Candidatos aprovados no ProUni têm até dia 23 para comprovar informações


Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil

Começou hoje (15) o prazo para a comprovação das informações dos candidatos pré-aprovados na primeira chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni). O procedimento deve ser feito na universidade onde o candidato vai estudar até a próxima sexta-feira (23).

As informações que devem ser comprovadas dizem respeito ao cadastro, residência e renda do candidato e da família. A instituição também poderá solicitar informações complementares.

O ProUni oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em cursos de graduação de instituições privadas de educação superior. Nesta edição, foram ofertadas aproximadamente 243 mil bolsas. Podem concorrer ao benefício brasileiros sem diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017, com nota superior a 450 pontos e que não tenham zerado a prova.

É necessário, ainda, que o candidato atenda a pelo menos um dos requisitos a seguir: ter cursado o ensino médio completo em escola pública, ou em instituição privada como bolsista integral, possuir alguma deficiência, ser professor da rede pública ou estar enquadrado no perfil de renda exigido pelo programa.

A segunda chamada do processo seletivo está prevista para ser divulgada no dia 2 de março.

Edição: Amanda Cieglinski
Anúncios

“Como vencer a tragédia da educação brasileira”


A sociedade contemporânea vive uma crise econômica e social pela exclusão de muitos da vida produtiva e uma crise de valores humanos, caracterizada por crescente individualismo, pela banalização da violência e degradação ambiental. Esse quadro tem tudo a ver com a educação. A análise do sistema educacional brasileiro aponta para graves deficiências. Entre elas, o analfabetismo total e funcional, avaliações nacionais e internacionais inadequadas, poucos avanços em formação e valorização do professor, pedagogia ultrapassada, evasão e violência.

issac-roitman_2_edit-2

Recentemente, foram aprovadas a reforma do ensino médio e a Base Nacional Comum Curricular. A educação brasileira não dará saltos com pequenas transformações. Todo o sistema educacional precisa ser novamente construído. O principal objetivo de uma educação de qualidade é a de preparar o futuro adulto para exercer um protagonismo social virtuoso, uma convivência harmônica com a natureza e ter um trabalho que lhe proporcione uma vida digna e feliz.

É preciso que adotemos os quatro pilares da educação básica propostos pela Unesco: 1) Aprender a conhecer; 2) Aprender a fazer; 3) Aprender a conviver; 4) Aprender a ser. O que realmente precisamos para superarmos essa verdadeira calamidade da educação brasileira é de uma verdadeira revolução do sistema educacional como um todo. De nada valerá criarmos um modelo adequado para o ensino médio se os egressos do ensino infantil e fundamental forem ceifados de qualidades inatas como a curiosidade e a criatividade.

Um bom começo seria o de priorizarmos a educação na primeira infância, fase em que o cérebro é desenvolvido com grande intensidade e quando a personalidade do ser humano é moldada. Nesse contexto, temos que formar um professor diferente, que podemos denominar “o novo professor”. Ele saberá utilizar de forma inteligente os avanços das tecnologias de informação e comunicação.

Esse professor não será um simples transmissor do conhecimento, e sim um estimulador que conhecerá os potenciais e as dificuldades de todos os seus alunos. Ele será preparado para identificar e superar conflitos. É absolutamente essencial atrair para a carreira de professor os nossos melhores talentos egressos do ensino médio. Para isso, além da gratificação de serem protagonistas na construção de um futuro virtuoso, teriam também o reconhecimento social, com uma carreira estimulante e com um salário que estaria no topo da carreira do servidor público, como acontece nos países que levam a educação a sério.

Os processos de aprendizagem precisam ser revistos. Precisamos gradualmente eliminar as aulas expositivas no nosso sistema educacional e eliminar os conteúdos inúteis. O cenário de uma aprendizagem contemporânea deve ser pela análise de temas e na resolução de problemas com um constante exercício da argumentação e do pensamento crítico. Em todo o processo de aprendizagem seriam também desenvolvidas as habilidades sociais e emocionais.

A abordagem interdisciplinar deverá estar sempre presente. A interação forte entre a escola, a família e a comunidade é fundamental para uma educação plena. A mídia, ao contrário do que ocorre, deve ser um valioso instrumento na formação cidadã. A promoção de valores e virtudes, tais como solidariedade, ética, desprendimento, amorosidade, responsabilidade social, compaixão e outras devem estar presentes em todos os níveis. Uma gestão eficiente e autônoma é também essencial. Tudo indica que implantação da Comunidade de Aprendizagem do Paranoá(CAP), uma nova escola pública da Secretaria de Educação do Distrito Federal, será uma notável iniciativa, simbolizando o fim da tragédia que é a educação brasileira.

Vamos cumprir a nossa missão geracional que é contribuir para termos um mundo melhor para as próximas gerações. Um mundo sem injustiças sociais, com oportunidades para que todos os brasileiros possam conquistar suas aspirações. O desafio é proporcionar uma educação de qualidade para todos os brasileiros e brasileiras. Assim fazendo, talvez possamos até nos orgulhar no futuro de nossos políticos. Vamos nos inspirar no pensamento de Pitágoras: “Educai as crianças e não será preciso castigar os homens”.

*Isaac Roitman  é professor emérito e coordenador do Núcleo de Estudos do Futuro da Universidade de Brasília, membro da Academia Brasileira de Ciências e membro do Movimento 2022 O Brasil que queremos

(Isaac Roitman para o Correio Braziliense, 07/02/2018)

Disponível em: http://www.abc.org.br/centenario/?Como-vencer-a-tragedia-da-educacao-brasileira

A dança na formação dos jovens é tema do Salto para o Futuro


A dança é uma das mais antigas formas de expressão da humanidade. Desde as pinturas rupestres, simulando corpos em movimento, até a coreografia contemporânea, homens e mulheres, por meio da dança, têm usado o corpo como recurso para produzir arte, beleza e encantamento. As aprendizagens do corpo em movimento são o tema do programa Salto para o Futuro, da TV Escola, na próxima quarta-feira, 14, às 20h.

Zeca Ligiero, coordenador do Núcleo de Estudos das Performances Afro-Ameríndias, e Rosa Campelo, coordenadora do curso técnico em dança da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), são os convidados do programa. O papel dessa expressão artística no cotidiano das escolas brasileiras será o tema central do programa.

A dança também pode contar histórias, resgatar origens, reafirmar identidades. E pode ser um canal de expressão e valorização das diversidades. Por isso sua importância dentro do universo escolar, na prática pedagógica e na formação de crianças e adolescentes.

É sobre as aprendizagens do corpo em movimento que convidados conversam com Bárbara Pereira e Murilo Ribeiro nesta edição do Salto para o Futuro. O programa é transmitido todas as quartas-feiras, às 20h, na TV Escola. E em tempo real na página da TV Escola ou nos aplicativos do canal.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Concurso literário do FNDE tem prazo de inscrição prorrogado


O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) prorrogou no dia 8, o prazo de inscrições do concurso literário Faça parte dessa história. Agora, quem quiser pode se inscrever até 2 de abril.

O edital vai selecionar os maiores talentos das escolas públicas do Brasil na arte de escrever e podem participar todos aqueles estudantes devidamente matriculados em turmas de ensino fundamental e médio, das escolas públicas brasileiras, com obras nos seguintes gêneros literários: poema, conto, crônica, novela, teatro, texto da tradição popular, romance, memória, diário, biografia, relatos de experiências e história em quadrinhos.

As inscrições devem ser feitas pela internet. O concurso, que comemora os 80 anos da política pública do Livro Didático, é uma inciativa do Ministério da Educação e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

“Nós decidimos prorrogar o prazo das inscrições para que professores, coordenadores e os diretores das escolas possam mobilizar os alunos a participar desse movimento, que tem a intenção de promover a criatividade dos nossos estudantes. Temos certeza de que teremos grandes obras inscritas”, afirmou o presidente do FNDE, Silvio Pinheiro. “O incentivo à leitura e à produção literária deve começar desde cedo, pois é assim que nossos jovens podem ampliar seus conhecimentos e criar uma nova percepção de mundo”, concluiu.

A cerimônia de premiação dos vencedores acontecerá durante a Bienal Internacional do Livro 2018 em São Paulo. O primeiro colocado em cada uma das categorias ganhará uma viagem internacional para conhecer a maior feira de livros do mundo, a de Frankfurt, na Alemanha. E os três finalistas de cada categoria (anos iniciais do ensino fundamental, anos finais do ensino fundamental e ensino médio) também serão premiados com uma viagem de visita à Bienal do Livro de São Paulo, e poderão acompanhar a produção e distribuição do livro didático na capital paulista. Além disso, levarão para casa um acervo completo de obras literárias.

Confira o regulamento do concurso Faça parte dessa história

Assessoria de Comunicação Social, com informações do FNDE

Fonte: MEC

Jovens que cumprem medidas socioeducativas ganham estágio na Prefeitura de Ipatinga


Pela parceria, adolescentes em internação estudarão 4 horas a mais por semana e cumprirão carga de trabalho de 16 horas semanais

Onze adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação em Ipatinga ganharam novas oportunidades de estudo e trabalho, graças a uma parceria firmada entre a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), por meio do Centro Socioeducativo de Ipatinga, a Prefeitura do município e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

Eles iniciaram o curso preparatório para trabalho no Executivo no dia 22 deste mês e, nesta segunda (29/1), passaram a ocupar postos de trabalho em diversos setores da prefeitura.

O diretor do Centro Socioeducativo de Ipatinga, Samuel Nascimento, conta que o projeto foi desenvolvido com o envolvimento dos parceiros e familiares dos adolescentes contemplados nesta primeira experiência do projeto.foto socioeducativo

“Trabalhamos sempre na ressignificação dos jovens enquanto sujeitos, oportunizando estudo, esporte, cultura e lazer. A inserção no mercado de trabalho vem solidificar todo esse processo, para que eles possam fazer novas escolhas quando retornarem ao convívio social”, observa Nascimento.

A verba de mais de R$ 80 mil para a execução do projeto veio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Ipatinga (CMDCA).  A Escola Profissionalizante Tenente Oswaldo Machado (EPTOM) – entidade essencialmente filantrópica, qualificada em formação técnico-profissional – foi selecionada para realizar os trabalhos durante um ano.

Os adolescentes terão uma carga horária de 20h semanais, sendo 4h de aula, toda sexta-feira, na EPTOM, e 16h de prática na Prefeitura. Eles serão acompanhados por uma equipe técnica e receberão uma bolsa de R$100, mensais, que será repassada para o responsável legal.

“Nosso anseio em atender os adolescentes autores de atos infracionais é enorme; mas é uma política pública que carece de um envolvimento maior da sociedade. Estamos trabalhando em conjunto com a direção do Centro Socioeducativo de Ipatinga para mobilizar novas parcerias e ampliar essa oferta de vagas em setores públicos e privados”, observa o presidente do CMDCA, Leonardo Rodrigues.

*Bernardo Ribeiro, de 17 anos, cursa o ensino formal na Escola Estadual instalada dentro da unidade e é um dos onze jovens que receberam a oportunidade de estágio. “Estou feliz. Acredito que com a experiência terei mais chances na hora de buscar um emprego quando sair daqui”, acredita.

*Nomes reais preservados segundo indicação do Estatuto da Criança e do Adolescente

Fonte: Assessoria de Comunicação da Sesp-MG

Abertas as inscrições para cursos técnicos gratuitos do Mediotec


Vagas são voltadas para estudantes matriculados no Ensino Médio Regular nas escolas da rede pública estadual, municipal e federal 

Até o dia 25 de fevereiro, estudantes matriculados no Ensino Médio Regular nas redes pública estadual, federal e municipal podem se inscrever para participar do processo seletivo dos cursos técnicos gratuitos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego – PRONATEC, por meio da ação Mediotec.

São ofertadas 825 vagas nas modalidades a distância e presencial nos municípios de Belo Horizonte, Bocaiúva, Cataguases, Extrema, Guaxupé, Ituiutaba, Jaíba e Pouso Alegre. O candidato poderá realizar apenas uma inscrição, devendo escolher o município, a unidade de ensino, o curso e o turno de seu interesse. Os interessados devem se inscrever por meio de formulário eletrônico disponível neste LINK.

As vagas são para os cursos técnicos em Informática, Cooperativismo, Logística, Administração, Comércio Exterior, Recursos Humanos, Vendas, Agronegócio e Enfermagem. Um dos cursos técnicos em Informática ofertado pela Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig) será realizado na modalidade a distância.

O processo seletivo será realizado por meio de sorteio público, que será realizado às 14 horas do dia 28 de fevereiro de 2018, na Secretaria de Estado de Educação, que fica no 11º andar do Prédio Minas – Cidade Administrativa (Rodovia Papa João Paulo II, 4143 – Bairro Serra Verde – Belo Horizonte).

De acordo com o edital, o processo de seleção obedecerá aos seguintes critérios: 10% das vagas destinadas aos jovens com deficiências e para aqueles em medidas protetivas e socioeducativas; 65% das vagas destinadas aos jovens oriundos de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família matriculadas no Ensino Médio; e 25% das vagas destinada à ampla concorrência.

