio pelas crianças. São apenas quatro ícones: início, destaques, assistidos (uma lista automática, montada a partir de vídeos já visualizados) e controle de som. As atualizações serão lançadas junto às novas inclusões na grade da programação infantil da TV Escola.

Inclusão – Já o Primeira Mão traz o conteúdo do jornal semanal de mesmo nome transmitido em Libras e em português pela TV Ines, do Instituto Nacional de Educação de Surdos. O objetivo é levar informações para a comunidade surda sobre as principais notícias do país e do mundo, o que ainda não é possível nas mídias tradicionais. É uma inovação que inclui no universo dos equipamentos móveis uma ferramenta de comunicação visual, factual e informativa, que contempla uma população de surdos superior a 9 milhões de pessoas em todo o Brasil.

No ar desde 2013, a TV Ines tem parceria com a Fundação Roquette Pinto Comunicação Educativa, responsável pela TV Escola. É o primeiro canal brasileiro com a proposta de integrar os públicos surdo e ouvinte em uma única grade de programação.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Governo de Minas Gerais autoriza realização de concurso para a Educação


Serão 16 mil vagas para professor regente de aula e 700 para especialistas

A Comissão de Orçamento e Finanças, da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag), autorizou a realização de concurso público para o provimento de 16 mil vagas para o cargo de Professor de Educação Básica Regente de Aula (professores de disciplinas) e 700 vagas para o cargo de Especialista em Educação Básica.

As vagas vão abarcar todas as 47 Superintendências Regionais de Ensino do Estado. O edital de concurso e o termo de referência para a contratação de empresa já estão em fase de elaboração pela Seplag.

Para a secretária de Estado de Educação, Macaé Evaristo, a realização de concurso público na Educação vai ao encontro da política de valorização do servidor e traz consequências positivas para a qualidade da Educação.

“Quando assumimos a gestão, em 2015, tínhamos um quadro de pessoal no qual menos de 1/3 era de servidores efetivos. Com grande esforço, chegamos agora em 2017 à marca de mais de 50 mil servidores nomeados. Em algumas carreiras, como a de professor, o índice de efetivos chega a 42%; mas em outras já ultrapassamos os 70% de efetivos. São dados que devem ser comemorados, porque não há dúvida que vão impactar positivamente no desenvolvimento de nossos estudantes”, ressalta Macaé.

“Este novo concurso vem se juntar a essa nossa política de valorização do servidor e vai contribuir para que, no ano que vem, a gente consiga a maioria de servidores efetivos no conjunto das carreiras da Educação”, afirma a secretária.

Agência Minas

Vale do aço presente na Conferência de Educação de Minas Gerais na etapa territorial em Caratinga


Encontros aconteceram no último sábado (25/11) em 12 municípios mineiros e mobilizou mais de 4 mil pessoas, entre trabalhadores, gestores e movimentos sociais

A criação de um sistema de Educação que articule as ações em todo o Estado e avance nos mecanismos de financiamento e redistribuição de recursos para promover a redução das desigualdades educacionais. Esse foi um dos principais temas debatidos na Etapa Territorial da Conferência de Educação de Minas Gerais, que aconteceu simultaneamente no último sábado (25/11), em 12 municípios mineiros.

A etapa é preparatória para a Conferência Estadual, marcada para os dias 22 e 23 de março do ano que vem. Mais de 4 mil pessoas, entre gestores, representantes de trabalhadores da Educação Básica e Superior e movimentos sociais e observadores, participaram dos debates, que incluíam, além da criação do Sistema, outros 8 eixos. As etapas territoriais acontecerem em Ibirité, Uberlândia, Montes Claros, Diamantina, Araçuaí, Januária, Santos Dumont, Itaúna, Varginha, Caratinga, Teófilo Otoni e Paracatu.

Presente no encontro que aconteceu em Ibirité, a secretária de Estado de Educação, Macaé Evaristo, defendeu a criação do Sistema como forma de avançar nas políticas de Educação. “Já temos em Minas Gerais alguns elementos do que entendemos como sistema, como o Cadastro Escolar e o planejamento de atendimento, que são realizados em parceria com os municípios; o Sistema Mineiro de Avaliação e Equidade da Educação, que traz os dados e informações sobre as escolas, desempenho dos estudantes em avaliações etc., e que está sendo expandido para os municípios. Mas, precisamos avançar, por exemplo, entrada na Educação Infantil. Tem município em nosso Estado que não consegue atender toda a demanda que está colocada para as crianças de 4 e 5 anos, ainda que desde 2016 a gente tenha que atender essas crianças. Como garantir creches em áreas rurais?”, questionou ela, ao fazer um histórico da garantia do direito à Educação no País.

Macaé lembrou as mobilizações sociais em torno do tema desde a redemocratização do país até a recente aprovação do Plano Nacional de Educação. “O Plano Nacional de Educação traz 20 metas e muitas estratégias em várias áreas. A meta de financiamento é sempre muito tensa porque não temos recursos em profusão, mas é preciso que a gente vá avançando e indique os investimentos que o país precisa fazer. E por que temos que fazer grandes investimentos? Porque durante muito tempo não se investiu nada em Educação”, observou ela. Macaé lembrou que uma das propostas é aumentar o percentual de ICMS para os municípios na área de Educação, de 2% para 5%.

De acordo com o Fórum, a Conferência de Educação de Minas Gerais possui caráter mobilizador e deliberativo e vai apresentar um conjunto de propostas relativas à implementação do Sistema Integrado de Educação Pública de Minas Gerais (SIEP/MG), ao monitoramento e à avaliação do Plano Nacional de Educação (PNE). A Conferência vai propor ainda melhorias às políticas nacional, estadual e municipais de Educação e a pactuação de responsabilidades entre os entes federativos com vistas à garantia do direito à educação de qualidade social, pública, gratuita e laica.
O Fórum Estadual Permanente de Educação do Estado de Minas Gerais é composto por representantes de instituições federais de ensino superior do estado, de universidades estaduais, da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais, da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, do Ministério da Educação, da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, do Fórum de Pró-Reitores de Graduação das Instituições Públicas de Ensino Superior, de Núcleos de Ensino a distância/Centros de Educação à distância das públicas mineiras, da União Nacional de Conselhos Municipais de Educação, e da Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação.

Pela revogação da Emenda Constitucional 95

“Tudo que a gente fez, as discussões dos planos municipais e do Plano Estadual, o compromisso com a ampliação do atendimento e com a qualidade, a gente fica com as pernas amarradas se esta Emenda Constitucional 95, que congela investimentos na Educação para os próximos 20 anos, não for revogada”, pontuou a secretária Macaé. “A EC 95 acabou com a nossa perspectiva de ampliar a Educação Infantil. Já estamos sentindo na pele a redução dos recursos. Não temos mais a bolsa para no Pacto pela Alfabetização; o Mais Educação, que chegou a praticamente todos os municípios brasileiros, com quase 50 mil escolas; já tivemos agora inúmeros cortes na Educação, muitos munícipios fizeram adesão e não foram selecionados. Tínhamos o Pro-Infância, que apoiavam os municípios na construção de creches, que mingou. Temos muitas quadras inconclusas porque não o dinheiro no FNDE não veio. Além disso, os cortes em outras áreas sociais, como a Saúde e a Assistência Social, traz impactos para nós, porque a infância, as crianças são as mesmas”. Para Macaé, os gestores e movimentos sociais devem se articular pela revogação da EC 95.

 

Confira abaixo fotos das Conferências realizadas no encontro de Caratinga

 

conferencia2
Conferência realizada no município de Caratinga. Foto: Divulgação SEEMG

Veja mais fotos

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE CORONEL FABRICIANO REALIZA RODAS DE CONVERSA COM EDUCADORES E ESTUDANTES


Evento marca ações da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais voltadas ao ensino médio; o protagonismo juvenil é alvo das discussões
Rodas de Conversa 2017: Ensino Médio, diálogo e construção coletiva
Agendado com representantes de estudantes e professores das 44 escolas estaduais de ensino médio localizadas nos 11 municípios que compõem a jurisdição da SRE de Coronel Fabriciano, as atividades serão realizadas das 8h às 17h, no Auditório Sr. Zezinho, campus do UNILESTE – Pólo Coronel Fabriciano.
Os participantes discutirão sobre as questões que envolvem o ensino médio, especialmente sobre as principais alterações na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN), a partir da Lei 13415 de 16/02/2017, conhecida também como a lei de reforma do ensino médio.
Durante 8 horas de trabalho, as rodas de conversa terão como eixo as temáticas que permeiam a Base Nacional Comum Curricular, os processos de gestão democrática nas escolas, a oferta da educação profissional, a educação de jovens e adultos e ensino médio noturno, a pesquisa e a iniciação científica no ensino médio, os territórios educativos e comunidades, bem como outros assuntos relacionados ao protagonismo juvenil.
Ao final do encontro, as discussões e propostas apresentadas pelos representantes de professores e estudantes subsidiarão a Conferência Estadual de Educação que será realizada em abril de 2018.

Boletim semanal – Literatura em Movimento


Confira as novidades do Programa
Escrevendo o Futuro
17 de novembro de 2017
Literatura em Movimento

Profª Vima Lia de Rossi Martin (USP) fala sobre o trabalho com a literatura em sala de aula e faz indicações de leitura, na segunda parte da entrevista concedida ao Portal Escrevendo o Futuro.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Alunos da Universidade de Genebra conhecem o Escrevendo o FuturoSonia Madi e Esdras Soares apresentam a metodologia, as ações e os materiais da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro para estudantes de pós-graduação.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo “Professora, meu texto me fez mais humana”Ana Virgínia (Quixeramobim / CE) nos revela o quanto valeu a pena o seu “atrevimento” em escolher um gênero teoricamente fora de hora, transformando o desinteresse de seus alunos em experiências de partilha e autoria.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Novas formações presenciais no Pará, Mato Grosso do Sul e AlagoasPrograma Escrevendo o Futuro, em parceria com Secretarias de Educação, organizou formações para professores e técnicos pedagógicos de diversos municípios.

Boletim semanal – Já baixou os Cadernos Virtuais no seu celular?


Confira as novidades do Programa
Escrevendo o Futuro
09 de novembro de 2017
Já baixou os Cadernos Virtuais
no seu celular?

Educadores de todo o Brasil podem acessar os conteúdos dos Cadernos Virtuais no celular ou tablet. Saiba como baixar o aplicativo.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Rádio Altinomix – quando a escrita entra no arCriatividade, interdisciplinaridade e inclusão se transformaram em ondas que entraram no ar na rádio organizada pela turma, em um projeto de Carolina Lobrigato, professora de São Paulo (SP).