A divulgação da classificação dos candidatos no sorteio está prevista para o dia 02 de março de 2018 e será disponibilizada na página oficial da Secretaria de Estado de Educação (SEE) e nas unidades de ensino para as quais os candidatos efetuaram sua inscrição.

As dúvidas sobre o processo de inscrição deverão ser direcionadas para o e-mail: mediotec2018@educacao.mg.gov.br.

Mediotec

Iniciativa do Ministério da Educação, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), o Mediotec é executado em parceria com instituições públicas e privadas e prioriza a oferta de cursos técnicos em concomitância ao ensino médio regular para alunos matriculados em escolas públicas.

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

Mais Alfabetização tem prazo prorrogado para 15 de fevereiro


O prazo para estados e municípios aderirem ao Programa Mais Alfabetização, por meio do Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle (Simec) do Ministério da Educação, foi prorrogado para 15 de fevereiro. As escolas terão prazo até 16 de fevereiro para fazer sua adesão.

Criado pelo MEC com o objetivo de apoiar escolas no processo de alfabetização dos estudantes de todas as turmas do primeiro e do segundo anos do ensino fundamental, o programa vai investir R$ 200 milhões para o pagamento de um assistente pedagógico que vai auxiliar os professores em sala de aula.

A expectativa é atender a 4,2 milhões de alunos em aproximadamente 200 mil turmas espalhadas pelo Brasil. O repasse será feito por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e os auxiliares receberão R$ 150 por mês para cada turma em que atuarem, podendo acumular até oito turmas. Não há vínculo empregatício. Os candidatos a assistente devem, obrigatoriamente, passar por um processo de seleção elaborado pelos municípios.

Investimento total – O programa Mais Alfabetização faz parte da Política Nacional de Alfabetização, lançada pelo MEC em 2017 para combater a estagnação dos baixos índices registrados pela Avaliação Nacional de Alfabetização. O conjunto de iniciativas terá investimento total de R$ 523 milhões.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Divulgados os resultados do Encceja para o ensino médio


O resultado do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) para o ensino médio foi divulgado nesta segunda-feira, 5, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao Ministério da Educação. Para acessá-lo, os candidatos devem acessar a página do exame na internet, com número do CPF e senha cadastrada no momento da inscrição.

A diretora de avaliação da Secretaria de Educação Básica, Luana Bergmann Soares, destaca que o retorno do Encceja como instrumento de certificação do ensino médio, em 2017, cria as condições necessárias para que mais cidadãos tenham oportunidades educacionais e profissionais. “Retomar o Encceja como instrumento de certificação foi uma decisão acertada do MEC e do Inep. Muito embora nossas equipes técnicas já apontassem essa necessidade há alguns anos, foi esta gestão que teve a sensibilidade de ouvir, compreender e enfrentar a situação posta. Com essa nova diretriz, oferecemos um instrumento adequado aos cidadãos que, por diferentes motivos, não puderam concluir seus estudos na idade apropriada.”

Com provas realizadas em novembro do ano passado, a edição 2017 do Encceja registrou 1.575.561 inscritos, dos quais 1.272.279 (81%) fizeram a prova para obtenção de certificado do ensino médio. A divulgação dos resultados do Encceja Nacional para o ensino fundamental e para as edições voltadas a pessoas privadas de liberdade ou realizadas no exterior, por outro lado, ocorre em março.

Aqueles que alcançaram a nota mínima exigida nas quatro áreas de conhecimento e na redação devem providenciar sua certificação junto às secretarias estaduais de educação e aos institutos federais de educação, ciência e tecnologia selecionados no ato da inscrição. Cabe a essas instituições a definição dos procedimentos complementares, bem como dos prazos para emissão de certificado. Já as instituições deverão acessar o Portal do Inep e digitar o código impresso no Boletim do Participante para validar o documento.

Os participantes que obtiveram a nota mínima em apenas uma, duas ou três áreas de conhecimento, por sua vez, devem solicitar a declaração parcial de proficiência junto à secretaria estadual ou instituto federal. Com essa declaração, eles ficam liberados de realizar as provas dessas áreas de conhecimento em futuras edições do Encceja.

Acesse a página do exame

Acesse a página do participante

Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep  

Alfabetizar na EJA: o que muda no planejamento das aulas?


Ensinar adultos exige cuidados. Não tratar os alunos como crianças é um dos pontos fundamentais para que o trabalho funcione
Por: Camila Camilo

Os materiais utilizados para alfabetizar os pequenos não servem para os adultos

A defasagem na escolaridade leva muitos alunos a procurarem a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em geral, este público é atendido por professores formados para atuar no Ensino Fundamental e que costumam trabalhar paralelamente com as crianças das turmas regulares. Apesar de o currículo ser essencialmente o mesmo, quem frequenta a EJA já é adulto e busca outra finalidade com os estudos. Por isso, o professor precisa fazer adaptações na escolha dos temas, na abordagem e no tratamento que dá à turma.

Segundo a Proposta Curricular em Educação Para Jovens e Adultos do Ministério da Educação, quem trabalha neste segmento deve conhecer os alunos “suas expectativas, sua cultura, as características e problemas de seu entorno e suas necessidades de aprendizagem”. Respeitar a realidade do estudante é fundamental em todos os níveis de ensino, mas ganha uma importância ainda maior quando eles já são experientes. É preciso levar em conta a bagagem da turma. O papel do educador na EJA é, principalmente, o de ajudar o adulto a perceber mais sensivelmente o mundo que o cerca e ampliar o repertório dos alunos para que consigam solucionar questões do cotidiano com mais propriedade.

Segundo a Proposta Curricular em Educação Para Jovens e Adultos do Ministério da Educação, quem trabalha neste segmento deve conhecer os alunos “suas expectativas, sua cultura, as características e problemas de seu entorno e suas necessidades de aprendizagem”. Respeitar a realidade do estudante é fundamental em todos os níveis de ensino, mas ganha uma importância ainda maior quando eles já são experientes. É preciso levar em conta a bagagem da turma. O papel do educador na EJA é, principalmente, o de ajudar o adulto a perceber mais sensivelmente o mundo que o cerca e ampliar o repertório dos alunos para que consigam solucionar questões do cotidiano com mais propriedade.

A professora Miriam Capitânio Macgnani, da EM Madre Celina Polci, em São Bernardo do Campo (SP), dá aulas para uma turma de 19 alunos que trabalham na construção civil. Eles fazem parte de um projeto da prefeitura e frequentam a escola durante o expediente para elevar o grau de escolaridade e aprimorar os conhecimentos da profissão. Além das aulas regulares, são acompanhados por um professor de nível técnico.
Para aproximar os conteúdos curriculares da realidade dos alunos, Miriam propôs uma pesquisa sobre diferentes tipos de construção e suas funções. Como muitos vivem em moradias irregulares, o impacto destes ambientes na sociedade, na natureza e na saúde dos estudantes é debatido em sala, com o apoio de fotos do acervo municipal.

Em outra ocasião, uma das estudantes, de 27 anos, contou que já estava na nona gestação apesar da pouca idade. Ciente que o tema era familiar ao resto do grupo, a professora preparou uma aula sobre métodos contraceptivos e saúde da mulher, que contou com boa participação da turma. “Contextualizo o conteúdo porque o aprendizado para eles têm que ser significativo, afinal buscam a escola para mudar a própria vida”, explica a docente.

Muitos dos alunos de Miriam ainda não sabem ler. Para alfabetizá-los a Secretaria de Educação desenvolveu um material exclusivo. Na hora de propor aos alunos a escrita de uma lista de palavras, por exemplo, ela opta por termos relacionados ao cotidiano da construção civil. Esta é uma escolha importante, já que aquilo que é utilizado na alfabetização dos pequenos, como parlendas e listas com nomes de animais, não serve para os adultos. O trato infantilizado é, inclusive, um dos motivos que afastam os alunos da EJA da escola e pode ser apontado como uma das causas para a queda de 6% nas matrículas, revelada no último Censo Escolar. Uma dica é substituir estes textos por poesias ou letras de músicas conhecidas.

Assim como o planejamento das aulas é diferente, as dificuldades também mudam do Ensino Fundamental nas turmas regulares e nas turmas de EJA. Miriam observa que, ao contrário das crianças, os adultos têm mais medo de errar, principalmente na hora de formular hipóteses de escrita. Em entrevista à NOVA ESCOLA a pesquisadora Sandra Medrano, coordenadora pedagógica do Centro de Educação e Documentação para Ação Comunitária (CEDAC), explicou que este receio tem um motivo. Em geral, este aluno tem mais dificuldade para compreender que escrever “errado” ou não conseguir ler todas as palavras é uma maneira de alcançar o acerto. A sugestão é que o professor mostre que o mais importante, no caso da alfabetização, é pensar sobre o sistema de escrita, o que inclui refletir e discutir sozinho e com os colegas quais letras usar e em que ordem, quais palavras são familiares e o que pode ser referência para escrever algo novo.

Fonte: Revista Nova Escola. novaescola.org.br/conteudo/8/eja-alfabetizacao-o-que-muda-planejamento-aulas

Nem 4% de nossos jovens dominam a matemática


Publicado em 8/01/2018

No lançamento do Instituto Serrapilheira, no Impa (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), em março de 2017, Branca e João Moreira Salles foram questionados sobre o que os levava a investir parte do patrimônio no financiamento da ciência e da disseminação da cultura científica.

João contou a história de quando se surpreendeu com o tamanho de sua turma no curso de Cinema na PUC-Rio: 30 alunos. Pareceu-lhe excessivo, em um país que nem sequer tem indústria cinematográfica. Cruzou o campus para descobrir quantos estudavam matemática: eram apenas dois. “Um país que forma muito mais cineastas que matemáticos caminha para a catástrofe, a qual será muito bem filmada, sem dúvida, mas continuará sendo uma catástrofe”, concluiu.

O problema da matemática no Brasil vai muito além da escassez de alunos, claro. Alguns anos atrás, dois professores da Unicamp questionaram a utilidade de abrir mais vagas de engenharia nas universidades. Marcelo Knobel, atual reitor da Unicamp, e seu colega Fernando Paixão tomaram como ponto de partida os resultados do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), realizado a cada três anos pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, com jovens de 15 anos de mais de 70 países.

Os resultados do Pisa são classificados em seis níveis. Na matemática, o nível dois é considerado necessário para o exercício da cidadania, e o nível quatro é o mínimo requerido para carreiras nas áreas tecnológicas. Os resultados, infelizmente, são eloquentes: menos de 4% dos nossos jovens alcançam o nível quatro ou mais na prova. Na Austrália são 38%, no Canadá, 43%, na Coreia do Sul, 52%.

Ainda segundo os mesmos autores, os 1.500 cursos de engenharia existentes no país ofereciam cerca de 150 mil vagas por ano, mas só formavam 30 mil. A deficiente formação em matemática tem, sem dúvida, um papel determinante nessa elevadíssima taxa de evasão. Engenharia, computação, aeronáutica e tantas outras, são áreas que exigem conhecimento matemático. O Brasil está deixando de formar dezenas de milhares de profissionais de carreiras necessárias para o desenvolvimento do país.

Dados recentes mostram que há avanços no ensino fundamental, especialmente no primeiro ciclo, mas a situação no ensino médio tende a degradar-se: em 2015, apenas 7,3% dos alunos que concluíram a educação básica atingiram nível satisfatório de aprendizado em matemática, e esse percentual cai para 3,6% nas escolas públicas. Mesmo sendo o resultado de uma combinação perversa de fatores, é uma demonstração contundente do fracasso do modelo ainda vigente no nosso ensino médio.

* Acadêmico, matemático e diretor-geral do Impa, Marcelo Viana é ganhador do Prêmio Louis D., do Institut de France.

 

(Marcelo Viana, para o jornal Folha de S. Paulo, 07/01/2018)

Presidente da TV Escola anuncia programação totalmente renovada da emissora


Canal do Ministério da Educação, a TV Escola se prepara para lançar nova programação e identidade visual. As estreias começam em 15 de janeiro, e as novidades foram apresentadas ao ministro da Educação, Mendonça Filho, nesta quarta-feira, 10. Até março, 80% da grade chega ao público com novidades, que vão desde o lançamento de programas inéditos até a reformulação das programações mais populares.

“A nova programação da TV Escola é algo excepcional. Está em um formato bastante didático e sintonizado com as mudanças importantes da grade curricular a partir da Base Nacional Comum Curricular e outras iniciativas, como o Novo Ensino Médio, as mudanças no Enem e no Fies, programas que se dirigem à transformação da realidade da educação no Brasil”, disse o ministro Mendonça Filho.

Para realização das mudanças foi levado em conta pesquisa feita pelo Instituto GPP em sete capitais (Curitiba, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, João Pessoa e Recife), que constatou uma demanda por programas educativos. “Fizemos duas pesquisas nacionais para servirem de guia para nossa equipe. Os produtos que vamos levar ao ar têm esse cuidado de serem aquilo que o nosso espectador quer e espera que a gente apresente. Nós somos uma TV educativa e devemos levar esse conteúdo educativo da forma mais acessível ao nosso público”, explicou o diretor geral da TV Escola, Fernando Veloso.

Serão mais de 15 programas inéditos, entre os quais a Mostra Geração, comandada pelo ator Christian Monassa, que reúne produções audiovisuais de crianças e jovens; a série Professor Presente, com depoimentos de professores que visam dar visibilidade aos trabalhos de sala de aula ou fora dela; e a animação Oto, que apresenta de forma lúdica gêneros e estilos musicais para o público infantil.

Programas já consagrados como o Salto Para o Futuro e o Hora do Enem virão reformulados. O primeiro, sob o comando de Barbara Pereira e Murilo Ribeiro, ganha novo cenário e passa a ser exibido ao vivo. Já o Hora do Enemganha quadros inéditos.

Para acompanhar a programação, uma nova dinâmica de faixas de programa e público foi estabelecida, de modo que a grade passa a ser dividida em Infantil (3 a 10 anos), Jovem (15 a 18 anos) e Mundo da Educação e Adulto, este último com conteúdos diretamente voltados ao currículo da educação básica e outros não-curriculares, mas ligados à educação.

No final do ano passado, o público teve uma prévia das novidades quando a TV Escola estreou o Rede Escola – Notícias da Educação, a primeira revista eletrônica do país dedicada à educação. Exibido às sextas-feiras, sempre às 21h, o programa é apresentado por Clarissa Vargas e Ernesto Xavier e tem como editor o jornalista Marcílio Brandão. Na mesma época, a emissora lançou seu primeiro produto no ramo da teledramaturgia: 1817 – A Revolução Esquecida. No formato de documentário histórico dramatizado, o filme, dirigido e produzido por Tizuka Yamazaki e Ricardo Fávila, contou com Klara Castanho e Bruno Ferrari em um elenco com mais de 20 atores.

Para embalar todas as novidades dessa transição, a TV Escola lança também novas chamadas e logomarca. O slogan É bom saber substitui o TV Escola, o canal da educação. A nova marca conta com a assinatura de Ruth Reis e sua equipe. Há mais de 20 anos no ar, o canal tem como público-alvo professores, coordenadores e gestores escolares, além de alunos da pré-escola ao ensino médio da rede pública.

Toda a programação da rede pode ser acessada por satélite, parabólica, DTH, TV a cabo e TV digital, somando mais de 80 milhões de espectadores, além da internet, que reúne 12 milhões de usuários acessando o canal via web, mais de 370 mil seguidores nas redes sociais, 20 mil downloads do aplicativo para TVs conectadas e mais de 180 mil downloads para smartphones.

Confira também o site da TV Escola com videoteca, programação e muito mais.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Divulgação dos resultados do ENEM será antecipada para 18 de janeiro


Os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 serão disponibilizados com um dia de antecedência, em 18 de janeiro. Os resultados individuais poderão ser consultados na Página do Participante. Será necessário informar o CPF e a senha cadastrada na inscrição. A mesma senha dará acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que ficará aberto de 29 de janeiro a 1º de fevereiro. Para aqueles que se esqueceram da senha, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) sugere que a recuperação seja feita com antecedência. A Página do Participante tem orientações completas para recuperação de senha.

Como em outras edições, e conforme previsto em edital, os resultados para fins exclusivos de autoavaliação de conhecimentos de participantes com menos de 18 anos, comumente chamados de treineiros, serão liberados 60 dias depois da divulgação regular. Os espelhos de correção das redações também serão após 60 dias. O acesso ao espelho de correção é uma forma do participante saber como se saiu em cada uma das cinco competências avaliadas pela prova.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Publicadas listas de escolas que ofertam o Curso Normal em Nível Médio e a Educação Profissional Técnica de Nível Médio


Designações para professores que desejam atuar nas escolas que ofertam a Educação Profissional e o Curso Normal serão realizadas entre os dias 05 e 09 de fevereiro

Estão disponíveis para consulta, as listas de escolas da rede estadual de ensino que ofertam o Curso Normal em Nível Médio e a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. As listas podem ser consultadas pelos candidatos interessados em participar da designação para o exercício de função pública de Professor de Educação Básica em 2018.

Os interessados em atuar no Curso Normal em Nível Médio deverão se inscrever entre os dias 05 e 09 de fevereiro diretamente nas escolas que ofertam o curso, observando, no ato de designação, as normas vigentes para o acúmulo de cargos. O candidato irá concorrer às vagas para designação somente nas escolas em que se inscrever.

A listagem classificatória será divulgada entre os dias 16 e 20 de fevereiro na escola onde o candidato fez a sua inscrição, conforme cronograma constante na Resolução. As Superintendências Regionais de Ensino também disponibilizarão as listagens classificatórias das escolas.

Confira aqui a lista das escolas que ofertam o Curso Normal em Nível Médio

Nos próximos dias, também será disponibilizado no site da Secretaria de Estado de Educação o formulário de inscrição que deverá ser utilizado pelos interessados em participar da designação para o Curso Normal em Nível Médio

Educação Profissional

Os candidatos que pretendem atuar na Educação Profissional Técnica de Nível Médio também deverão efetuar sua inscrição na escola estadual que ofertará o curso de seu interesse entre os dias 05 e 09 de fevereiro. As inscrições deverão ser realizadas, pessoalmente ou por procuração. O candidato poderá realizar tantas inscrições quantas forem de seu interesse, em municípios e escolas distintas, observadas a habilitação e escolaridade previstas na Resolução. As inscrições serão realizadas, por curso, para lecionar os componentes profissionalizantes e de enriquecimento do currículo constantes da matriz curricular.

As resoluções que estabelecem critérios e definem procedimentos para inscrição e classificação de candidatos à designação para o exercício de função pública de Professor de Educação Básica para atuar na Educação Profissional Técnica de Nível Médio (Resolução SEE nº 3.664) e para regente de aulas do Curso Normal em Nível Médio ( ) foram publicadas no Diário Oficial Minas Gerais do último sábado (06/01).

Confira aqui a lista das escolas que ofertam a Educação Profissional Técnica de Nível Médio

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

Secretaria de Educação divulga novo cronograma para processo de designação


Entre as mudanças, estão novas datas para resultado da primeira rodada de atribuição e para apresentação do servidor designado na modalidade online

 Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE) divulgou no Diário Oficial Minas Gerais deste sábado (6) a alteração do cronograma a ser cumprido no processo de designação para o exercício da função pública na Rede Estadual de Educação Básica em 2018, conforme disposições da Resolução SEE nº 3660/2017, que estabelece normas para a designação e a organização do Quadro de Pessoal das Escolas Estaduais.

As Superintendências Regionais (SRE), as unidades de ensino e as unidades administrativas do Órgão Central envolvidas direta e indiretamente no processo de designação devem ficar atentas aos novos prazos.

Novo Cronograma para Processo de Designação 2018

 

Publicadas resoluções para designação em Conservatórios, Curso Normal em Nível Médio e Educação Profissional Técnica de Nível Médio


Resoluções, publicadas no Diário Oficial Minas Gerais do último sábado (06/01), são para a função de Professor de Educação Básica

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) publicou no Diário Oficial Minas Gerais do último sábado (06/01) resoluções que estabelecem critérios e definem procedimentos para inscrição e classificação de candidatos à designação para o exercício de função pública de Professor de Educação Básica para atuar na Educação Profissional Técnica de Nível Médio, nos Conservatórios Estaduais de Música e como regente de aulas do Curso Normal em Nível Médio.

As inscrições para os educadores interessados em atuar nos conservatórios poderão ser realizadas entre os dias 18 e 25 de janeiro. As vagas são para professores regente de aulas dos componentes curriculares teóricos e instrumentos/canto dos cursos ofertados pelas instituições. O candidato poderá realizar pessoalmente ou por procuração até três inscrições no Conservatório Estadual de Música onde irá concorrer às designações, observando, no ato da designação, as normas vigentes para o acúmulo de cargos.

A listagem classificatória será divulgada entre 29 de janeiro a 01 de fevereiro no Conservatório Estadual de Música onde o candidato se inscreveu e nas respectivas Superintendências Regionais de Ensino, devendo ainda ficar disponível para consulta na Diretoria Educacional.

Já os interessados em atuar no Curso Normal em Nível Médio deverão se inscrever entre os dias 05 e 09 de fevereiro nas escolas que ofertam o curso. O candidato poderá realizar sua inscrição em todas as escolas que ofertem o Curso Normal em Nível Médio, observando, no ato de designação, as normas vigentes para o acúmulo de cargos. O candidato irá concorrer às vagas para designação somente nas escolas em que se inscrever.

A listagem classificatória será divulgada entre os dias 16 e 20 de fevereiro na escola onde o candidato fez a sua inscrição conforme cronograma constante na Resolução. As Superintendências Regionais de Ensino também disponibilizarão as listagens classificatórias das escolas.

A Educação Profissional Técnica de Nível Médio também receberá a inscrição de candidatos designados. O interessado deverá efetuar sua inscrição na escola estadual que ofertará o curso de seu interesse, observando-se o cronograma e a relação de escolas/cursos/municípios a serem publicados no site da Secretaria de Estado de Educação em https://www.educacao.mg.gov.br/parceiro/educacao-profissional.

As inscrições deverão ser realizadas, pessoalmente ou por procuração, na escola que oferte o curso técnico de seu interesse. O candidato poderá realizar tantas inscrições quantas forem de seu interesse, em municípios e escolas distintas, observadas a habilitação e escolaridade previstas na Resolução. As inscrições serão realizadas, por curso, para lecionar os componentes profissionalizantes e de enriquecimento do currículo constantes da matriz curricular.

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP) tem nova edição publicada


A edição 250 da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP) já esta disponível no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A publicação traz como destaques o artigo “A análise do trabalho em didática profissional”, de Pierre Pastré, que discute analiticamente a formação no desenvolvimento profissional; e o estudo mexicano “Investigación narrativa con docentes sobre mundos posibles para la educación: la recreación de otros sentidos”. Ambos têm como objetivo ampliar o campo de discussão de um dos temas mais recorrentes na história da RBEP: a formação docente.

Os três artigos iniciais discutem a atualidade do debate sobre educação em direitos humanos e educação como um direito de todos. Os demais artigos abordam temas como material didático e letramento digital. A edição 250 encerra com duas resenhas, uma sobre metodologia da pesquisa-ação e outra sobre educação, inteligência artificial e desemprego.

Publicada desde 1944, a RBEP tem nota máxima no Qualis Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes): A1 na área “Ensino” e A2 em “Educação”. O periódico quadrimestral é publicado em formato impresso e eletrônico. A RBEP reúne artigos inéditos, resultantes de pesquisas que apresentem consistência, rigor e originalidade na abordagem do tema e contribuam para a construção do conhecimento na área de Educação. A RBEP também publica relatos de experiência e resenhas. Artigos e resenhas deverão ser encaminhados exclusivamente pelo Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas (Seer). As instruções estão disponíveis no site da revista.

Clique aqui para acessar a edição

MEC cria programa para reverter estagnação na aprendizagem


A partir de 12 de janeiro, estados e municípios terão 30 dias para fazer a adesão ao programa

O Ministério da Educação publicou no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 5, a portaria nº 4/2018, que institui o Programa Mais Alfabetização. O objetivo é fortalecer e apoiar as escolas no processo de alfabetização dos estudantes de todas as turmas do primeiro e segundo anos do ensino fundamental. Entre as principais ações estão a garantia do assistente de alfabetização ao professor em sala. A expectativa é atender a 4,6 milhões de estudantes em 200 mil turmas em todo o país. O investimento será de R$ 523 milhões em 2018.

A ministra da Educação substituta, Maria Helena Guimarães de Castro, defende o apoio aos professores como importante ferramenta para melhorar a alfabetização das crianças de todo o país. “O apoio virá tanto no mestrado profissional para os professores que atuam no primeiro e segundo anos do ensino fundamental, como a residência pedagógica para os futuros professores, com 80 mil vagas a partir de 2018 e ênfase na alfabetização”, disse.

No Mais Alfabetização, todo professor regente contará com o apoio de um assistente de alfabetização para o desenvolvimento de atividades pedagógicas. Haverá apoio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), com recursos específicos para a contratação desses assistentes e para a realização de atividades voltadas para as turmas de primeiro e segundo anos do ensino fundamental. Continuar lendo MEC cria programa para reverter estagnação na aprendizagem

Meu Primeiro Negócio desperta o interesse de jovens estudantes pelo empreendedorismo


Na primeira edição do programa do Governo de Minas Gerais, cerca de 2.500 alunos da rede estadual foram envolvidos. Segunda seleção está com inscrições abertas e vai contemplar até 650 escolas

De manhã, atividades comuns de aulas escolares: ensinos de Matemática, Física, Química, Geografia, História, Biologia, Português. À tarde o que parecia uma rotina de adolescentes se transforma nas ocupações do mundo adulto: funções e hierarquias de empresa; criação, produção e comercialização de produtos; como angariar clientes e patrocinadores.