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Pará, Bahia e Maranhão realizam formações presenciaisPrograma Escrevendo o Futuro e Secretarias de Educação organizam novas formações para professores, coordenadores e técnicos pedagógicos.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Escrevendo o Futuro nas redes sociaisAcompanhe as principais novidades do Programa pela nossa página no Facebook.

Conferência da Educação de Timóteo debate desafios para o setor


Evento mobilizou profissionais da educação nos três níveis e a sociedade civil

G011223

Com o auditório do Centro Educação Católica do Leste de Minas Gerais (CEC-MG) lotado, os profissionais da área de educação e representantes da sociedade civil debateram os desafios e as oportunidades para o setor na II Conferência Municipal de Educação de Timóteo aberta nesta segunda-feira(13), promovida pela Secretaria Municipal de Educação e Conselho Municipal de Educação. O evento, que terá prosseguimento na noite desta terça-feira (14), foi aberto oficialmente pelo prefeito de Timóteo, Dr. Geraldo Hilário Torres, que destacou a importância de se avaliar a situação da Educação e buscar avanços.

“Só temos como avançar numa cidade se avançarmos pela Educação. Desejo bons resultados para esse debate e que Timóteo marque firme suas posições nas conferências nacional e estadual  por meio dos delegados que serão constituídos neste encontro”,  citou na abertura. Para o prefeito, trabalhar para o futuro é investir na criança. “Hoje aprendi que investir na formação da criança no presente é a melhor forma de se construir o futuro. As questões de saúde, assistência social, segurança terão solução pela formação dos alunos. A Educação é capaz de reverter a situação do país e trazer a melhoria da qualidade de vida para a comunidade através da formação do ser humano como um todo’, argumentou.

G011221

A Conferência de Educação tem como tema central “A Construção do Sistema Integrado de Educação Pública de Minas Gerais (SIEP/MG)  e a implementação dos Planos de Educação”, sendo subdividida em nove eixos temáticos  que tratam dos Planos Decenais e da Secretaria de Estado da Educação, abrangendo itens como: democratização, cooperação federativa, avaliação e regulação da educação; qualidade, avaliação e regulação das políticas educacionais; gestão democrática: participação popular e controle social;  acesso, permanência e gestão;  diversidade, democratização, direitos humanos, justiça social e inclusão;  políticas intersetoriais de desenvolvimento; valorização dos profissionais da Educação;  financiamento: gestão, transparência e controle social;  e o SIEP/MG.

“Todos os eixos representam desafios, que nos propomos a transformar em oportunidades em busca da qualidade do ensino”, afirmou Guaraciaba Martins, secretária de Educação de Timóteo, destacando a grande novidade da conferência que foi a discussão do Sistema Integrado de Educação Pública de Minas Gerais, que traz expectativas bastantes positivas. A secretária salientou a importância da presença de representantes de todos os níveis de ensino e da comunidade na construção das políticas educacionais do município.

G011222

A Conferência da Educação contou com a participação do vereador de Timóteo e professor Diogo Siqueira, da superintendente regional de Ensino de Coronel Fabriciano, Edvania de Lana Morais Andrade e da presidente do Conselho Municipal de Educação, Katya Araújo Serpa. Diogo Siqueira frisou que “repensar a Educação em nosso município, Estado e país é um caminho indispensável para a construção de uma educação de mais qualidade, uma educação transformadora”.  Os delegados eleitos na conferência municipal participarão da Conferência Territorial a ser realizada no dia 25 de novembro em Caratinga. Em março de 2018, será realizada a Conferência Estadual. “É importante envolver os trabalhadores, gestores e a sociedade civil na discussão das demandas da educação”, avaliou a superintendente, destacando ainda que os encontros municipais e estaduais servirão para avaliar a implementação dos Planos Decenais de Educação.

 

Fonte: PMT

Disponível em: http://www.timoteo.mg.gov.br/noticias/4219/conferencia-da-educacao-de-timoteo-debate-desafios-para-o-setor

 

Secretaria de Educação de Minas Gerais intensifica ações da campanha Afroconsciência no mês da Consciência Negra


Atividades acontecem durante o mês nas escolas estaduais de todo o Estado. Desfecho será no dia 20 de novembro, com a 3ª edição da Caminhada da Promoção da Igualdade Racial

TESTEIRA_EVENTO_CAMINHADA

No dia 20 de novembro, o país celebra o Dia Nacional da Consciência Negra, data escolhida por marcar o dia da morte de Zumbi dos Palmares, um dos maiores símbolos de resistência e luta contra a escravidão. Por essa razão, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) intensifica, durante todo o mês de novembro, as ações da Campanha Afroconsciência, iniciativa que visa reconhecer e valorizar a história e a cultura dos africanos na formação da sociedade brasileira. E para marcar a data, estão previstas diversas atividades nas escolas da rede estadual de ensino, como palestras, capacitações e apresentações culturais, além da realização da Caminhada da Promoção da Igualdade Racial, no dia 20, que chega a sua terceira edição.

Para a superintendente de Modalidades e Temáticas Especiais de Ensino da SEE, Iara Pires Viana, um dos principais pontos que precisam ser ressaltados no mês de novembro é o fortalecimento da Campanha Afroconsciência em todo o Estado. “Em 2015, apenas 20% das escolas estaduais apresentavam trabalhos referentes à Lei 10.639/03. Hoje, 70% das escolas apresentam excelentes projetos relacionados à História da África e cultura afro-brasileira. E isso é resultado do fomento realizado desde o início desta gestão”, comenta.