Essa foi a realidade de alunos de 120 escolas que participaram do projeto Meu Primeiro Negócio, cuja segunda seleção está com inscrições abertas até 11 de fevereiro de 2018. Continuar lendo Meu Primeiro Negócio desperta o interesse de jovens estudantes pelo empreendedorismo

Republicada resolução que define calendário escolar 2018 nas escolas da rede estadual de Minas Gerais


A resolução foi republicada por conter alteração nas datas do calendário. As aulas terão início no dia 19 de fevereiro

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) republicou, no Diário Oficial Minas Gerais desta sexta-feira (5/1), a Resolução SEE Nº 3.652, que estabelece o Calendário Escolar da Rede Estadual de Ensino para o ano de 2018. De acordo com o documento, o ano escolar terá início no dia 15 de fevereiro, após o feriado de carnaval, com o retorno dos professores às atividades de planejamento pedagógico na escola. O ano letivo terá início no dia 19 de fevereiro, com a volta às aulas, e termina no dia 18 de dezembro.

De acordo com a subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica, Augusta Mendonça, a reorganização do calendário escolar visa otimizar os processos de distribuição de turmas e cargos nas escolas e outras medidas necessárias para garantir um início das atividades com mais tranquilidade nas unidades escolares, sem a interrupção que ocorreria com o recesso de carnaval.

“Dessa forma, iniciamos o ano escolar efetivamente após o feriado, sem nenhum prejuízo no cumprimento dos 200 dias letivos e da carga horária anual dos estudantes”, explica. O recesso do mês de julho será de 16 a 27/07. Já a tradicional ‘semana do professor’ de outubro será de 15 a 19/10.

Segundo a resolução, o calendário deverá ser elaborado em cada unidade com a participação da comunidade escolar e aprovado pelo colegiado. Além disso, deve ser construído coletivamente com as escolas estaduais de um mesmo município e/ou com escolas municipais, respeitando a autonomia da Rede Municipal de Ensino, o interesse dos estudantes, as especificações locais e viabilizando o melhor gerenciamento do transporte escolar.

A elaboração do Calendário Escolar 2018 deve prever o mínimo de 200 dias letivos e carga horária de 800 horas para os anos iniciais do Ensino Fundamental e Ensino Médio noturno e 833 horas e 20 minutos para os anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio diurno.

Ainda de acordo com a resolução, 15 de setembro de 2018 será dia letivo, destinado às atividades da “Virada Educação Minas Gerais”. Já o dia 10 de novembro será destinado à realização de Feira de Ciências e das mostras de trabalhos da disciplina “Diversidade, Inclusão e Mundo do Trabalho (DIM) do Ensino Médio Regular e na Educação de Jovens e Adultos noturno”; da “Diversidade, Inclusão e Formação para a Cidadania (DIC) da Educação de Jovens e Adultos do Ensino Fundamental noturno”; dos estudantes dos Centros Estaduais de Educação Continuada (Cesec) e dos Conservatórios de Música.

A Prestação de Contas da Gestão Escolar deverá acontecer no dia 1º de dezembro de 2018. O período de 19 a 23 de novembro será destinado às atividades da “Semana de Educação para a Vida”, instituída pela Lei Federal nº 11.988/2009.

As Escolas do Campo, Indígenas e Quilombolas poderão elaborar proposta de calendário diferenciado, considerando as especificidades das comunidades locais.

Fonte: Agência Minas

Dez canais sobre educação para aproveitar as férias estudando


Ciências, História e Matemática são alguns temas abordados de maneira descomplicada por especialistas e entusiastas no Youtube

Em férias, muitos alunos acreditam que esse é um bom momento de clarear as ideias e turbinar os estudos para iniciar o ano letivo em 2018 com tudo. E a tecnologia é a melhor aliada. Para facilitar os caminhos para o aprendizado, vão aí 10 canais do Youtube sobre educação que podem ser acessados de qualquer lugar:

Ciência em Show Oficial

Comunicar e ensinar ciências de maneira descomplicada e descontraída. É assim que o trio de cientistas (formado por Wilson, Gerson e Daniel) faz no Ciência em Show. Todas as propostas estão fundamentadas em sólidos referenciais teóricos e levam uma visão moderna do ensino, que aproveita tecnologias, conceitos e espaços diversos para facilitar a aprendizagem.

Educa Responsa

Nesse canal, os vídeos produzidos pelos jovens protagonistas do Projeto Educa Responsa tratam de esclarecer dúvidas sobre como funciona o Grêmio Estudantil, além de dar dicas sobre como transformar sua escola em um lugar mais interessante.

CINEstória
Para quem ainda não conhece, o programa CINEstória utiliza a sétima arte (Cinema) para ensinar a História do mundo, por meio do YouTube. O apresentador, Orlando Stieber, é um professor de Atualidades e História apaixonado por cinema. Dessa forma, juntou o que mais gosta de fazer e criou o canal para ensinar ao público os fatos que aconteceram ao longo dos anos, sempre tomando como base um longa metragem.

BVLbiblioteca
É o canal oficial da Biblioteca Parque Villa-Lobos, que sempre tem uma entrevista com algum autor convidado do programa Segundas Intenções na BVL.

Manual do Mundo

É o lugar para você aprender de tudo! Por meio da química e da física, o dono do canal, Iberê Thenório, explica de maneira leve como fazer um abridor de garrafas magnético, ou utilizar um celular e uma webcam para fazer um microscópio ágil e portátil, ou então como fazer um ovo dobrável e até a reciclar papel em casa.

O Manual do Mundo ainda tem um espaço reservado para o “Vale a pena ver de novo”. São clássicos do canal que nunca vão ficar velhos. Ali, Iberê Thenório leva experiências, dicas, receitas, mágicas, pegadinhas, desafios, origamis e muito mais!

O quadro “Boravê” leva o internauta a viagens onde o dono do canal revela como são feitos alguns objetos, como o vidro, o vaso sanitário e a fabricação de papel, por exemplo.

Professor Ferretto

O canal leva o nome do apresentador, e como diz o slogan: Professor Ferretto é mais matemática. Sim, existe uma solução na internet para que você entenda a matéria mais complicada e tida por muitos como a grande vilã das notas vermelhas, a Matemática.

Biologia Total com Prof. Jubilut

Página organizada pelo professor Paulo Jubilut e destinada à divulgação da ciência biológica para vestibulandos, ENEM, universitários, biólogos, professores e demais amantes da biologia. O canal possui um acervo completo de videoaulas dinâmicas e objetivas para facilitar a sua vida.

YouTube Edu

Se você é professor, no YouTube Edu você poderá submeter videoaulas para publicação, ou ainda escolher outras aulas para utilizar com seus alunos. Os conteúdos disponíveis são voltados para os níveis de Ensino Fundamental e Ensino Médio, englobando as disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências (Química, Física e Biologia), História, Geografia, Língua Espanhola e Língua Inglesa.

USP – Universidade de São Paulo

O canal da maior universidade pública do Brasil disponibiliza vídeos sobre assuntos diversos. Geralmente, são matérias que explicam ao público como funcionam alguns projetos da USP e como a universidade trabalha para que as vidas das pessoas assistidas sejam melhoradas.

Khan Academy em Português

Khan Academy é uma organização sem fins lucrativos com o objetivo de mudar a educação para melhor, proporcionando uma educação de classe mundial livre para qualquer pessoa, em qualquer lugar.

Fonte: http://www.educacao.sp.gov.br (editado)

Ministério da Educação garante R$ 14 bilhões de complementação do Fundeb em 2018


O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) terá R$ 14,05 bilhões de complementação da União garantidos para 2018. A complementação está preservada com ganhos em relação a 2017. “Na nossa gestão à frente do MEC, entre 2016 e 2018, aumentamos em R$ 1,5 bilhão a complementação do Fundeb”, afirmou o ministro da Educação, Mendonça Filho. A verba complementar está prevista na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2018.

O valor de R$ 14,05 bilhões é maior que a estimativa de receita dos Fundos, publicada na Portaria Interministerial MEC/MF nº 10, de 28 de dezembro de 2017, que previa o montante de R$ 13,6 bilhões de verba complementar. A atual gestão reajustou o repasse da complementação devida pela União aos estados e municípios e antecipou o fluxo do pagamento da Complementação ao Piso em quatro meses em 2016, além de assumir parcelas mensais a partir de 2017.

Na atual gestão, considerando os períodos de 2016, 2017 e 2018, a complementação do Fundeb aumentou R$ 1,5 bilhão – de R$ 12,54 bilhões em 2016 para R$ 13,9 bilhões em 2017 e R$ 14,05 bilhões este ano de 2018. Por Lei, a complementação da União é de 10% das receitas estaduais projetadas para o ano. A memória de cálculo do valor previsto na Lei Orçamentária Anual de 2018 considerou as receitas estaduais de 2018 projetadas a partir da arrecadação/projeção de 2017, levando-se em conta o realizado até junho, e receitas federais constantes do PLOA 2018, um montante de R$ 140,5 bilhões – recursos do Fundeb.

A União repassa a complementação aos estados e respectivos municípios que não alcançam com a própria arrecadação o valor mínimo nacional por aluno, estabelecido a cada ano. O Fundeb é a principal fonte de financiamento da educação básica pública e é composto por percentuais de diversos impostos e transferências constitucionais, a exemplo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Professores da educação básica podem cadastrar currículo na Plataforma Paulo Freire até o dia 12 de janeiro


Além de funcionar como banco de currículos, a Plataforma será um sistema de gestão de cursos de capacitação para os educadores

Professores da educação básica podem cadastrar currículos na Plataforma Freire até 12 de janeiro e solicitar vagas em cursos do Programa de Formação Inicial e Continuada para Professores da Educação Básica (Profic). A ação faz parte do novo Programa de Formação Docente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Gerenciada pela CAPES, a Plataforma Freire é um site que vai agregar currículos de professores da educação básica. Além de funcionar como banco de currículos – semelhante ao Currículo Lattes, a Plataforma Freire será um sistema de gestão de cursos de capacitação para os professores. Gestores, como diretores, vice-diretores e especialistas, também podem se cadastrar, bem como analistas e técnicos das Superintendências Regionais de Ensino (SREs).

Somente poderão solicitar vagas nesta primeira edição, os professores em exercício na rede pública de educação básica. Serão disponibilizados os seguintes cursos: Licenciatura em diferentes áreas para professores que não possuem graduação em licenciatura na área/disciplina em que atuam em sala de aula; Especialização em Educação infantil para os professores com formação superior que atuam nessa etapa da educação; Especialização em Alfabetização para os professores com formação superior que atuam nas séries iniciais; Especialização em Matemática e Língua Portuguesa para os professores que atuam nas séries iniciais; Especialização em Matemática para professores, com formação superior, que lecionam Matemática nos anos finais do Fundamental; e Especialização em Língua Portuguesa para professores com formação superior, que lecionam Língua Portuguesa para os anos finais do Fundamental .

Após o preenchimento do currículo, o sistema disponibilizará a vaga de acordo com o perfil de cada usuário. A validação da vaga será realizada pela Escola de Formação e Desenvolvimento Profissional de Educadores da Secretaria de Estado de Educação. A validação das vagas dos professores designados ocorrerá se, na época da validação, eles estiverem “em exercício”.

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

Educação de Minas Gerais publica edital de concurso que vai disponibilizar 16.700 vagas para rede estadual em 2018


Inscrições poderão ser feitas a partir das 9h do dia 26 de fevereiro. Concursados irão ocupar vagas hoje preenchidas pelo sistema de designações

Já está disponível para consulta o edital de abertura do concurso público da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE), publicado nesta quinta-feira (28/12) no Diário Oficial Minas Gerais. O certame, autorizado em novembro pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag), contará com 16 mil vagas para o cargo de Professor de Educação Básica de diversas disciplinas e com 700 vagas para Especialista em Educação Básica.

As oportunidades contemplam todas as 47 Superintendências Regionais de Ensino. Os conscursados irão ocupar vagas hoje preenchidas por meio do sistema de designações.

As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet, em www.fumarc.com.br, a partir das 9h do dia 26 de fevereiro até as 23h59 do dia 8 de março de 2018. Para requerer a isenção da taxa de R$ 70,00, valor que será aplicado tanto para a vaga de professor quanto para de especialista, o candidato deve acessar o mesmo endereço eletrônico de 22 a 26 de janeiro.

A aplicação das provas objetivas, que vão contar com 60 questões de Língua Portuguesa, Matemática, Conhecimentos didático-pedagógicos e Conhecimentos específicos, está prevista para 8 de abril de 2018. Os candidatos terão como locais de provas todas as cidades-sede das Superintendências Regionais de Educação.

A realização do concurso vai ao encontro do objetivo do Governo do Estado de criar um quadro estável na Educação, com a maioria dos servidores em cargos efetivos até o final da gestão, como explica o subsecretário de Gestão de Recursos Humanos, Antonio David de Sousa Junior.