A Lei nº 10.639, tornou obrigatório o ensino de história e cultura afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio e serviu de base para que as Superintendências Regionais de Ensino (SREs) e as escolas estaduais desenvolvessem atividades e resgatassem a contribuição do povo negro nas áreas social, cultural, econômica e política brasileira.

Dando a largada na programação do mês da Consciência Negra, foi iniciada, no dia 1 de novembro, em Juiz de Fora, na Zona da Mata, a ação “20 Dias de Ativismo Contra o Racismo”, realizada pelo movimento Convergência Negra, em parceria com a Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Juiz de Fora, com o Conselho Municipal para Promoção da Igualdade Racial e outros movimentos negros do município.

Continuar lendo Secretaria de Educação de Minas Gerais intensifica ações da campanha Afroconsciência no mês da Consciência Negra

Jovens que desejam retornar à escola em 2018 têm até o dia 25/11 para se inscrever


Ação faz parte da Campanha VEM, promovida desde 2015 pela Secretaria de Estado de Educação

Jovens que por algum motivo abandonaram a escola antes de concluir os estudos e desejam retornar em 2018 devem ficar atentos ao chamamento realizado pela Secretaria de Estado de Educação (SEE). Até o dia 25 de novembro, eles podem se inscrever por meio de formulário eletrônico disponível neste link, e assegurar uma vaga na rede estadual de ensino para o próximo ano letivo.

A diretora de Juventude da SEE, Priscylla Ramalho, destaca a importância dos jovens ficarem atentos ao prazo de inscrição. “A campanha vai levantar as demandas de vagas para o próximo ano, por isso, é importante que todos que têm interesse em retornar os estudos se inscrevam”, afirma.

A ação faz parte da Campanha VEM. Promovida pela SEE, ela é umas das frentes da Virada Educação Minas Gerais que foi criada com o objetivo de trazer de volta para a escola o jovem em situação de evasão. O mote da campanha deste ano é “A escola só fica completa quando você faz parte dela”.

Desde 2015, a SEE tem mobilizado esforços para sensibilizar os jovens sobre a importância de retornar aos estudos. A Campanha é direcionada especialmente para as pessoas que ainda não concluíram o Ensino Médio e que desejam retornar para o ensino regular ou Educação de Jovens e Adultos (EJA), já que o Cadastramento Escolar 2018 deste ano contemplou também a EJA Ensino Fundamental. Ao manifestar o seu interesse por meio da inscrição no site da SEE, o candidato será então encaminhado a uma unidade escolar e terá a sua vaga assegurada na rede estadual de ensino para o ano letivo de 2018.

A secretária de Estado de Educação, Macaé Evaristo, explica que a Campanha VEM faz parte de um movimento de mudança na escola, um esforço da Secretaria em escutar a juventude e discutir com toda a comunidade escolar estratégias para criar uma escola mais afinada com a realidade dos estudantes. “Estamos empenhados em ouvir a juventude e pensar ações que respondam as suas demandas para construirmos coletivamente. Realizamos rodas de conversas, pesquisas diagnósticas, encontros e diversos momentos de escuta e mobilização, que desde o início desta gestão estão pautando nossas principais ações. Podemos destacar a ampliação da nossa Política de Educação Integral e Integrada em todo o Estado, com o atendimento de mais de 150 mil estudantes, e que, a partir deste semestre, passou a contemplar também 44 escolas de Ensino Médio; a Educação Profissional, que hoje já conta com mais de 44 mil alunos matriculados em cursos técnicos na rede estadual; o Programa de Iniciação Científica no Ensino Médio; a criação do Programa de Convivência Democrática; a ampliação do ensino médio noturno e reorganização da Educação de Jovens e Adultos (EJA), dentre várias outras ações”, disse a secretária.

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

Com quase 300 alunos-atletas, delegação de Minas Gerais está pronta para as disputas do JEJ e das Paralimpíadas Escolares


Competições nacionais acontecem simultaneamente em Brasília e São Paulo, entre os dias 16 e 25 de novembro

Após conquistar 21 medalhas no módulo I dos Jogos Escolares da Juventude (JEJ), que aconteceu em Curitiba (PR), a delegação mineira que disputará o módulo II – para atletas de 15 a 17 anos – da etapa nacional está em reta final de preparação. Representado pelos campeões dos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG), o Time MG será composto por 163 alunos-atletas, de 70 escolas e 33 cidades diferentes.

Organizado e realizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), o JEJ acontece em Brasília (DF), entre os dias 16 e 25 de novembro, definirá os campeões de 14 modalidades nos naipes masculino e feminino: atletismo, badminton, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez.

Vale lembrar que o JEJ é considerado um dos maiores eventos estudantis esportivo do mundo e apenas neste ano teve a participação mais de dois milhões de alunos-atletas, de aproximadamente 4 mil municípios diferentes, considerando todas as fases seletivas (Municipais, Microrregionais, Regionais e Estaduais). Além disso, apenas na primeira etapa 3.983 alunos-atletas de 1.401 escolas de 475 cidades brasileiras participaram do evento. Para o módulo II a expectativa é que esse número seja superado já que haverá uma modalidade a mais em disputa.

jemgestadual
Com a expectativa de superar as 18 medalhas conquistadas em 2016, a delegação de Minas Gerais irá para Brasília com 164 alunos-atletas. (Foto: Tiago Ciccarini/FEEMG)

Continuar lendo Com quase 300 alunos-atletas, delegação de Minas Gerais está pronta para as disputas do JEJ e das Paralimpíadas Escolares

Educadores de Minas Gerais participam de formação do Programa Iniciação Científica no Ensino Médio


São mais de 120 professores que desenvolveram projetos de iniciação científica em suas escolas nos eixos Ubuntu/Nupeaas e TICS 

Professores da rede estadual de Minas Gerais que tiveram projetos selecionados para participar do Programa Iniciação Científica no Ensino Médio, iniciativa da Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE), estão reunidos em Belo Horizonte para participar de uma formação. Durante três dias, será discutida a metodologia que deverá ser aplicada nas escolas na execução das iniciativas. São educadores de 94 escolas que tiveram seus projetos selecionados para integrar o eixo Núcleos de Pesquisas e Estudos Africanos, Afro-Brasileiros e da Diáspora (Ubuntu/Nupeaas) e 33 professores de escolas que tiveram projetos selecionados para participar do eixo Territórios de Iniciação Cientifica (TICS).

“Esses dois grandes eixos de iniciação científica dentro do Ensino Médio representam um investimento importante para o jovem e educadores de nossas escolas. É hora de estarmos juntos em busca de uma educação de qualidade e que dê visibilidade ao protagonismo dos estudantes e dos professores”, destacou a subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica, Augusta Mendonça, durante a abertura do Encontro.

ubuntu2
Mais de 120 educadores participam da formação. Foto: Geanine Nogueira ACS/SEE

Continuar lendo Educadores de Minas Gerais participam de formação do Programa Iniciação Científica no Ensino Médio

Boletim semanal – Texto teatral – a luz de um gênero fora do script


Confira as novidades do Programa
Escrevendo o Futuro
01 de novembro de 2017
Texto teatral – a luz de um gênero
fora do scriptProfessora Marta Regina Martins, de Monte Santo de Minas (MG), narra as cenas de uma trama cheia de desafios desenvolvida com suas turmas de 8º ano, no trabalho com o texto teatral.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Formações presenciais em Pernambuco, Rio Grande do Sul e Espírito SantoProfessores, coordenadores pedagógicos e técnicos de secretaria participam de formações organizadas por Secretarias de Educação, em parceria com o Programa Escrevendo o Futuro.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Bilhete orientador: uma aposta
entre alunosProfessora Olímpia explora uma “nova face” do trabalho com aprimoramento de textos.

Dez dicas importantes para controlar a ansiedade na hora de fazer a prova


p_10dicas

Para muitos candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, mais complicado do que assimilar o conteúdo ao longo dos estudos é controlar a ansiedade na hora da prova. A psicóloga Kátia de Lima elaborou uma lista com dez dicas que ajudam o candidato a controlar a ansiedade na hora de prestar o exame.

A primeira, lembra ela, é saber respirar. “Ninguém vai apagar da sua mente o que você estudou. Se ficar nervoso achando que vai ‘dar branco’, pare, respire e pense que a sua parte, que era estudar, você fez.” Abaixo, confira a lista dos procedimentos fundamentais que Kátia de Lima enumera para um bom desempenho.

1 – Respire. A forma correta de respirar é soltar o ar, esvaziar o pulmão e ir puxando, novamente, o ar, lentamente. Faça cinco respirações dessas antes da prova.
2 – Controle o pensamento. Não se trata de pensar positivo, mas de ser realista. É preciso pensar: “Eu estudei para o Enem, resolvi provas, tive o auxílio de livros, professores, então vou fazer a prova com o que sei”.
3 – Esqueça o “dar branco”. Se você estudou, nada vai apagar isso da sua mente. O que pode acontecer é o medo ser tão grande que leva o cérebro à luta ou à fuga, deixando o pensamento racional para segundo plano. Se começar esse sentimento, respire, vá ao banheiro e tome água.
4 – Gerencie o tempo. Fique atento ao relógio a cada meia hora, mas não pensando nisso durante todo o tempo. A rapidez para responder questões vem de uma leitura mais concentrada. É importante, também, treinar antes da prova. Hoje muitos estudam com som ou com TV ligada alegando que se trata de multitarefas – mas não é verdade. Então, na hora do estudo, fique concentrado de fato.
5 – Não tente praticar adivinhação. Muitos perdem a noite de sono porque querem saber exatamente o que vai cair na prova, qual vai ser o tema da redação etc. Você não pode adivinhar o futuro; faça a sua parte, estude e se prepare.
6 – Cuide da alimentação, que deve ser balanceada no dia anterior à prova. Leve lanche e água. Esta é uma preocupação produtiva.
7 – Saia de casa cedo. Chegar ao local da prova com tempo para acalmar a mente é muito importante.
8 – Preste atenção ao seu perfil. Há pessoas que respondem melhor se no dia anterior à prova relaxarem a mente, forem ao cinema ou ficarem com a família. Outras são tão ansiosas que, se forem aconselhadas a não tocar nos livros na véspera da prova, ficam em pânico. Se você se enquadra no segundo caso, leia apenas pequenos resumos.
9 – Esqueça a tal revisão nos minutos anteriores ao teste. Quando entrar na sala de aula, nada de ler anotações. Isso joga para o cérebro a informação de que há uma ameaça, fazendo surgir o medo. Da mesma forma, se for conversar com alguém na sala, evite falar sobre a prova, para não despertar o medo ou qualquer sensação de insegurança.
10 – Seja confiante. Acredite em você e saiba que, se não for possível dessa vez, outras virão. Há alunos que vão para a prova como se fosse a última oportunidade da vida. O Enem é uma grande oportunidade, mas a prova não pode ser vista como uma ameaça.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Módulo Confirmação de Matrícula no Censo Escolar 2017 está disponível no sistema Educacenso


O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibilizou o acesso ao Módulo Confirmação de Matrícula no Censo Escolar 2017, nesta terça-feira, 31. Nessa etapa, é possível confirmar a matrícula dos alunos, além de fazer correções sobre os estudantes que aparecem com mais de uma matrícula de escolarização no sistema Educacenso. O acesso poderá ser realizado até 9 de novembro.