“Para isso, é preciso realizarmos um novo concurso, apesar de já termos nomeado mais de 50 mil servidores, para todas as carreiras, ao longo destes três anos. O foco desse novo concurso é exclusivamente a escola, a sala de aula e o processo de ensino e aprendizagem. Como bem sabemos, é muito difícil desenvolver bons projetos educativos e processos eficientes de ensino e aprendizagem tendo que dispensar, a cada ano, cerca de 60% dos professores e depois recontratá-los por meio de designação”.

Antonio David esclarece, também, que a carga horária das vagas ofertadas no edital varia de acordo com a realidade das escolas estaduais. “Aplicamos uma metodologia para levantamento das vagas ofertadas que compreende as diferentes realidades de nossas escolas. Assim, a maioria absoluta das vagas ofertadas no edital tem carga horária de 12 a 16h/a semanais de regência, mas há vagas ofertadas na faixa de 10 a 11 h/a e, ainda, aproximadamente 25% das vagas no corte de 5 até 9 h/a semanais”, diz

De acordo com  o subsecretário, a diferenciação de carga horária foi feita para atender as especificidades de pequenos municípios, de escolas que têm pequeno número de turmas, para que também essas localidades possam ter professores efetivos. “Quer dizer, contando com seus profissionais, que estarão lá dia após dia, contribuindo para alavancar os processos de ensino e aprendizagem”, ressalta Antonio David.

Para as vagas de Especialista em Educação Básica não há distinção de habilitações: os servidores poderão atuar como orientadores educacionais, supervisores ou coordenadores pedagógicos, desempenhando funções fundamentais na organização da escola e no aprimoramento dos processos de ensino.

Já os cargos de Professor de Educação Básica abrangem várias disciplinas como História, Geografia, Química, Física, entre outras que compõem o currículo básico dos anos finais do ensino fundamental e de todo o ensino médio. Especificamente para esta carreira, as 16 mil vagas estão distribuídas entre 848 municípios mineiros, no universo de 852 municípios que contam com escolas estaduais.

O edital para o concurso da SEE 2017/2018 está disponível para consulta na página 36 do Diário Oficial Minas Gerais do dia 28 de dezembro de 2017 – clique aqui para acessar. É importante esclarecer que este concurso não compete com outros ainda vigentes, cujas vagas não estão contempladas neste edital.

Agencia Minas (editado)

Publicados os resultados finais da 1ª etapa do Censo Escolar de 2017


O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) publicou no Diário Oficial da União, nesta terça-feira, 26, os resultados finais referentes à primeira etapa do Censo Escolar de 2017, com informações da Matrícula Inicial das redes públicas estaduais e municipais.

A coleta de dados das escolas tem caráter declaratório e é dividida em duas etapas, dentro do sistema Educacenso. A primeira etapa consiste no preenchimento da “Matrícula Inicial”, quando ocorre a coleta de informações sobre os estabelecimentos de ensino, turmas, alunos e profissionais escolares em sala de aula. A segunda etapa ocorre com o preenchimento de informações sobre a “Situação do Aluno”, e considera os dados sobre o movimento e rendimento escolar dos alunos, ao final do ano letivo.

Após a coleta da 1ª etapa do Censo Escolar – “Matrícula Inicial”, os dados informados são consolidados e publicados preliminarmente no Diário Oficial da União. Com a publicação preliminar o sistema Educacenso é reaberto durante 30 dias para as alterações cabíveis. Finalizado o período de retificações de dados, as informações são validadas e conformadas para publicação, de maneira definitiva, no Diário Oficial da União, o que ocorreu nesta terça-feira, 26.

Censo Escolar – é o principal instrumento de coleta de informações da educação básica e o mais importante levantamento estatístico educacional brasileiro nessa área. É coordenado pelo Inep, órgão vinculado ao Ministério da Educação, e realizado em regime de colaboração entre as secretarias estaduais e municipais de educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país.

Ele abrange as diferentes etapas e modalidades da educação básica e profissional como o Ensino regular (educação infantil, ensino fundamental e médio); Educação especial – modalidade substitutiva; Educação de Jovens e Adultos (EJA); Educação profissional (cursos técnicos e cursos de formação inicial continuada ou qualificação profissional).

Acesse os resultados finais da primeira etapa (Matrícula Inicial).

MEC anuncia piso salarial dos professores com aumento de 6,81%, índice acima da inflação


O ministro da Educação, Mendonça Filho, assinou nesta quinta-feira, 28, portaria com aumento de 6,81% para o piso salarial dos professores para 2018. O índice, anunciado pelo Ministério da Educação, é 4,01% acima da inflação prevista para este ano, que é de 2,8%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), divulgado na última semana pelo Banco Central (BC). Com isso, o piso nacional do magistério tem um ganho real de 3,90% e um salário de R$ 2.455,35, para jornada de 40 horas semanais.

“Esse é o segundo ano consecutivo que o piso é reajustado com valor real acima da inflação. O que é muito bom para os professores”, afirmou Mendonça Filho. Nos últimos dois anos, os professores tiveram um ganho real de 5,22%, o que corresponde a R$ 124,96.

O reajuste anunciado segue os termos do art. 5º da Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008, que estabelece a atualização anual do piso nacional do magistério, sempre a partir de janeiro. “Isso é importante, pois estamos cumprindo a lei que determina esse reajuste”, finalizou Mendonça Filho.

Na última semana, o MEC realizou uma reunião com os membros do Fórum Permanente de Acompanhamento da Atualização Progressiva do Valor do Piso Salarial para Profissionais do Magistério Público da Educação Básica. Na ocasião, foi aberto diálogo com representantes da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) – que representam os estados – e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Critério – O critério adotado para o reajuste, desde 2009, tem como referência o índice de crescimento do valor mínimo por aluno ao ano do Fundeb, que toma como base o último valor mínimo nacional por aluno (vigente no exercício que finda) em relação ao penúltimo exercício. No caso do reajuste deste ano, é considerado o crescimento do valor mínimo do Fundeb de 2016 em relação a 2015.

Clique aqui e acesse a portaria.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Secretaria de Educação divulga balanço das principais conquistas em Minas Gerais


Secretária Macaé Evaristo apresentou avanços e reafirmou compromisso com diálogo

coletiva-macae
Macaé iniciou a apresentação falando sobre a importância da educação pública no Estado. Foto: Marcelo Sant’Anna / Imprensa MG

Nesta quarta-feira (27/12), a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE) divulgou o balanço dos principais investimentos e ações na área da Educação realizados pelo governo do Estado durante o ano de 2017, em coletiva de imprensa concedida pela secretária Macaé Evaristo no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte.

Macaé iniciou a apresentação falando sobre a importância da educação pública no Estado: das 4,7 milhões de matrículas na Educação Básica, quatro milhões são da rede pública de ensino, sendo que a SEE é responsável pela totalidade da oferta do Ensino Médio e pela maioria dos anos finais do Ensino Fundamental.  São 2.137.891 estudantes matriculados na rede estadual, nas 3.643 escolas distribuídas por toda Minas Gerais.

Em seguida, a secretária destacou os desafios dos primeiros anos da gestão e a importância da valorização das relações entre o Governo e os  profissionais da educação. “Nossa primeira ação foi a retomada do diálogo e, nesse processo, a gente conseguiu avançar muito. Por meio dessa abertura, conseguimos descongelar as carreiras, e conquistamos mais de 50 mil progressões e mais de 30 mil promoções para os servidores da educação”, ressaltou ela.

As mais de 50 mil nomeações realizadas pela SEE desde 2015 também foram lembradas no balanço. Só em 2017, foram 13.255 servidores com cargos efetivos, sendo a maioria deles professores. De acordo com a secretária, “é preciso deixar muito bem claro que nomear servidores da educação não é ampliação de cargos, pois o que estamos fazendo é garantir estabilidade no quadro de profissionais que atendem nossas escolas. Para atender mais de dois milhões de alunos, é necessário, minimamente, efetivar uma equipe que se comprometa com o projeto pedagógico para que a escola tenha condição de se planejar para o futuro”, explicou. Em 2015, a porcentagem de profissionais efetivos na SEE era de 27% e, agora, em 2017, já atinge 43%. A perspectiva é de que esse número ultrapasse 50%, segundo Macaé. Continuar lendo Secretaria de Educação divulga balanço das principais conquistas em Minas Gerais

Auto da Compadecida ganha versão especial na programação natalina


Selton Mello e Matheus Nachtergaele vivem os personagens centrais de Auto da Compadecida, filme baseado na obra de Ariano Suassuna (Foto: Divulgação)
Em versão inédita para a televisão, o filme Auto da Compadecida será destaque na programação da TV Escola e da TV Ines – única emissora brasileira com programação em português e língua brasileira de sinais, filiada ao Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines) – no dia 24, segunda-feira, às 22h. Tanto a emissora quanto o instituto são órgãos vinculados ao Ministério da Educação.

Baseada na obra originalmente escrita para o teatro pelo pernambucano Ariano Suassuna – a primeira encenação foi em 1956, no Recife –, a comédia dramática, com direção de Guel Arraes, será apresentada com audiodescrição, legendas e em linguagem de libras.

Auto da Compadecida é o primeiro longa-metragem brasileiro adaptado pelo Projeto Alumiar, uma parceria entre Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), Ministério da Educação e TV Escola. Em um ano, o projeto tornará 20 títulos brasileiros acessíveis nas três modalidades comunicacionais. Todos os filmes serão apresentados em sessão aberta na Fundaj, no Recife, e posteriormente exibidos na TV Escola e TV Ines.

Com narrativa baseada na literatura de cordel, a trama se passa em torno de dois personagens centrais: João Grilo (Matheus Natchergaele), um sertanejo pobre e mentiroso, e Chicó (Selton Mello), o mais covarde dos homens. No elenco, destacam-se ainda Fernanda Montenegro, Lima Duarte, Denise Fraga, Rogério Cardoso e Marco Nanini.

A história mistura elementos da tradição religiosa e da cultura popular, característica que a torna uma obra de rica linguagem original. A versão para o cinema foi lançada em 2000, com enredo ambientado no sertão da Paraíba. Paraíba, traduzindo em situações divertidas os dramas e características culturais do nordeste brasileiro.

Para o diretor-geral da TV Escola e TV Ines, Fernando Veloso, a atração, mais do que um presente de Natal para os telespectadores, é uma a oportunidade de fruição cultural ampla, diversa e plural: “Com a exibição de Auto da Compadecida na TV Escola e na TV Ines ampliamos muito o número de pessoas beneficiadas com o projeto Alumiar, especialmente aqueles que, com suas necessidades específicas, não têm oportunidade de usufruir dos grandes filmes brasileiros”.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Hora do Enem apresenta edição especial de Natal no sábado, 23


Chega ao fim a temporada 2017 do Hora do Enem, programa produzido pela TV Escola, órgão vinculado ao Ministério da Educação. Para celebrar, uma edição especial será exibida neste sábado, 23, às 15h. Entre brincadeiras e muitas histórias, Hora do Enem comemora mais um ano de sucesso.

Os convidados são três professores, que, entrevistados por Land Vieira, vão falar sobre os desafios e prazeres vivenciados em sala de aula ao longo deste ano. Participam Nathália Terra, professora de química; Cristiano Marcell, de matemática; e Wallace Cestari, de língua portuguesa. 

Durante todo o ano de 2017, Hora do Enem registrou mais de 300 programas, quase mil horas de gravação, 88 professores e profissionais convidados, oito edições ao vivo e um longo percurso educativo, passando pelos conteúdos vertebrais de todas as disciplinas avaliadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Para 2018, entre as novidades previstas na atração, destacam-se um cenário diferente, novos quadros e mais interação com o público. Além do apresentador Land Vieira, fazem parte da equipe o diretor Renato de Paula e, na gerência de conteúdo, o professor Walmir Cardoso. Hora do Enem, exibido de segunda a sexta-feira às 7h, 13h e 18h, estará de volta em maio de 2018.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Presidente Temer e ministro da Educação homologam Base Nacional Comum Curricular


O presidente da República, Michel Temer, e o ministro da Educação, Mendonça Filho, homologaram nesta quarta-feira, 20, em cerimônia no Palácio do Planalto, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que estabelece com clareza aquilo que todos os alunos têm o direito de aprender em cada etapa da educação básica. No mesmo evento, o ministro anunciou que o MEC vai liberar R$ 100 milhões de apoio técnico e financeiro para início das ações de implantação da base em 2018. O recurso irá beneficiar estados, municípios e o Distrito Federal, que farão as adequações dos currículos e receberão materiais de apoio e formação continuada de professores

“Estamos promovendo um tema caro à Constituição brasileira: o tema da igualdade. A igualdade de todos os alunos, seja no sistema público, seja no sistema privado, que passam a ter direitos iguais de aprendizado”, disse Michel Temer. De acordo com o presidente, as mudanças trarão oportunidades para que os estudantes “possam construir um futuro melhor para si mesmos e para o Brasil”.