As escolas das redes públicas e privadas devem acessar o sistema Educacenso, conferir e, se for o caso, confirmar a matrícula do aluno, de acordo com os seus registros escolares. Os dados devem ser confirmados de acordo com as informações da ficha de matrícula, do diário de classe, do livro de frequência ou histórico escolar. Para isso, é necessário considerar a data de referência do Censo Escolar 2017: 31 de maio de 2017.

Para conferir os casos de duplo vínculo, o sistema Educacenso disponibiliza relatórios que apresentam, por exemplo, a relação de alunos com mais de um vínculo de escolarização na mesma escola, e a relação de alunos vinculados em outra escola.

O Censo Escolar é o principal instrumento de coleta de informações da educação básica, sendo considerado o mais importante levantamento estatístico educacional brasileiro nessa área. Coordenado pelo Inep, é realizado em regime de colaboração entre as secretarias estaduais e municipais de educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país.

Clique aqui para acessar o Vídeo tutorial

Clique aqui para acessar a Navegação Guiada

No dia da prova


Confira seu Documento

Só vale documento de identificação original, oficial e com foto. Fique esperto! Nem tente levar cópias simples, cópias autenticadas ou documentos sem foto.

Documentos válidos

  • Passaporte
  • Cédula de identidade (RG)
  • Certificado de Reservista
  • Carteira Nacional de Habilitação
  • Certificado Dispensa de Incorporação
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social
  • Identidade Funcional em consonância com Decreto 5.703/06
  • Identificação fornecida por ordens ou conselhos de classe
  • Identidade para estrangeiros expedida pelo Ministério da Justiça

Se ligue!

Se você perdeu ou teve o documento roubado será preciso apresentar um Boletim de Ocorrência expedido por órgão policial há, no máximo, 90 dias do primeiro domingo de aplicação.

Separe o que Levar

Você deixa para escolher a roupa da festa na última hora? Apostamos que não!

Então corra atrás do que precisa para fazer o Enem com antecedência. Programe-se!

Não deixe sua “festa” acabar antes da hora!

Obrigatório

  • Caneta esferográfica de tinta preta e fabricada em material transparente
  • Documento oficial de identificação original com foto – Confira os documentos válidos

Aconselhável

  • Cartão de Confirmação de Inscrição
  • Declaração de Comparecimento impressa para assinatura do Coordenador de Local (caso precise do documento)

Proibido

  • Lápis
  • Chaves
  • Livros
  • Manuais
  • Borracha
  • Anotações
  • Boné, chapéu, viseira, gorro ou similares
  • Fones de ouvido ou qualquer transmissor, gravador ou receptor de dados, imagens, vídeos e mensagens
  • Impressos
  • Lapiseira
  • Óculos escuros
  • Caneta de material não transparente
  • Dispositivos eletrônicos (calculadoras, agendas eletrônicas ou similares, telefones celulares, smartphones, tablets, ipods®, pen drives, mp3 ou similares, gravadores, relógios, alarmes)

Chegue no Horário

  • 12h – Abertura dos portões
  • 13h – Fechamento dos portões
  • 13h a 13h30 – Procedimentos de segurança na sala de prova
  • 13h30 – Início das provas
  • 19h – Término das provas em 5/11
  • 18h – Término das provas em 12/11

Horário Oficial de Brasília (DF)

Se ligue!

  • Ninguém pode entrar depois do fechamento dos portões
  • Chegue com antecedência! Em locais de prova muito grandes você pode demorar a achar a sua sala

Tem novidade!

O Cartão-Resposta/Folha de Redação terão seu nome, virão encartados no Caderno de Questões e serão entregues a partir das 13h. Depois desse horário será proibido ir ao banheiro sozinho.

Antes de começar a prova

  • Antes de entrar na sala, guarde os objetos não permitidos no Envelope Porta-Objetos, feche o lacre e deixe debaixo da sua cadeira até terminar a prova.
  • Confira seus dados no Cartão-Resposta/Folha de Redação. Agora todos eles terão o seu nome e número de inscrição.
  • Confira seus dados na ficha de coleta do dado biométrico. Agora ela virá com o seu nome e número de inscrição. Faça apenas a conferência. Aguarde a autorização e o auxílio do aplicador para fazer a coleta.
  • Destaque, com muito cuidado, o Cartão-Resposta/Folha de Redação do Caderno de Questões. Agora eles serão encartados e não poderão ser substituídos se forem danificados.

Enquanto faz a prova

  • Na Prova de Língua Estrangeira, lembre-se que não é permitido trocar a opção (Inglês e Espanhol) que você escolheu na hora da inscrição.