Com a nova norma, o Brasil terá pela primeira vez uma base comum da educação infantil e do ensino fundamental, que servirá de parâmetro para a construção dos currículos pelas redes de ensino e escolas públicas e privadas. “A Base é plural, respeita as diferenças, respeita os direitos humanos”, destacou Mendonça Filho. “Ela é fruto de uma construção coletiva. Buscamos fazer com que ela pudesse ter a expressão de identidade de um Brasil que é amplo, diverso, que é vivo e que quer construir um novo caminho com relação ao futuro, fundado naquele passo que é o passo da transformação verdadeira de qualquer sociedade, que passa necessariamente pela educação”. Continuar lendo Presidente Temer e ministro da Educação homologam Base Nacional Comum Curricular

OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA – NOTA OFICIAL


Escrevendo o Futuro

20 de dezembro de 2017

Prezado(a) parceiro(a),

É com satisfação que chegamos ao final de mais um ano, comemorando as ações e conquistas realizadas pelo Programa Escrevendo o Futuro. Ao longo desta etapa, colocamos em prática diferentes atividades formativas, desenvolvemos materiais e promovemos reflexões com o objetivo de adensar as discussões sobre a língua portuguesa e contribuir para a melhoria do ensino da leitura e da escrita nas escolas públicas de todo o país.

Após 16 anos de intensa atuação – que nos permitiu chegar a quase todos os municípios brasileiros como referência no ensino da língua portuguesa – e frente aos desafios atuais, identificamos a necessidade de se repensar as ações que envolvem o Programa Escrevendo o Futuro e a Olimpíada de Língua Portuguesa.

Por isso, aproveitaremos o ano de 2018 para ouvir professores, diretores de escolas, técnicos de secretarias de educação, especialistas de universidades, profissionais envolvidos com a formação de professores, entre outros parceiros do Programa, para juntos pensarmos novos arranjos e formatos do concurso, sem abrir mão da qualidade das nossas ações.

Dessa maneira, informamos que a próxima edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, ou seja, o concurso de textos do Programa, previsto para o próximo ano, será realizado em 2019.

Em 2018, ampliaremos as ações de formação, investindo na mobilização de territórios, escolas, educadores e estudantes de todo o país, com o objetivo de qualificar o ensino da língua portuguesa. Novos cursos on-line serão lançados, encontros de formação presenciais e a distância serão realizados e trabalharemos os diversos recursos didáticos existentes no Portal Escrevendo o Futuro, como, por exemplo, os Percursos Formativos, que no próximo ano contarão com novas ferramentas interativas.

Em breve divulgaremos mais informações.

O sucesso das nossas ações também é fruto do seu apoio e, por isso, mais uma vez, agradecemos a sua colaboração.

Aproveitamos a ocasião para desejar boas festas e um feliz 2018!

Atenciosamente,

Gabarito Oficial do Enem PPL 2017 e da reaplicação já esta disponível


O gabarito oficial do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade e Jovens sob Medida Socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL) já está disponível no hotsite do Enem. Através do endereço eletrônico também é possível fazer o download dos Cadernos de Questões, de acordo com as cores das provas de cada participante.

As provas são as mesmas da reaplicação do Enem, para os participantes que tiveram direito em função de problemas logísticos na aplicação regular. A reaplicação foi garantida pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) a 3.886 pessoas, mas apenas 1.100 compareceram às provas. Já o Enem PPL 2017 contou com 74% de presença no primeiro dia, e 70% no segundo dia, dos 31.765 inscritos.

No primeiro dia de aplicação, 12, foram realizadas as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação, e Ciências Humanas e suas Tecnologias. Na terça-feira 13, os participantes resolveram questões de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, e Matemática e suas Tecnologias.

Clique aqui para acessar os gabaritos e cadernos de provas

Fonte: INEP

Projeto estimula alunos de Timóteo a cultivarem alimentação e estilo de vida saudáveis


Sedentarismo, alimentos pouco nutritivos e falta de interação social são coisas do passado na Escola Estadual Tenente José Luciano

O hábito de manter uma alimentação equilibrada, a prática regular de exercícios físicos, o uso moderado da tecnologia e a falta de diálogo nas famílias são cada vez mais um desafio na atualidade, inclusive para as crianças. Pensando nisso, a Escola Estadual Tenente José Luciano, de Timóteo, no Território Vale do Aço, promoveu, durante o ano letivo, três atividades para despertar em seus alunos a consciência sobre a importância de comer frutas e verduras e de não passar todo o tempo de lazer no sofá, em frente aos eletrônicos, sem interagir com o mundo ao redor.

A primeira delas foi o Dia da Fruta, que propôs aos alunos comerem frutas no lanche na escola todas as quartas-feiras e, com isso, estimula os estudantes a manter o hábito de consumir mais alimentos naturais no lugar dos industrializados. Em uma das edições da atividade, que começou em março, as nutricionistas Maria Amélia Drummond e Kamila Karen marcaram presença para reforçar os conhecimentos já repassados em sala de aula e para ensinar a fazer receitas saudáveis, como o danoninho de inhame, espetinho de frutas e brigadeiro de cará.

timoteo01
O projeto estimular hábitos saudáveis com as crianças, como trocar alimentos industrializados por frutas e legumes. Foto: Arquivo da Escola

A segunda atividade, como explica a diretora Neife Regina Resende, é complementar ao Dia da Fruta. “Paralela a uma alimentação saudável está a prática de atividades físicas. Por isso, pensando no bem estar, na saúde física e no desenvolvimento intelectual dos alunos, promovemos o evento Diversão em Família, que resgata brincadeiras e brinquedos antigos e convida os pais para também participarem e interagirem, deixando de lado o sedentarismo, a falta de diálogo dentro do lar e o uso excessivo dos recursos tecnológicos”, contou a diretora. Brincadeiras como cabo de guerra, bente-altas, dominó, amarelinha e cirandas não ficaram de fora e fizeram sucesso entre pais e filhos.

E o incentivo à atividade física e à interação entre alunos, família e equipe escolar continuou no Passeio Ciclístico, que em sua segunda edição teve o itinerário de 4 quilômetros do centro de Timóteo até um clube recreativo da cidade, onde todos foram convidados a fazer um piquenique – outra prática que ficou um pouco esquecida como uma opção de lazer. Mais de cem pessoas participaram do passeio, que contou, também, com grupos de ciclistas da região.

timoteo02
Os alunos também tiveram a oportunidade de aprender receitas saudáveis com nutricionistas. Foto: Arquivo da Escola

“Chamamos este evento também de Giro da Família Tenente José Luciano, pois é a união das três atividades e também a comemoração do aniversário da escola. Além de pedalar, que é um exercício muito saudável, há a oportunidade de conversar, brincar, trocar ideias e, ao final do passeio, saborear lanches e bebidas que fazem bem à saúde em um piquenique, antigo costume que também queremos resgatar. Ou seja, é como se fosse o Dia da Fruta, o Diversão em Família e o Passeio Ciclístico juntos”, afirmou a diretora.

Continuidade

Neife garante dar sequência aos projetos em 2018, principalmente depois de perceber os resultados alcançados. “Desde março, mês da primeira atividade, acompanhamos os alunos para ter um retorno. Observamos que muitos já pedem aos pais para comprar mais frutas e levam de lanche não só nas quartas-feiras, que eles fazem, junto com a família, as receitas ensinadas pelas nutricionistas e até postam nas redes sociais, que têm mais interesse em praticar atividades físicas. Ficamos orgulhosos, porque é sinal de que conseguimos despertar neles esses hábitos saudáveis e, quanto mais cedo isso acontecer, melhor”, destaca.

timoteo05
O evento Diversão em Família resgata brincadeiras e brinquedos antigos e convida os pais para também participarem e interagirem. Foto: Arquivo da Escola

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

Concurso Literário “Faça parte dessa história”


Para comemorar os 80 anos da Política Pública dos Programas do Livro, o FNDE lançou o concurso literário “Faça parte dessa história”, que irá selecionar os maiores talentos das escolas públicas do Brasil na arte de escrever.

O concurso é voltado para estudantes devidamente matriculados em turmas de ensino fundamental e médio das escolas públicas brasileiras. As inscrições serão realizadas de 15 de dezembro de 2017 a 2 de março de 2018, unicamente pela página do concurso http://www.fnde.gov.br/concursoliterario/. Poderão ser inscritas obras nos seguintes gêneros literários: poema, conto, crônica, novela, teatro, texto da tradição popular, romance, memória, diário, biografia, relatos de experiências e história em quadrinhos.

O primeiro lugar de cada uma das categorias ganhará uma viagem internacional para conhecer a maior feira de livros do mundo, a Feira do Livro de Frankfurt, na Alemanha. Os três finalistas de cada categoria (anos iniciais do ensino fundamental, anos finais do ensino fundamental e ensino médio) também serão premiados com uma viagem de visita à Bienal do Livro de São Paulo, em 2018, e poderão acompanhar a produção e distribuição do livro didático, na capital paulista. E ainda levarão pra casa um acervo completo de livros literários.

Foi lançado o edital do concurso com todas as informações necessárias para participar e com os critérios de premiação e respectivos prêmios. Segue o arquivo com o edital do concurso – Edital Concurso Literário – “Faça parte dessa história”  e o informe nº 50: Informe nº 50 – Concurso Literário – “Faça parte dessa história”

Todas as orientações quanto ao concurso literário estão disponíveis no portal do FNDE.

Implementação de base curricular no país é desafio, dizem especialistas


Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil
Escolas públicas de ensino básico em vários municípios brasileiros receberão a visita do Ministério Público com o objetivo de averiguar a qualidade do ensino e as condições dessas escolas (Elza Fiúza/Agência Brasil)
Base  define  o  conjunto  de  aprendizagens  essenciais  na  educação  básica   Elza  Fiúza/Arquivo/Agência  Brasil

Depois de dois anos de análises e debates, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que define o conjunto de aprendizagens essenciais na educação básica, foi aprovada hoje (15) no Conselho Nacional de Educação (CNE). Mas o caminho para que as diretrizes previstas no documento cheguem até as escolas ainda é um desafio e vai precisar de atenção e vontade política, afirmam especialistas ouvidos pela Agência Brasil.

A transformação da BNCC em currículos estaduais e municipais que possam ser implementados nas escolas vai necessitar de apoio financeiro e técnico da União, diz a superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), Anna Helena Altenfelder. “Não podemos imaginar que a base transformada em currículo vai possibilitar a melhora na qualidade de ensino se não houver condições adequadas para o professor, o que implica não só o salário, que é fundamental, mas condições concretas de infraestrutura e formação.”

Para Anna Helena, a implementação da Base é um grande desafio. “Infelizmente, temos uma tradição no Brasil de muitas legislações e marcos legais na área de educação não acontecerem de fato, ficarem na gaveta. Agora vai precisar de um esforço grande político para que isso não aconteça.”

Na avaliação de Anna Helena, a Base aprovada nesta sexta-feira explicita claramente o direito que cada aluno no Brasil tem de aprender em cada etapa de ensino. “Ela não é o mínimo a ser ensinado, mas é o que é comum que todo brasileiro e brasileira tem direito de aprender. Ela [a Base] garante o direito de aprender. Ter isso claro e explicitado é um avanço porque permite que haja um controle social pelas famílias, professores e os próprios alunos.”

Continuar lendo Implementação de base curricular no país é desafio, dizem especialistas

Saiba o que é a base nacional que vai orientar currículos das escolas


Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil
Crianças da educação infantil em sala de aula
O documento aprovado hoje vai orientar estapas da educação infantil e do ensino fundamentalArquivo/ Agência Brasil

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), servirá como referência para a formulação dos currículos dos sistemas e das redes escolares estaduais e municipais e das propostas pedagógicas das instituições escolares. Seu papel será o de orientar a revisão e a elaboração dos currículos nos estados e nos municípios.

A BNCC é um documento de caráter normativo, que define o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da educação infantil e do ensino fundamental, de modo a que tenham assegurados seus direitos de aprendizagem e desenvolvimento, como determina o Plano Nacional de Educação (PNE).

A base nacional estabelece conhecimentos, competências e habilidades que se espera que todos os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica. Segundo o CNE, o objetivo da base é elevar a qualidade do ensino no país, indicando com clareza o que se espera que os estudantes aprendam na educação básica, além de promover equidade nos sistemas de ensino.

O documento aprovado hoje não estabelece as diretrizes para os currículos das escolas de ensino médio. A base para o ensino médio deverá ser enviada pelo Ministério da Educação ao CNE só no início do ano que vem.

Continuar lendo Saiba o que é a base nacional que vai orientar currículos das escolas

Base nacional curricular para educação básica é aprovada pelo CNE


Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou hoje (15) o texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que irá orientar os currículos da educação básica e estabelecerá conhecimentos, competências e habilidades que se espera que todos os estudantes desenvolvam ao longo da educação infantil e do ensino fundamental. O texto foi aprovado por 20 votos favoráveis e três contrários e os conselheiros debatem agora os detalhes do texto final.

A BNCC estava em discussão no CNE desde abril, quando foi enviada pelo Ministério da Educação, e passou por diversas modificações desde então, após o recebimento de propostas e a realização de audiências públicas. O documento foi alvo de diversos questionamentos e polêmicas, e um grupo de entidades chegou a pedir a suspensão da sua votação na semana passada.

Aprofundamento

Na sessão de hoje, as três conselheiras que pediram vista conjunta do processo de votação na semana passada criticaram a pressa com que o texto está sendo votado e o pouco tempo para análise do mesmo, além do processo de debate com a sociedade e a exclusão do ensino médio da base curricular. Elas defenderam um aprofundamento das discussões e a melhoria do documento.

“Compete a esse órgão de Estado tratar adequadamente as políticas públicas do país sem açodamento. Infelizmente, a opção do CNE foi pela celeridade em detrimento da discussão aprofundada, como requer a matéria, e isso ficará registrado como uma afronta a esse órgão, sobretudo se o entendermos como um órgão de Estado e não de governo”, destacou a conselheira Aurina de Oliveira Santana.

Um dos relatores da proposta, o conselheiro Joaquim José Soares Nato, destacou que todas as contribuições colhidas nas audiências públicas foram cuidadosamente analisadas e muitas propostas foram incorporadas ao documento.

Continuar lendo Base nacional curricular para educação básica é aprovada pelo CNE

Boletim semanal – Nova edição da revista Na Ponta do Lápis


Confira as novidades do Programa
Escrevendo o Futuro
13 de dezembro de 2017
Nova edição da revista Na Ponta do Lápis

A mais recente publicação do Programa já está disponível, com entrevistas, reportagens, literatura, projetos de escrita e muito mais. Acesse e confira.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Da biblioteca para o mundoA partir de uma provocação feita pelo Programa, professora Quitéria Éden Batista Leite, de Pesqueira (PE), optou por um gênero inusitado na Olimpíada: a resenha literária.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Vale a pena publicizar as produções dos alunos?Tornar público o conjunto de produções elaboradas pelos estudantes é o tema da conversa com a Olímpia.

Estudantes de Antônio Dias visitam o Diário do Aço


Estudantes do primeiro ao nono ano do ensino fundamental puderam acompanhar como é produzido o impresso e atualizada a versão digital do jornal

36fRkestudantes_no_DA
Estudantes da Escola Estadual Germano Pedro de Souza

Cerca de 50 estudantes da Escola Estadual Germano Pedro de Souza, do distrito de Hematita, em Antônio Dias, visitaram nesta quarta-feira a redação do jornal Diário do Aço e Portal Diário do Aço. Acompanhados por seis professores, estudantes do primeiro ao nono ano do ensino fundamental puderam acompanhar como é produzido o impresso e atualizada a versão digital do jornal.

Os desafios enfrentados pelos jornalistas, como as informações chegam à redação, sistema de impressão e distribuição foram alguns dos questionamentos feitos por estudantes e professores. O professor Marcos Pereira Gonçalves explicou que a visita técnica dos jovens faz parte de um projeto da escola sobre veículos de comunicação. Os estudantes integram a Educação Integral e Integrada

Fonte: Diário do Aço

Disponível em: http://www.diariodoaco.com.br/ler_noticia.php?id=55264&t=estudantes-de-antonio-dias-visitam-o-diario-do-aco

Final do Prêmio Professores do Brasil será na segunda-feira, 18


“Queremos dar destaque para experiências inovadoras e que sirvam de exemplo e inspiração para outros professores. Muitos vencedores, no início, não acreditavam que a experiência desenvolvida em sala de aula fosse importante e merecesse ser premiada. Esperamos que os professores, dentro das suas realidades, apliquem as experiências. Com isso, vão ganhando confiança e apoio também das escolas”, ressalta o secretário de Educação Básica do MEC, Rossieli Soares.

O valor do prêmio se somará aos R$ 7 mil pagos a cada um dos 30 vencedores da etapa regional, a uma viagem à Irlanda para participação em programa de capacitação apoiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), além de troféu e equipamentos de informática com conteúdo educativo para as escolas em que trabalham.

Os vencedores sairão da lista dos 30 ganhadores regionais nas categorias: educação infantil/creche, educação infantil/pré-escola, ensino fundamental/ciclo de alfabetização, ensino fundamental/quarto ao quinto ano, ensino fundamental/sexto ao nono ano e ensino médio.

Também há a categoria temáticas especiais, que tem entre as premiações uma viagem de uma semana a Londres para participação em atividades educativas, palestras e visitas a museus; R$ 5 mil em dinheiro; e visita ao Núcleo de Alto Rendimento Esportivo de São Paulo. Os vencedores também participam até a esta quarta-feira, 13, de oficinas e palestras na capital paulista.

 “É uma edição especial e a expectativa é grande em relação à participação desses professores. A intenção é valorizar esses profissionais que estão na linha de frente e buscam melhorar a qualidade da educação pública”, reforça o coordenador-geral de Apoio a Certames e Programas Especiais do MEC, Joselino Goulart Junior.

Esta é a décima edição do Prêmio Professores do Brasil, que tem o objetivo de reconhecer e divulgar o trabalho de docentes que contribuam para a melhoria da educação básica, valorizando e estimulando seu papel na formação das novas gerações. Participam do concurso educadores de escolas públicas de todo o Brasil. Durante a cerimônia, será lançado um livro em comemoração às dez edições do prêmio.

Confira os ganhadores da etapa regional e das temáticas especiais no hotsite do prêmio.

Assessoria de Comunicação Social

Candidatos à primeira edição do Sisu já podem consultar vagas


O Ministério da Educação liberou o acesso à consulta de vagas a serem oferecidas na primeira edição de 2018 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). No total, são 239.601 oportunidades em 130 instituições, entre universidades federais, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e instituições estaduais. As inscrições, feitas exclusivamente pela internet, começam em 29 de janeiro e vão até as 23h59 de 1º de fevereiro de 2018, observando o horário oficial de Brasília.

O Sisu é o sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de educação superior oferecem vagas a estudantes com base nas notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O processo ocorre duas vezes por ano e cada candidato pode fazer até duas opções de curso. Podem concorrer estudantes que tenham feito o Enem 2017 e obtido nota acima de zero na prova de redação.

Na página eletrônica do Sisu é possível acessar a lista de cursos, instituições participantes e municípios que oferecem as vagas. Para se candidatar, quando o sistema abrir para inscrições, o estudante precisa acessar o mesmo endereço eletrônico, informar o número de inscrição e a senha do Enem e selecionar, por ordem de preferência, até duas opções de cursos. Essas opções poderão ser modificadas durante todo o período de inscrições. O candidato que não tiver a senha de acesso poderá solicitá-la por meio do link “orientações para recuperação de senha”, disponível na página do Enem.

Durante o período de inscrições, o Sisu calcula a nota de corte para cada curso com base no número de vagas disponíveis e no total de candidatos inscritos em cada curso, por modalidade de concorrência. A nota de corte, no entanto, é somente uma referência para auxiliar o candidato no monitoramento da seleção, não garantindo, necessariamente, a vaga desejada. O resultado da chamada regular sai no dia 2 de fevereiro.

Mais informações podem ser vistas na página do Sisu.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Nota oficial do CNE


O Conselho Nacional de Educação informa que já estão disponíveis na página do CNE, na aba da Base Nacional Comum Curricular, os seguintes documentos: Minuta de Parecer e Projeto de Resolução e Anexo, em http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/base-nacional-comum-curricular-bncc. Na sexta-feira, 15 de dezembro, as discussões sobre a BNCC serão retomadas em Sessão do Conselho Pleno a partir das 9h.

Período de inscrição para o Programa Missão Pedagógica no Parlamento termina amanhã (13/12)


Conclusão com êxito de toda a formação garante uma certificação de 120 horas

O Centro de Formação, Aperfeiçoamento e Treinamento da Câmara dos Deputados está com inscrições abertas até amanhã (13/12) para a oitava edição do projeto Missão Pedagógica no Parlamento. A iniciativa tem o apoio do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

O Missão Pedagógica no Parlamento é uma formação de 120 horas para educadores e educadoras que desejam levar para suas escolas aprendizados sobre cidadania, política, democracia e Poder Legislativo.

O programa compreende duas fases. A fase presencial acontece na Câmara dos Deputados e aborda conteúdos e metodologias sobre educação para a democracia nas escolas e temas relativos ao Parlamento de forma contextualizada e reflexiva. A Câmara dos Deputados custeia passagem aérea, hospedagem, translado e alimentação para os participantes.

Na fase a distância os educadores desenvolvem e aplicam em sua escola um projeto de educação para a democracia, tendo o Poder Legislativo como foco de interesse.

A conclusão com êxito de toda a formação garante uma certificação de 120 horas.

A fase presencial, que acontece na Câmara dos Deputados, em Brasília, está prevista para ocorrer entre os dias 4 e 8 de julho de 2018.

Informações no www.camara.leg.br/evc ou pelo telefone 0800 619 619.

Fonte: Consed

Disponível em: http://www.educacao.mg.gov.br

Estão abertas as inscrições para a 2ª edição do Programa Meu Primeiro Negócio


650 escolas estaduais mineiras poderão participar do programa, que leva a educação empreendedora a jovens do ensino médio. Primeira edição contemplou 120 escolas este ano.

logo

O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) e a da Secretaria de Estado de Educação (SEE), lançou o edital de seleção para a 2ª edição do Programa Meu Primeiro Negócio. A chamada vai selecionar até 650 escolas públicas de Minas Gerais que tenham interesse em executar, como atividade extracurricular, no contraturno escolar, as ações de formação empreendedora para estudantes do ensino médio durante 2018.

O Programa é executado em parceria com a Junior Achievement a partir do programa Miniempresa. A metodologia utilizada é baseada no método “aprender fazendo”, na qual jovens vão poder experimentar práticas em negócios, economia, gestão e operacionalização de empresas durante 12 semanas.

Cada escola selecionada terá um projeto no Meu Primeiro Negócio. O grupo de até 40 alunos vai trabalhar de forma cooperativa, desenvolvendo um negócio. Na primeira edição do Programa, foram contempladas 120 escolas da rede estadual, sendo 57 Escolas Polo de Educação Múltipla (Polem), que participaram das atividades no segundo semestre deste ano.

As escolas interessadas em participar do Programa devem se cadastrar por meio de formulário eletrônico. O edital e o link de inscrições podem ser encontrados no endereço http://www.meuprimeironegocio.mg.gov.br. O prazo de inscrição vai até às 23h59 de 11 de fevereiro de 2018.

Venha ser uma escola participante! Consulte o edital e cadastre sua escola.

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

Hora do Enem inaugura série sobre cursos superiores e carreiras


A partir desta segunda-feira, 11, o programa Hora do Enem, da TV Escola, entra em uma nova fase, que busca auxiliar os estudantes na escolha do curso superior, com a estreia da série Universidades e Carreiras. Em cada episódio, um professor universitário será convidado a falar sobre os diferentes cursos de graduação, as novas tecnologias envolvidas no processo de ensino e as perspectivas das profissões.

Durante a série, também serão apresentadas informações, orientações e depoimentos de estudantes que viveram a experiência da mudança de cidade com a escolha do curso. Eles contarão como foi o processo de adaptação e como está a vida hoje na nova cidade.

Os primeiros cursos abordados no programa serão o de neurociência, com o professor Marcelo Caetano, da Universidade Federal do ABC (UFABC), e o de sistemas de informação, com os professores Macário e Eduardo Almentero, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). No segundo dia, terça-feira, 12, tem vez o curso de turismo, com a professora convidada Carla Borba, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e o de gastronomia, com a professora Ceci Santiago, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Quarta-feira, 13, é o dia de ficar por dentro das áreas de design, com a professora Mariana Monteiro, da Universidade Federal do Ceará (UFC), e de luteria, com o professor Juarez Bergmann, da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O Hora do Enem de quinta-feira, 14, dará informações sobre os cursos de direito, com o professor Ricardo Lodi, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), e de agroecologia, com a professora Adriana Cavalieri, da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar).

A primeira semana da série que ajuda o estudante a decidir sua carreira se encerra na sexta-feira, 15, com enfoque nos cursos de engenharia e de energia e geologia. O primeiro será apresentado pelo professor Martin Paz, da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) e o segundo, pelo professor Arnaldo Queiroz, da Universidade Federal do Pará (UFPA).

O programa Hora do Enem é exibido pela TV Escola de segunda a sexta-feira, às 7h, 13h e 18h.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

Inscrições para o Sisu serão abertas em janeiro de 2018


O Ministério da Educação divulgou as regras e as datas para inscrições no processo seletivo da primeira edição de 2018 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), ferramenta pela qual universidades públicas oferecem vagas a candidatos do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). O edital foi publicado nesta sexta-feira, 8, no Diário Oficial da União (DOU).

As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, por meio da página eletrônica do Sisu, e os interessados podem se candidatar no período de 29 de janeiro até as 23h59 do dia 1º de fevereiro, observando o horário oficial de Brasília.

Podem concorrer às vagas estudantes que tenham feito o Enem 2017 e obtido nota acima de zero na prova de redação. No total, são 239.601 vagas de graduação.