Lembre-se de tudo o que pode te dar nota zero na redação, como:

  • Fugir do tema proposto;
  • Não atender a proposta pedida;
  • Desrespeitar os Direitos Humanos;
  • Entregar a Folha de Redação sem nada escrito;
  • Usar parte de texto desconectada do tema proposto.
  • Escrever só sete linhas, qualquer que seja o conteúdo;
  • Usar impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação;
  • Fazer uma estrutura de texto diferente do tipo dissertativo-argumentativo;

Se ligue!

As linhas com cópia dos textos motivadores do Caderno de Questões são desconsideradas na correção e na contagem do mínimo de linhas.

Fuja da Eliminação

  • Não comece as provas antes das 13h30;
  • Atenda às orientações da equipe de aplicação durante o Exame.
  • Não saia, em definitivo, antes de duas horas do início das provas;
  • Após 13h, não saia da sala de prova sem o acompanhamento de um fiscal;
  • Aguarde em sua sala entre 13h e 13h30 e siga as instruções do aplicador;
  • Não receba qualquer informação referente ao conteúdo das provas de qualquer pessoa;
  • Aguarde o aplicador fazer a coleta de seu dado biométrico durante a realização das provas;
  • Se terminar a prova antes dos 30 minutos finais, entregue seu Caderno de Questões ao aplicador;
  • Não faça anotações em qualquer documento que não seja o Cartão-Resposta, o Caderno de Questões, a Folha de Redação e a Folha de Rascunho;
  • Entregue ao aplicador, quando terminar as provas, o Cartão-Resposta, a Folha de Redação, a Ficha para Coleta de Dado Biométrico e a Folha de Rascunho;
  • Não se recuse, sem justificativa, a passar pela revista eletrônica e pela coleta de dado biométrico, assim como ter seus objetos revistados eletronicamente.

Fonte: INEP

Reta final


O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) avalia o desempenho do estudante e ajuda em:

Acesso à Educação Superior

  • Sisu
  • Prouni
  • Pronatec
  • Instituições Portuguesas

Financiamento Estudantil

  • Fies

Desenvolvimento Pessoal

  • Auto-avaliação
  • Inserção no Mercado

Melhorias na Educação

  • Estudos e Indicadores
  • Aperfeiçoamento do Ensino

Provas

Provas Objetivas, sendo 45 questões cada

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
  • Matemática e suas Tecnologias

Redação

  • Texto dissertativo-argumentativo a partir de uma situação-problema (política, social ou cultural)
  • 30 linhas no máximo

Novidades de 2017

  • Provas em dois domingos consecutivos
  • Redação no primeiro dia
  • Nada de certificação
  • Provas com o seu nome
  • Vídeoprova em Libras
  • Solicitação de tempo adicional no ato da inscrição
  • Declaração de comparecimento impressa por você
  • Novas regras para isenção e ausência

Fonte: INEP

Minas Gerais é destaque na Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA)


Estudantes mineiros apresentaram o melhor índice em Leitura. Em Matemática, o Estado também se destaca, ao lado de Santa Catarina

Minas Gerais é o estado brasileiro que obteve o melhor índice em Leitura na Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA), cujos resultados foram divulgados nesta quarta-feira (25/10) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (MEC). O estado aparece com 62,35% dos estudantes acima dos 8 anos, faixa etária de 90% dos avaliados, nos níveis 3 e 4, referentes a escala adequada e desejável, sendo o estado com maior percentual de estudantes no nível desejável (23,29%).

Em Matemática, os estudantes mineiros também são destaque: 62,17% aparecem no nível suficiente (somatório dos níveis 3 e 4), pouco abaixo dos estudantes de Santa Catarina, que aparecem com 62,18%.

Em Escrita, o Estado está em primeiro lugar no nível 5 (adequado), com 16,1%; e está em quarto lugar no nível suficiente, com 79,25% dos estudantes, perto de São Paulo (82,9%), Santa Catarina (84,84%) e Paraná (85,63%).

Os dados são referentes a 2016, quando foi realizada a terceira edição da avaliação, e mostram o desempenho nos quesitos Escrita, Leitura e Matemática, nas redes estaduais e municipais de ensino. Os testes são aplicados em estudantes matriculados no 3º ano do Ensino Fundamental.

Continuar lendo Minas Gerais é destaque na Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA)

Dez dicas importantes para fazer uma boa redação


Dar atenção à redação é fundamental para o candidato ir bem no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, marcado para 5 e 12 de novembro. O formato da prova é a dissertação-argumentativa, gênero que possibilita ao estudante construir uma tese inicial e defender diferentes pontos de vista ao longo do texto.
Para tanto, a escritora Dad Squarissi, editora de Opinião do jornal Correio Braziliense, destaca que é preciso muito treino e prática para se alcançar a tão sonhada nota mil no exame. “Escrever é treino e habilidade”, reforça, lembrando que a redação é um dos maiores desafios aos candidatos. “Essa prática acorda as ideias e o vocabulário. Faça isso diariamente e você será um sério candidato a medalha de ouro no Enem. ”
Pensando em ajudar os estudantes a evitar erros básicos, Dad lista uma série de dicas práticas e essenciais para a realização de uma boa redação. Veja, abaixo, as principais recomendações.

1 – Treine. Quem quer tirar nota mil na redação do Enem precisa treinar muito. Escreva sobre qualquer assunto, pelo menos, uma página todos os dias.
2 – Organize o texto com coerência e, principalmente, com começo, meio e fim. Para isso é preciso fazer um plano de redação, que nada mais é do que um guia que orienta a escrita dentro do tema proposto. As partes do texto precisam conversar entre si.
3 – Se o candidato tem mais facilidade de começar a prova pela redação, faça isso. Mas, se preferir fazer o exame antes, não tem problema. A ordem depende de cada estudante. Mas ler o tema da redação na hora que iniciar a prova é importante, pois os textos dão elementos e argumentos para a redação e isso pode enriquecer a sua dissertação.
4 – Faça provas e simulados anteriores do Enem. Esse ponto está ligado ao treino, pois, quanto mais se pratica, mais rápido se escreve. Para ganhar tempo na hora de revisar a prova, escrever rápido é um diferencial.
5 – Use dados estatísticos e informações do texto de apoio para construir a sua redação. Eles são fornecidos justamente para isso. O examinador quer saber se o candidato sabe aproveitar tudo o que lhe é oferecido.
6 – Esteja atualizado. Em geral, o tema da redação é algo da atualidade. Estar em dia com a leitura é fundamental. É preciso ler jornais, sites e revistas, até para não ser surpreendido por um assunto do qual nunca ouviu falar.
7 – A alusão histórica e a citação de autores não são obrigatórias, mas podem ser um diferencial para tornar o texto mais interessante e sedutor. Se for adequado ao que se está escrevendo, use esse recurso para atrair a atenção da banca examinadora.
8 – Esteja atento à linguagem. Tecnicamente, o Enem cobra dos estudantes a norma culta, a língua que respeita a gramática e o dicionário. Não tem nada a ver com palavras difíceis, mas esqueça a língua usada no whatsapp e nas salas de bate-papo.
9 – A compreensão do tema é fundamental. Não fuja dele na hora de escrever, pois é isso que praticamente elimina o candidato. Isso dá à banca examinadora a impressão de que o texto foi decorado.
10 – Fuja do gerúndio, pois ele atrapalha a escrita e a clareza das ideias. Ele é ambíguo, torna o texto impreciso, pobre e pune a simplicidade do texto.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Debate virtual discute novos conteúdos e abordagens nas práticas da educação integral


https://educacaoeparticipacao.org.br
 Amanhã, às 10 horas

Debate Virtual discute novos conteúdos e abordagens nas práticas da educação integral

 

Nesta quarta-feira (1), Macaé Evaristo, a secretária de Educação de Minas Gerais, e José Clovis de Azevedo, ex-secretário de Educação do Rio Grande do Sul, vão participar de mais um Debate Virtual, que será transmitido pela plataforma Educação&Participação.

Desta vez, os especialistas vão responder às perguntas dos internautas e ouvir o que eles têm a dizer sobre o tema. Além disso, vão mostrar as possibilidades que a educação integral traz em relação à inovação nas práticas educativas, considerando a ampliação dos tempos e o acesso a novos conhecimentos.

Iniciativa Coordenação Técnica

Boletim semanal – “Eu queria que eles respirassem cordel”


Confira as novidades do Programa
Escrevendo o Futuro
26 de outubro de 2017
“Eu queria que eles respirassem cordel”Os cordéis escritos no projeto de José Gilson Lopes Franco, professor da capital cearense, ecoaram longe e seus alunos levaram mais poesia para suas vidas e para o mundo afora.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Distrito Federal, Mato Grosso e Goiás realizam formações presenciaisEm parceria com o Programa Escrevendo o Futuro, Secretarias de Educação promovem formações para professores e técnicos pedagógicos.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Parada reflexiva: um olhar para a prática educativaOlímpia fala sobre as produções dos professores, que têm como enfoque o olhar para a prática em sala de aula.

3º Encontro – Aprimoramento Pedagógico 2017


3º Encontro – Aprimoramento Pedagógico 2017

30/10 (segunda feira) – 18:00 – 20:30 h

Público alvo: Professores que lecionam no Ensino Fundamental – Anos Finais

Disciplina: Matemática
Oficina: “Elaboração de itens e avaliações externas”
Professor: Tiago de Oliveira Dias – IFMG Campus São João Evangelista

Disciplina: Inglês
Oficina: “O uso de uma abordagem via gêneros textuais para mediar a aprendizagem de línguas em turmas grandes e heterogêneas”
Professor: Marcos Racilan – CEEFET-MG Campus Belo Horizonte
OBS.: OS PROFESSORES DEVEM LEVAR OS LIVROS DIDÁTICOS QUE USAM COM SUAS TURMAS.

Disciplina: Geografia
Oficina: “Geografia no centro do mundo escolar“
Professor: Elder Pereira Beltrame – IFMG Campus Ipatinga

Disciplina: História
Oficina: “Leitura e escrita em História”
Professor: Riler Barbosa Scarpati – Prefeitura de Ipatinga

Disciplina: Ciências
Oficina: “Categorização das Tarefas propostas nos itens de avaliação pela Taxonomia de Bloom Revisada“
Professor: João Paulo de Castro Costa

31/10 (terça feira) – 18:00 – 20:30 h

Público alvo: Professores que lecionam no Ensino Fundamental – Anos Finais

Disciplina: Português
Oficina: “Leitura literária: desafios e estratégias do trabalho com o texto literário em sala de aula“
Professora: Alessandra Valério – IFMG Campus Ipatinga

Público alvo: Professores que lecionam no Ensino Médio

Disciplina: Geografia
Palestra: “PNLD 2018 – Livro de Geografia: potencializar usos em sala de aula”
Professor: Romerito Valeriano da Silva – CEFET-MG Campus Timóteo]