Para 2018, 130 instituições de ensino superior ofertam vagas no Sisu. Dessas, 30 são instituições públicas estaduais, que envolvem centros universitários (1), faculdades (7) e universidades (22); e 100 são públicas federais, com centros de educação tecnológica (2), faculdades (1), institutos federais de educação, ciência e tecnologia (36) e universidades (61).

 “O Sisu é uma ferramenta de que as instituições públicas podem se utilizar para fazer o processo seletivo”, explica o coordenador-geral de Programas de Ensino Superior do MEC, Fernando Bueno. “Ele é por adesão e não é obrigatório. Das nossas 63 universidades federais, por exemplo, atualmente 61 já ofertam vagas”.

Assim como nos anos anteriores, serão abertos dois processos seletivos. O primeiro, com inscrições no fim de janeiro de 2018, distribuirá vagas para o primeiro semestre letivo das instituições. O segundo, com inscrições no fim de maio, será destinado ao preenchimento de vagas para o segundo semestre letivo das universidades e institutos federais participantes.

Deslocamento – Uma das grandes finalidades do Sisu é tentar minimizar a questão de deslocamento. “Cada instituição tinha o seu vestibular, em uma data diferente”, lembra Fernando Bueno. “Às vezes havia coincidência de datas e o candidato tinha que optar por um ou por outro. O Sisu veio para unificar.”

Mais informações podem ser vistas na página do Sisu.

Clique aqui para conferir o edital.

Assessoria de Comunicação Social do MEC

INFORMATIVO 35


COLÓQUIOS CONQUISTAS E DESAFIOS DA PESQUISA SOBRE JOVENS NO BRASIL E AMÉRICA LATINA

  

Entre os dias 14 e 15 de dezembro a Faculdade de Educação da USP sedia o colóquio “CONQUISTAS E DESAFIOS DA PESQUISA SOBRE JOVENS NO BRASIL E AMÉRICA LATINA”. O primeiro colóquio se justifica por dois objetivos centrais: de um lado, é preciso considerar e discutir, de modo sistemático, o acúmulo das investigações realizadas nos últimos 20 anos. De outro lado, o avanço da produção acadêmica exige um esforço contínuo de reflexão, tendo em vista a abertura para novos problemas de pesquisa, categorias teóricas e abordagens metodológicas.

Os estudos da Sociologia da Educação desenvolvidos no Brasil, em particular na FEUSP, estiveram voltados para as múltiplas experiências que constituem os espaços de circulação juvenil, para além da instituição escolar. Por essas razões o alargamento do campo temático compreendendo os espaços extraescolares, tem se revelado uma profícua e legítima forma de realização da pesquisa na área da Educação, a partir de sua “porosidade” e mútua interação com o campo de estudo das Ciências Sociais (Sociologia, Política e Antropologia).

Assim, o Colóquio proposto apresentará como primeiro objetivo a realização de um balanço inicial de trilhas investigativas, sem a preocupação da exaustividade, para a constituição de um corpus de questões que demandam novos empreendimentos de pesquisa. O segundo objetivo recai sobre a formação de uma rede de pesquisadores brasileiros com a perspectiva de abertura para a América Latina e demais países. O Colóquio será o momento propício para estabelecer as primeiras diretrizes e coordenadas que deverão estruturar essa rede, perfilando um conjunto de ações de curto prazo de modo a se efetivar sua criação no Segundo Colóquio, previsto para 2018.

Tendo em vista o leque ampliado de eixos temáticos dos estudos sobre juventude, o Primeiro Colóquio será estruturado em torno de dois eixos: um primeiro – Juventude, Educação e trabalho – diz respeito a dois domínios institucionais da experiência juvenil contemporânea. O segundo eixo – Juventude, ação coletiva e engajamento político – ultrapassa a esfera das instituições e incide sobre as relações dos jovens com a esfera pública por meio das formas variadas das ações coletivas e de engajamento político.

Os professores, membros do Observatório da Juventude, Juarez Dayrell e Geraldo Leão, também farão parte do Colóquio.

As inscrições são gratuitas (até o dia 13 de dezembro) e podem ser realizadas clicando aqui.

Evento no Facebok: https://www.facebook.com/events/374902452954459/

Mais informações: (11) 30918289 e fajardim@usp.br

Secretaria de Educação de Minas Gerais divulga cronograma das designações para 2018


Designações presenciais para ASB acontecem no dia 16/12.
Em janeiro de 2018, será a vez do processo de escolha de vagas por sistema on-line e da designação presencial para professor regente de aulas

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) divulgou no Diário Oficial “Minas Gerais” desta sexta-feira (08/12) o cronograma do processo de designação para o exercício de função pública na Rede Estadual de Educação Básica em 2018, conforme disposições da Resolução SEE Nº 3660/2017, que estabelece normas para a organização do Quadro de Pessoal das Escolas Estaduais e a designação. O cronograma deve ser cumprido pelas Superintendências Regionais de Ensino (SRE), as unidades de ensino e as unidades administrativas do Órgão Central envolvidas direta e indiretamente no processo de designação.

Segundo o cronograma, a chamada inicial para designação presencial para o cargo de Auxiliar de Serviços da Educação (ASB), com vigência de exercício a partir de 01/02/2018, será realizada no dia 16 de dezembro, em polos e horários que serão definidos pelas Superintendências Regionais de Ensino (SREs).

Já a escolha de vagas na designação on-line, em sistema informatizado, deve ser feita no período de 18 a 21 de janeiro de 2018, para os cargos de Professor de Educação Básica (PEB) – Regente de Turma; Analista Educacional/Inspetor Escolar (ANE/IE); Assistente Técnico de Educação Básica (ATB); Especialista em Educação Básica (EEB) – Orientador Educacional ou Supervisor Pedagógico; e Analista de Educação Básica (AEB) – Assistente Social, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Psicólogo ou Terapeuta Ocupacional. O resultado da primeira rodada de atribuição de vagas na designação on-line será divulgado no dia 27/01/18. Os servidores designados via web devem se apresentar na escola de exercício no dia 29 do mesmo mês, de posse da documentação completa para fins de comprovação das informações prestadas e assinatura do contrato. A segunda rodada de atribuição está prevista para o dia 02/02.

De 22/01 a 30/01, será realizada a chamada inicial da designação para os cargos de PEB Regente de Aulas (Ensino Regular, Curso Normal em Nível Médio e Conservatórios de Música). Para esse cargo, a designação será presencial, em locais e horários definidos e divulgados por cada SRE.

Uma novidade para o próximo ano letivo é a antecipação da designação para atuar na Educação Integral do Ensino Fundamental e Educação Profissional Técnica de Nível Médio, para início de exercício a partir de 19/02/2018. O período de designação para essas modalidades será de 07/02 a 16/02/2018.

A vagas disponíveis para designação 2018 serão divulgadas posteriormente pela SEE.

Clique aqui para acessar o cronograma completo.

Candidatos Inscritos

Podem participar do processo de designação para o próximo ano letivo todos os candidatos que se inscreveram na chamada pública realizada pela Secretaria de Estado de Educação de 25/10 a 10/11. O sistema recebeu um total de 631.491 cadastros e 1.354.237 inscrições, uma média de duas por candidato, uma vez que cada pessoa poderia realizar até três inscrições para cargos e localidades distintos. As listagens classificatórias que serão utilizadas tanto para as designações presenciais quanto para as designações on-line estão disponíveis para consulta no site http://www.designaeducacao.mg.gov.br.

A designação é uma forma de preencher interinamente os cargos para garantir o funcionamento das escolas estaduais, conforme o artigo 10 da Lei 10254/1990. O processo é essencial na preparação da rede pública para o início do ano letivo.

Fonte: http://www.educacao.mg.gov.br

 

Boletim semanal – Slam das Minas: mulheres na batalha poética


Confira as novidades do Programa
Escrevendo o Futuro
07 de dezembro de 2017
Slam das Minas: mulheres na batalha poética

Em entrevista exclusiva para o Portal Escrevendo o Futuro, integrantes do Slam das Minas – SP contam como trabalham para garantir um espaço seguro para as mulheres se expressarem livremente.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Crônica – paixão movida à leitura e escritaProfessora Maira Andréa Leite da Silva, de Santa Cruz do Sul (RS), nos revela como a fotografia, a música e outras artimanhas foram aliadas nesse verdadeiro jogo de conquista.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo Nova formação acontece em João Pessoa, na ParaíbaPrograma Escrevendo o Futuro realiza, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação, formação presencial para professores e técnicos de secretaria.

ep. Crônica | O Futuro que escrevo SD para todos: como fazer?Professora Olímpia fala sobre o desafio de envolver todos os alunos nas propostas de sala de aula.

Período de matrículas na rede pública de ensino de Minas Gerais começa na próxima segunda-feira (11/12)


A partir da próxima segunda-feira (11/12), pais e responsáveis de estudantes que desejam ingressar na rede pública de ensino em 2017 e fizeram o cadastramento em junho deste ano devem ficar atentos ao período de matrículas. A matrícula deve ser feita, até o dia 15 de dezembro, na escola para o qual o cadastrado foi encaminhado.

Os cadastrados de Belo Horizonte já receberam uma carta com a orientação da escola para qual o foi encaminhado. Já os estudantes no interior devem procurar os postos de cadastramento de seu município ou a Superintendência Regional de Ensino (SRE) da localidade para saber para qual escola foi encaminhado.

O candidato que fizer a matrícula dentro do prazo estabelecido terá sua vaga assegurada em uma escola pública próxima à sua residência para a qual ele foi encaminhado por meio do Cadastramento Escolar. Aquele que não se matricular no prazo previsto será encaminhado para uma escola onde houver vaga remanescente.
Para a efetivação da matrícula, além do preenchimento da ficha de matrícula, deverão ser entregues, obrigatoriamente, na secretaria escolar:
– cópia e original da conta de luz da residência do candidato, em conformidade com o endereço atestado na inscrição;
– CPF do responsável;
– cópia e original da certidão de nascimento ou carteira de identidade do aluno;
– comprovante de escolaridade, quando for o caso de transferência de outros municípios ou rede privada, retorno aos estudos ou cursos da EJA.

Os estudantes que porventura tenham perdido o período do cadastro ainda terão o direito à educação pública garantido. Nesse caso, o interessado deverá procurar, após o período de matrícula dos cadastrados, uma unidade do seu interesse para verificar a disponibilidade de vaga ou a secretaria municipal de educação ou ainda a Superintendência Regional de Ensino da sua localidade, que irá encaminhá-lo para uma escola em que haja vaga remanescente. Continuar lendo Período de matrículas na rede pública de ensino de Minas Gerais começa na próxima segunda-feira (11/12)

Inep divulga os microdados do Enem 2016


Os Microdados do Enem 2016 já estão disponíveis para consulta no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O objetivo da publicação é desenvolver e disseminar avaliações e informações educacionais, já que os microdados permitem acessar informações específicas, gerando análises mais aprofundadas por parte de pesquisadores, jornalistas e gestores públicos, por exemplo. Os microdados podem ser acessados por programas estatísticos.

Nos Microdados do Enem são disponibilizadas as provas, os gabaritos, as informações sobre os itens (questões), além das notas e o questionário respondido pelos inscritos em 2016. Para facilitar a utilização dos resultados, o arquivo principal, “Microdados _Enem_2016”, contém os questionários, congregando, em um único arquivo, as informações disponibilizadas sobre os participantes do Enem. As informações referentes aos itens estão em uma planilha específica. Já o Dicionário contém informações sobre as variáveis contidas em cada base.

Os dados são disponibilizados em formato “.csv” (formato de arquivo que contém valores separados por delimitador com ponto e vírgula) e os inputs para a leitura desses arquivos foram elaborados utilizando os softwares SAS e SPSS. Os inputs trazem a possibilidade de carregar os rótulos juntamente com os dados, o que facilita o manuseio pelo usuário, ao tornar sua utilização mais intuitiva e imediata. Isso não dispensa a consulta ao Dicionário de variáveis e às provas para obter uma compreensão mais completa da organização do banco de dados e da própria estrutura dos instrumentos utilizados.

Se o usuário desejar, poderá não usar os inputs para abrir as bases, pois o formato “.csv” também foi adotado por facilitar a leitura dos arquivos, independentemente do software estatístico utilizado. No Dicionário, os dados também foram disponibilizados em formato “.ods”, para atender à política de dados abertos. Foi criada também uma base contendo informações sobre as provas, chamada “Itens_Prova_2016”. Nela, para cada tipo de prova, foram carregadas as informações de posição do item na prova, habilidade, cor da prova, área de conhecimento e gabarito.

Clique aqui para acessar os microdados

Fonte: INEP

Este Blog é destinado a todos os educadores envolvidos no trabalho pedagógico em escolas de educação básica: analistas educacionais, pesquisadores, diretores, pedagogos, professores e estudantes. A intenção é utilizar este espaço para disseminação de notícias, artigos, textos, experiências e discussão de temas relevantes relacionados à prática educativa.